segunda-feira, 25 de novembro de 2013

Vitória SC 0-1 Sporting :: Acreditar Sempre!

Nós acreditamos em vocês. Ouviu-se, durante grande parte dos segundos quarenta e cinco minutos. Cantou-se nas bancadas do D. Afonso Henriques até não poder mais, acreditando sempre que era possível sair de Guimarães com os 3 pontos. E conseguimos!

O próximo jogo é sempre o mais importante. Somos candidatos a vencer todos os jogos. É um compromisso assumido e é com essa intenção que o Sporting entra em campo. Então não fugiu à regra. Ficar a 1 ponto da liderança com um terço do campeonato decorrido tendo já defrontado Porto e Benfica, é para já um campeonato bastante agradável.

Não vivemos nenhum estado de graça, apenas regressou o Sporting a que estávamos habituados em tantas outras alturas. As bancadas do D. Afonso Henriques que nos estavam destinadas cheias de apoio e moral. Como nota desse apoio, de tarde tinham-se completado 3 enchentes em Almada para ver o futsal. Em Braga no almoço antes do jogo perto de 400 pessoas estiveram presentes para falar e sentir o Sportinguismo. O clube está vivo e isso agrada, independentemente dos Presidentes, Direcções, Treinadores ou facções de apoio.

Para este jogo, Leonardo Jardim pouco mexeu. Eric Dier regressou ao eixo da defesa, Cédric para o lado direito e de resto era a equipa esperada. Os primeiros 45 minutos foram maus. Há que dizê-lo sem rodeios, foi até com alguma sorte que chegamos ao intervalo sem sofrer um golo. Oportunidades nossas? Inexistentes. Aquele passe/remate do Carrillo para Montero foi o melhor que se viu.

Foi fraca a primeira parte porque nunca tivemos posse de bola. Porque o meio campo não funcionou, porque William Carvalho não pode jogar sempre muito bem, porque os homens do Vitória facilmente se colocavam na nossa área, porque…a equipa deve ter-se perdido a caminho de Guimarães e só chegou para a segunda parte.

Jardim não mexeu logo na equipa. Manteve o figurino até perceber que, a continuar assim não ia lá.

A equipa começou a ter mais bola, mas tudo era aos repelões. Não havia fio condutor, as bolas praticamente não chegavam a Montero, e percebeu-se que o jogo ia ser decidido num lance. Para o nosso lado ou para o deles.

Até que Leonardo mexeu.

Trocou primeiro os alas. Capel e Carrillo muito apagados deram lugar a Carlos Mané e Diogo Salomão. E que diferença!

O Mané rapidamente começou a agitar o meio campo, incursões da lateral para o interior, nova mobilidade. O Salomão começou a arrastar com ele os jogadores do Vitória e sem receios conseguia desembrulhar-se deles e criar jogo.

Mas não chegava e certamente não iria chegar. A 10 minutos do fim entrou Slimani e o plano B do 4-4-2.

Primeiro tocou na bola para a meter lá dentro em fora de jogo, em cima dos 90 deu a vitória ao Sporting. O Argelino que já vi muitos dos nossos apelidar de cepo, deu-nos os 3 pontos, tem marcado com regularidade a partir do banco e até já pedem a titularidade.

Que vitória saborosa. Já se ouviam as renas do Natal e as historinhas do costume. Metam o bacalhau de molho, porque para já só precisamos dele para a ceia.

Leonardo mostrou, provou-o em campo, que o Sporting tem um plano B bem definido. O que ontem deu a vitória em Guimarães tem sido pensado, treinado e dá resultados. Poderá não funcionar sempre? Claro. Obviamente. Mas há que dar mérito ao treinador pela forma como ao fim de 10 jornadas colocou esta equipa a fazer-nos acreditar, sempre, durante os 90 minutos pela vitória.

O que peço para as próxima 20 jornadas? A mesma dedicação!

Sem comentários: