segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

Gil Vicente 0-2 Sporting :: a crença que cresce a cada jogo!

Com um sorriso enorme. É assim que se acorda depois de um grande jogo em Barcelos, vivido numa onda verde avassaladora e que tanto nos enche de orgulho.

Não quero saber de classificações, editoriais manhosos, candidaturas ao título e outros assuntos que tal, ver o Sporting a jogar como tem acontecido esta época é simplesmente para saborear e pedir por mais. Têm sido uns últimos anos, uma década, dramáticos, que seria completamente inútil e estúpido estar a perder tempo com assuntos menores. Pelo menos para já. O prazer de ver bom futebol impera!

Em Barcelos registou-se a melhor assistência da época para o clube Gilista. Foram mais de 9 mil adeptos, e arrisco, nesta matemática precisa do olhómetro que 90% eram Leões. A onda verde está em crescendo, normal, quando se ocupa o primeiro lugar, em contraste com uma época natalícia que já nos vaticinavam um qualquer credo que seria o nosso tormento. Uma vez mais, que sorriso enorme!

O Sporting entrou em campo para vencer. Sem margens para dúvida, a dizer a viva voz que vinha a casa do Gil Vicente, onde ninguém ainda tinha ganho, mostrar porque pratica um excelente futebol que lhe permite estar onde está. Os primeiros 15 minutos foram de total domínio, a antever o golo que aconteceu aos 18!

Pausa. Parágrafo. Montero!

Que contratação. Que sonho de jogador. Chegou do campeonato americano, que não é propriamente o mais fiável para se ter como referência, uma equipa que grande parte ouviu pela primeira vez quando assinou pelo Sporting, com um registo de golos que no Youtube faria corar qualquer ponta de lança que imaginássemos e no final…é ainda muito melhor. Não é só pelos golos que marca, é a inteligência dentro de campo, a forma como joga e faz jogar.

O Sporting fez tudo para ser feliz em Barcelos. Marcou cedo, fruto do seu domínio de jogo, mandou na partida, teve alguns calafrios e só não goleou porque o último passe esteve fracamente mau. Alguma displicência na execução das jogadas de ataque que, num dia normal, se teria transformado facilmente em golo.

Se Montero esteve endiabrado a fazer o que sabe, um golo em cada parte, e foi o melhor jogador em campo, André Martins só não o consegue porque esta coisa de fazer golos é sempre mais visível aos olhos de quem analisa. Mas o pequeno Leão ontem esteve em grande nível. A pressionar os jogadores contrários, a distribuir o ataque como gente grande, a comandar as tropas tentando algumas vezes finalizar de cabeça. De cabeça! (estou a sorrir)

A segunda parte trouxe um Gil Vicente mais atrevido, a acreditar que era possível evitar o que estava no guião do jogo. Até à expulsão de Pek's diria que ainda foi possível aos gilistas acreditar em algo, mas também porque do nosso lado facilitamos na marcação do segundo golo.

Que aconteceu e matou o jogo. Montero a finalizar de baliza aberta após jogada de Capel.

Até ao apito final do árbitro foi só controlar uma partida que vencemos com inteira justiça.

Não me canso de dizer que o Sporting em termos individuais pode não ser a melhor equipa dos 3 grandes, então no papel quase certeza que não é, principalmente nos relatórios e contas. Mas como equipa, onde os jogadores sabem perfeitamente em que espaço têm de se movimentar e quais as suas funções, somos actualmente a que estamos melhor. E isso foi conseguido, pelo menos aos olhos de quem está por fora, fruto do trabalho de treinador Leonardo Jardim!

Termino com o cântico que se ouviu na segunda parte em que se começa a acreditar num Sporting campeão. Claro que um clube como o nosso luta sempre para o título, lá está, no papel é sempre assim. É fácil dizê-lo, mas complicado de o conseguir. Aliás, esta liderança isolada acontece 9 anos depois da última. O Sporting vem da pior época da sua centenária existência, assumiram-se compromissos realistas para o nível que a equipa poderia produzir. Em Dezembro assumimos o primeiro lugar e já defrontamos os 2 rivais, e nem os vencemos. Acredito no título? Lá está, no papel é tão simples, claro que acredito. Mas sinceramente, só quero uma equipa, para já, que entre em campo com vontade de vencer cada jogo. E o próximo é sempre o mais importante!

Há dentro de cada um de nós, uma crença que cresce todos os dias. Saborear é a palavra de ordem. Deixem-me saborear cada momento e daqui a umas jornadas falamos a sério sobre este assunto!

2 comentários:

Leo Filo disse...

O SCP entrou bem, a dominar mas sem comprometer a consistência defensiva. Em suma, o futebol realista de LJ, o grande obreiro desta campanha.
Os adeptos estão entusiasmados e isso nota-se no acompanhamento da equipa, principalmente nos jogos fora de casa (os resultados e exibições ajudam muito a que isso aconteça).
Montero faz-me lembrar Raul, nos primeiros anos de carreira no RM. Sentido posicional, qualidade técnica, remate fácil e "sentido de baliza", tudo características que Raul tinha, tal como Montero tem.
André Martins tem sido muito importante, mas neste jogo realizou uma excelente exibição e "descobrimos" mais uma qualidade sua, o jogo de cabeça.
O Gil valorizou ainda mais a nossa vitória e, a jogar assim, não vão ser muitas as equipas a vencer esta equipa.
Venham os Belenenses, com o realismo habitual, sem esquecer que é uma equipa que já tirou pontos aos 2º e 3º classificados.

José Duarte disse...

LJ, o grande obreiro deste futebol.

BdC, o grande obreiro da mudança que se deu no Sporting e do novo rumo. Porque o LJ não caiu de para-quedas no Sporting, alguém o foi buscar.

Leo Filo... continua a aziar! Gosto de te ver assim.