domingo, 13 de abril de 2014

Sporting 2-0 Gil Vicente :: vitória natural!


Foi uma vitória justa num jogo totalmente controlado pelo Sporting. Marcámos a abrir e a fechar o encontro, dominámos sem qualquer problema a partida, o Gil Vicente não rematou à baliza de Rui Patrício, que nem precisava de ter subido ao relvado.

A música da Champions já se ouve em Alvalade. Está próximo o objectivo que muito poucos acreditavam. Quem diria que a 3 jornadas do fim, ainda tínhamos uma (remota) hipótese de lutar pelo título.

Foram a Alvalade 33 mil Leões. Rugiram o bem cedo com o golo de Slimani, após assistência de Carrillo. Ainda decorria o primeiro minuto de jogo.

Aproveito os 89 minutos de jogo que houve entre os dois golos para falar do Peruano. Não entendo como continua a ser assobiado o jovem jogador. Ontem, por exemplo, esteve nos dois golos. Os melhores lances da partida tiveram a sua intervenção. Façamos uma comparação com Capel, que teve mais um jogo mau. Aliás, desde praticamente a célebre época da ida à meia final da Liga Europa, onde o espanhol teve papel preponderante que nunca mais foi o mesmo.

Claro que se pode dizer que o Espanhol já fez fantásticos jogos, mas está claramente, pelo que me dá a entender à espera de uma possibilidade para sair.

Carrillo é o único jogador que alia técnica a uma capacidade criativa, explosiva, capaz de fazer a diferença contra qualquer adversário. Está a passar um período, na minha opinião, de crescimento, maturidade, de lhe colocarem a cabeça no local certo. Leonardo Jardim é o homem perfeito para isso.

Se em sua casa é constantemente assobiado, se não consegue a calma necessária para evoluir, mesmo que já esteja há 3 anos no Sporting, onde raio é que vai conseguir?

E chegamos ao minuto 90. Montero recebe a bola, endossa para Carrillo que coloca em Heldon para fechar a partida.

O Sporting venceu e aguarda calmamente pelos resultados dos seus mais directos adversários. Tem sido assim nos últimos tempos, aliás, estamos a 3 jogos de fechar o campeonato sem perder contra os chamados "pequenos". Dizem, que na nossa história apenas por uma vez o conseguimos. É a tal regularidade que é necessária para se fazerem campeões. Isso e vencer aos eternos rivais com maior regularidade.

A próxima época marca esse desígnio!

2 comentários:

Leo Filo disse...

Jogo fraco, o primeiro este ano em que os jogadores do sporting demonstraram sobranceria e falta de respeito pela equipa adversária, o que nos poderia ter custado caro.
WC fez o seu pior jogo (falhou quase todos os passes), Mané esteve muito mal, Capel contiua sem perceber que o objectivo do futebol é marcar golos e que para isso é preciso chegar à baliza contrária e não andar a fintar no meio campo agarrado à bola.
Salvou-se Rojo, está cada vez melhor e mais confiante, fez um grande jogo.
Carrillo teve os seus momentos brilhantes e os seus habituais apagões, principalmente no apoio em ações defensivas. Mas a magia e talento estão lá. Continua a saber jogar à bola mas a não saber jogar futebol e se assim continuar vai passar ao lado de uma grande carreira, como tantos...

António Gomes disse...

O "meu problema" e de muitos Sportinguistas com Carrillo é porque lhe reconhecem valor para muito mais... Ele faz o que faz, ou seja tem uma qualidade técnica enormíssima, mas pelo meio joga a passo e desinteressa-se facilmente das jogadas. E isto irrita..

Já o Capel não tem nem 1% da qualidade de Carrillo, mas nunca dá um lance por perdido. É uma carraça..

Mas o grande problema desta equipa não é um nem outro, é a falta de qualidade da maior parte dos jogadores na decisão do ultimo passe, especialmente nos centros para a área.

SL