domingo, 24 de agosto de 2014

Sporting 1-0 Arouca :: no banco estava a solução!


Arrancada a ferros uma vitória na noite em que Mané foi o homem do jogo. Vamos já ao jovem jogador, pois andavámos todos preocupados com o seu arranque de campeonato e com a pré-época que fez. Entrou na segunda parte, foi decisivo, não só pelo golo que marcou, como também pelos movimentos ofensivos que o clube passou a executar com maior rapidez e precisão.

É um caso clássico em que a pré-época de André Martins correu muito bem e abriu o apetite para finalmente passar a exibições seguras, e a de Mané não tão exuberante, mas nos 180 minutos que o campeonato 14/15 já leva, o jovem jogador já mais decisivo.

Mas a noite era de Nani. Pelo menos no plano teórico, na motivação de muitos para irem ao estádio, o que é pena, e já agora como termo de comparação foram mais 9 mil que na época passada no primeiro jogo em Alvalade, curiosamente também diante do Arouca.

Nani tem potencial, qualidade, é a par de Carrillo os extremos que mais me entusiasmam, mas não pode vir com o estatuto de estrela só porque vale 5,6 milhões de euros ano pagos pelo Manchester United.

O lance da grande penalidade não é aceitável, e a justificação de Marco Silva com "há hierarquia mas estava confiante", muito menos. O Sporting tem um jogador que marca grandes penalidades, e bem, falhou talvez uma nos tempos recentes e que me lembre, na última jornada da época passada num jogo a feijões, não havia razão para ser o Nani a fazê-lo, principalmente numa partida em que o resultado estava em branco e a dificuldade do Sporting em chegar ao golo era enorme. Falha grave e com este tipo de coisas não se brinca. Podia ter-nos custado os 3 pontos!

O Sporting na primeira parte praticamente não existiu. Teve 2 lances perigosos, com os mesmos protagonistas: Montero e Goicoechea. O azar de um foi a sorte do outro. O nulo não se alterou!

Ao 4x3x3 da primeira parte, enfadonho, Marco Silva mexeu tirando Rosell, que não esteve bem, colocando Carlos Mané. O esquema que passou para um 4x2x3x1 só não resultou efeito porque foi falhada a grande penalidade. Mais tarde, com a entrada de Tanaka, nova alteração no figurino táctico, um 4x1x3x2 com Carlos Mané a jogar e bem nas costas de Montero e Tanaka, e já com Capel em campo. Foi o abre-latas que permitiu o golo quando já o desespero dos adeptos era muito, mas irrepreensíveis no apoio à equipa.

Para quem andava a criticar Marco Silva porque em Coimbra não tinha soluções para alterar o curso do jogo, ontem, mesmo precisando de plano B e C, foi possível conseguir conquistar o mais importante, os 3 pontos. Evitou-se uma deslocação à Luz com apenas 2 pontos a 4 do Porto e quem sabe, à mesma distância do Benfica. Foi uma vitória fundamental!

Terminar com um elogio individual a Jefferson. Que jogador fantástico. Não aproveitar os cruzamentos que ele faz durante 90 minutos é também a explicação porque ontem sofremos tanto para vencer uma equipa completamente acessível. A rever com urgência!

Vencemos, com tanto ainda para melhorar. No domingo há mais, a ver se a semana é calma, com preocupações apenas para Marco Silva na constituição da equipa para o derby, na paz e silêncio da Academia!

2 comentários:

Pedro O. disse...

um relvado novamente miserável, uma equipa individual e colectivamente em sub-rendimento, não tenho a estatistica mas o numero de perdas de bola e passes errados é inacreditavel e muito mais grave que isso tudo: Marco Silva assumiu não ser o lider técnico do Sporting e isso é gravissimo para o futuro, o precedente aberto pode custar muito caro...

Bancada de Leão disse...

É incrível como continua o relvado de Alvalade.

O jogo foi fraco, mas fizemos o suficiente, principalmente na segunda parte para vencer.

Quanto a Marco Silva, ainda não consigo dizer com essa certeza se é ou não líder!