terça-feira, 9 de setembro de 2014

O dinheiro da SAD para o Clube pelo pavilhão!


No dia em que Marcos Rojo foi vendido ao Manchester United, o Sporting comunicou à CMVM, como era obrigado, e nesse mesmo documento acrescentou que pretendia afectar uma determinada verba à Missão Pavilhão. O comunicado está aqui.

Há alguns adeptos que se esquecem rapidamente das coisas, mas pode-se recordar uma parte importante do comunicado, "Com esta operação, o Conselho de Administração da Sporting SAD comunica que pretende afectar, em termos legais a definir, 9 milhões de euros à construção do Pavilhão do Sporting Clube de Portugal".


Com a prudência necessária todos questionámos, primeiro como seria com a Doyen, segundo de que forma o dinheiro iria passar da Sporting SAD para o Clube.


O Sporting ontem comunicou como serão disponibilizados 8,93M€ por parte da Sporting SAD para o Sporting clube sendo o destino a construção do pavilhão.

Não sendo expert em finanças, nem nada que se pareça, e apenas analisando a informação que dispomos, parece-me que o dinheiro da transferência de Rojo nada terá haver com esta afectação. Pelo menos de forma directa, já que a entrada de dinheiro de Rojo é na SAD.

Logo, o desfecho do "problema" entre Sporting e Doyen será, como sempre foi, algo para ser tratado pela SAD e que não afectará esta transação.

O Grupo Sporting, onde se inclui o Sporting clube, tem um dívida com a Sporting SAD, que foi apurado ser de 61,70M€. Este processo no âmbito na reestruturação financeira. Tratou o Grupo Sporting de um financiamento para este valor.

Entretanto apurou-se o real valor da dívida, não auditado, de 52,77M€. O diferencial, são os 8,93M€ que ficarão como dívida da Sporting SAD ao Sporting Clube e será esse valor utilizado na construção do pavilhão.

Financeira e legalmente encontrou-se um procedimento para que a SAD possa "transferir" os perto de 9 milhões de euros para o Sporting clube.

Claro que pode perguntar-se sempre, mas e a Doyen? A Doyen será sempre um problema da SAD e claro que é importante nós vencermos esse diferendo. Mas, nesta operação como o empréstimo já está aprovado pelas instituições financeiras, diria, que esse valor não provém da transferência de Rojo.

Tal como diz o comunicado, "tendo entretanto, sido aprovado pelos Bancos um empréstimo de médio/ longo prazo neste montante e para este efeito.". Ou seja, o diferencial será colocado à disposição da Missão Pavilhão.

2 comentários:

. disse...

Pedro,

Alguns comentários ao teu post:

- "Com a prudência necessária todos questionámos, primeiro como seria com a Doyen, segundo de que forma o dinheiro iria passar da Sporting SAD para o Clube.". Acho que há mais questoes que essas. Porque é que a SAD informa a CMVM, no âmbito da transferência do Rojo, o que pretende fazer ao dinheiro? Foi a primeira vez que o fez, coisa que me leva a concluir que nao é obrigatório. E menos tratando-se de uma finalidade lateral à sua actividade (nao disse que o dinheiro era para abater dívida, por exemplo).

- "Não sendo expert em finanças, nem nada que se pareça, e apenas analisando a informação que dispomos, parece-me que o dinheiro da transferência de Rojo nada terá haver com esta afectação. Pelo menos de forma directa, já que a entrada de dinheiro de Rojo é na SAD.". Pode nao ter nada a ver com a transferência mas nao é certamente pelo facto do dinheiro dar entrada na SAD: o dinheiro entra na SAD e o mesmo dinheiro sai da SAD para o clube, como dizia o primeiro comunicado. Se nao é assim, e a fonte do dinheiro é outra (o diferencial de dívida), porquê a mençao no caso de Rojo? E se por um lado há um comunicado a dizer que 9M€ da venda do Rojo vao para o pavilhao e por outro lado há um diferencial de dívida de 8,93M€, isto significa que o clube se comprometeu, em dois momentos diferentes, a dar 9M€, havendo portanto 18M€ que podem ser transferidos para a Missao Pavilhao?

- Para acrescentar outra pergunta: o cálculo deste diferencial de dívida resulta de dados nao auditados. Quando tiverem sido auditados, se houver uma discrepância em relaçao a estes valores, o que acontece ao financiamento do pavilhao?

Há ainda outra questao de fundo, só para fechar o conjunto de dúvidas que este comunicado oferece (a "Missao Pavilhao" e todo este assunto oferece muitas outras, a maioria das quais nao foram respondidas pelo clube): faz sentido a SAD investir num pavilhao do Sporting, assim sem mais? Que retorno ou que tipo de benefícios pensa ter a SAD deste investimento, como empresa que gere o futebol do clube? É uma doaçao? Em termos identitários, SAD e clube sao um só, mas em termos legais, económicos e estratégicos, nao sao. A SAD tem os seus problemas, o clube tem os seus. Se o clube nao encontra viabilidade suficiente no projecto ao ponto de instigar os seus associados - que já pagam quotas, que já gastam dinheiro no clube - a pagar integralmente um novo pavilhao (isto é, a pagar duas vezes, porque já contibuem para ele), descartando presumivelmente patrocinadores, venda de naming, exploraçao comercial, acordos bancários, etc; que viabilidade vê a SAD, sendo que ambas entidades sao dirigidas pela mesma direcçao?

um abraço e saudaçoes leoninas,
tiago

Paulo Guerra disse...

Ainda ficamos com 1 pavilhão para a troca.