quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Schalke 04 4-3 Sporting :: não nos deixaram fazer mais!

Orgulho, imenso orgulho neste Sporting de Marco Silva. Disse isto com 70 minutos decorridos de jogo, independentemente do resultado final. O Sporting, este Sporting que já tinha nos presenteado com uma excelente exibição no Dragão, mostrou uma garra imensa, enorme, sem nunca virar a cara à luta, lutando até ao final onde as forças permitiram e o árbitro deixou!

Não gosto de vitórias morais. Não as procuro, não me refugio nelas, não tenho falado dos árbitros esta época.

O Sporting apresentou-se ao mais alto nível na Alemanha, onde nunca venceu para as competições europeias. Começou a dominar o jogo, marcou um golo, colocou-se em vantagem. Foram 25 minutos de bom futebol, onde ficou demonstrado que tínhamos equipa, e futebol, para discutir os 3 pontos com a dupla Schalke 04 e as condutas de gás da Rússia.

Em poucos minutos a estratégia de Marco de Silva teve de ser repensada. Slimani lesionou-se, Maurício foi expulso e sofremos o golo do empate num lance que Patrício falhou. Com uma hora de jogo pela frente e apenas 10 jogadores tudo se complicou.

As complicações poderiam ter ficado pela inferioridade numérica, do nosso lado, mas agravaram-se pelo superioridade numérica que os alemães passaram a ter em campo. De um jogo controlado em que vencíamos por 1-0 de 11 contra 11 jogadores, passamos para uma igualdade no resultado e um jogo de 10 contra 14 "jogadores".

Foi duro e a agonia aumentou com início da segunda parte e o resultado em 3-1. Mas a equipa tem coração, não desiste e soube honrar a camisola que veste. Foi à procura do prejuízo e mesmo com 10 jogadores ficou a sensação que ainda nem tudo estava perdido. Adrien bisou, primeiro reduziu de grande penalidade e depois empatou o jogo de cabeça, gelando a Arena de Gelsenkirchen.

Um empate que poderia não ser um bom resultado pelo que o Sporting produziu nos primeiros 25 minutos, podia agora ser um escape das vicissitudes do jogo e das manhas que estavam a acontecer-nos e que ainda não tinham atingido o seu ponto mais alto.

Aos 93 minutos, um árbitro de baliza, ou lá como raio se chamam, que estava de frente para o lance que ditou a grande penalidade da vitória do Schalke, não quis ver de forma intencional que a bola não foi à mão de Jonathan Silva, elevando para um novo patamar o conhecimento de anatomia humana.

Perdemos, ninguém nos vai ressarcir dos prejuízos financeiras, mas ficou uma excelente imagem da prestação do Sporting.
O que se pode pedir em relação à nossa equipa? Encher Alvalade no próximo domingo!

Sem comentários: