domingo, 22 de fevereiro de 2015

Sporting 2-0 Gil Vicente :: obra de arte de Nani!


Não foi uma fantástica exibição do Sporting e voltamos a chegar ao intervalo sem marcar qualquer golo, ainda que desta vez, o árbitro foi o principal responsável para que isso acontecesse, não assinalando duas grandes penalidades claras, mas vencemos bem, com justiça e sem reboques!

Arrumemos já o tema da arbitragem com aquele lance na primeira parte, que, sinceramente, só acontece ao Sporting. Pelo menos cá em Portugal. William quer marcar o livre e Yazalde deliberadamente coloca-se na frente da mesma. O lance tem de ser repetido e amarelo ao jogador que fez a falta. O que aconteceu? O árbitro deixou seguir o jogo com um jogador do Gil Vicente isolado em frente a Patrício e que não deu golo por manifesta sorte e colocação do nosso guarda redes!

Ainda assim, o que produzimos na primeira parte era mais que suficiente para chegar ao intervalo a vencer. Uma pequena nota para André Martins no momento em que se discute a sua renovação. Apesar de ter começado bem a partida, com duas assistências, jogo interior a aproximar-se bem do ponta de lança que hoje era Tanaka, o problema é que rapidamente desapareceu de jogo. 

A segunda parte começa praticamente com Marco Silva a preparar duas substituições: Carrillo e Montero. Só que, de canto, verdade, marcamos a partir de um canto, Nani assiste Tanaka que de joelho coloca o Sporting a vencer. Delírio nas bancadas com mais de 42 mil em Alvalade!

Das duas substituições programadas, porque precisávamos rapidamente de chegar ao golo, como entretanto ele chegou, apenas Carrillo entrou e Montero sentou-se não chegando sequer a entrar em campo.

Segue-se o momento em que se faz a reflexão sobre Nani. Um jogador soberbo e, a par de Carrillo, aqueles que mais me entusiasmam. Acontece que o internacional português desde que se lesionou, e vinha a fazer uma grande época, está a demorar voltar a atingir o momento a que já nos tínhamos habituado. 

Marco Silva nunca teve a coragem de o colocar no banco. E sejamos justos, isso já deveria ter acontecido. Não quer dizer que a qualidade dele esteja em causa, nada disso.



Nani, que eu sinceramente pensei que iria ser substituído quando ainda estava 0-0, levantou o estádio com aquele que poderá bem ser o golo da época. Absolutamente  fantástico!

Nani rematou, marcou, correu e agradeceu aos céus e chorou. Poesia no relvado "fifty shades of green" de Alvalade. E um bilhete, ainda que de borla, vale bem por momentos como este!

Resultado feito, o Sporting ainda podia ter marcado mais um golo, entraram ainda Ryan Gauld e Capel.

Pedia, antes do início deste jogo 3 vitórias nos próximos 270 minutos. Já só faltam 180!

2 comentários:

Aboim disse...

Claro que estou de acordo que os dois golaços de hoje (nas duas ligas) são extraordinários e eu, que gosto imenso de ver jogar Nani (mais do que CR7)e que também joguei futebol, sei que esses golos nem sempre saiem! Felizmente que hoje saíram! Abstenho-me de comentar os erros de arbitragem sobretudo na Liga! Até no Trio de Ataque, que acabo de ver, todos estavam de acordo sobre os dois penalties sonegados ao Sporting! Quero colocar a ênfase no que ninguém vislumbrou (no Trio de Ataque) sobre o que aconteceu a Vitor Pereira na Grécia! Todos os gregos sabem bem qual foi o comportamento de Portugal no Eurogrupo e, também, os que estavam no estádio sabiam que o "supersticioso" Vitor Pereira é portugués! Aquí fica o esclarecimento!

Aboim disse...

Ai Miguel, Miguel! Creio que este é o nome do árbitro do derby portuense! Assisti ao jogo por un sinal em "livestream" chamado "iguides" com comentários em sul-americano! Mesmo antes que eles, os comentadores, o tivessem afirmado eu já tinha visto a pisadela (para nós voluntária) do Quaresma (seria o segundo amarelo) na mão de um jogador que tinha escorregado por acaso dentro da área como todos nós (os comentadores e eu) vimos aquela entrada mortal a pés juntos do Jackson sobre um jogador também do Boavista (par nós seria ROJADIRECTA-um site que vos aconselho!) Foi pena que o Trio de Ataque já tivesse sido ontem mas gostaria de ter ouvido as réplicas do Miguel Guedes que tanto se queixa! Seria caso, dessa hipotética vez mas com mais certeza, para dizer "ai Miguel, Miguel"!