sábado, 28 de março de 2015

Dois anos de Bruno de Carvalho :: breve reflexão!


Admito que ainda não li a entrevista do Presidente Bruno de Carvalho ao Record. Não preciso, embora compreenda, que alguém me recorde como estava o clube e como agora está. Também não quis escrever logo sobre o assunto. Achei interessante nestes últimos dias ler o que diziam os anti e rivais nesta demanda contra o Presidente e por inerência contra o clube.

Dois anos de Presidência permitem-nos fazer um balanço do que tem sido a revolução operada no clube. Obviamente, e outra coisas não seria de esperar, não fez tudo bem Bruno de Carvalho, mas, globalmente o papel como líder do Sporting Clube de Portugal tem sido muito positivo.

Fico contente que ele tenha assumido, pelo que vi nas "gordas", que o título de campeão nacional no futebol é o principal objectivo.

Quando decorreu o período eleitoral que levou Bruno de Carvalho à Presidência do Sporting, uma das minha preocupações foi ler os programas eleitorais, dele e de Peyroteo. Era importante que a avaliação que mais tarde fosse efectuada sobre qualquer que fosse o Presidente, tivesse como base o referido programa. Guardo os dois no computador e é sobre o programa de Bruno de Carvalho que vou tecer algumas considerações destes dois anos de mandato.

A página 4 do programa refere um "Sporting campeão". Uma promessa eleitoral, difícil de cumprir, mas que foi feita na campanha. Por isso, disse-o em cima, que fico contente que Bruno de Carvalho perceba, insista, que esse objectivo é fulcral para avaliação global do seu mandato. O primeiro ano da seu mandato foi um "ano zero", este segundo ano teve a premissa errada de Inácio ter falado pelo Presidente. A célebre expressão "pole position" foi infeliz. No entanto, o Sporting neste segundo ano tem ao seu alcance a Taça de Portugal, que, não sendo uma salvação da época, poderá fazer toda a diferença no regresso aos títulos do futebol.

Um Conselho Directivo que "onde o seu líder tenha consigo uma equipa que concilie a experiência e o dinamismo, que consiga modernizar o clube e fazê-lo regressar às conquistas que são suas por direito próprio".

Ninguém duvidará do papel importante que teve Bruno de Carvalho, bem como Carlos Vieira na reestruturação financeira. Aliás, ouvir falar o vice-presidente para a área financeira é um prazer e a forma séria e construtiva como aborda os assuntos tão delicados como as finanças, são, uma lufada de ar fresco quando comparado com as últimas direcções.

Apesar de não ser um fã de Vicente Moura, é um facto que as modalidades estão a regressar aos poucos ao lugar que merecem. O futsal, andebol, hóquei e atletismo são, obviamente, as de maior destaque. No hóquei um trabalho fantástico de Gilberto Borges, no andebol tudo ainda é possível para atingir o título de campeão nacional e o futsal vai viver um momento alto com a Final Four da UEFA Futsal Cup em Lisboa com 10 mil a assistir. O atletismo vive momentos conturbados, entre episódios muito positivos e descidas ao inferno que terão de ser rapidamente alteradas.

Mas, nas modalidades, entre muitas outras que elevam bem alto o nome do Sporting, a ginástica, a natação, o tiro e por aí fora, a grande conquista assinalou-se ontem com o lançamento da primeira pedra na construção do futuro Pavilhão João Rocha. As críticas, fáceis, preferiram ficar-se pelo "Doyen a quem doer" e pelas "ruas que já estavam aprovadas há 8 anos". De promessas está o inferno cheio e realidades é o que esta Direcção lançou ontem. E isso é que chateia a muitos, mesmo do Sporting!

No programa, a certa altura fala-se do Conselho Leonino, há promessas que criação de melhores condições, de actualização do seu regime, entre outras coisas mais. Gostava que esta Direcção levasse a AG o fim de Conselho que, sinceramente, não precisamos. O Sporting somos todos nós e não só alguns!

A reforma organizativa foi uma promessa inscrita no programa. Aconteceu, continua a ser efectuada todos os dias e ninguém tem dúvidas que o Organograma do actual do clube, que o conhecemos, é mais simples e fácil de entender. Pelo menos ele existe e é do conhecimento de todos ao contrário do que, por exemplo, a anterior Direcção andou a prometer e nunca mostrou.

Futebol e Academia é o tópico que se segue.

Não fomos, ainda, campeões no futebol. Já o disse em cima que é vital para o Sporting o regresso ao título mais importante e que foi promessa desta Direcção. As condições financeiras são as que conhecemos e que sabia esta Direcção que iriam ser as possíveis para voltar aos títulos. O Sporting com Leonardo andou perto, o de Marco, para já, está longe. O de Marco dos próximos 2 anos precisa de ter mais soluções e isso implica vender bem, realizar dinheiro e comprar ainda melhor. Menos quantidade, mais acerto e rigor. 

A Academia passou por momentos muito conturbados. A alteração na estrutura técnica do Sporting B e as críticas absolutamente execráveis que se fizeram a João de Deus, que, pelos vistos anda a esbofetear, alguns, de luva branca. O problema central são as camadas jovens, o que falhou nos juvenis, o que está a faltar nos juniores e o que será das futuras gerações.

Se por um lado, assegurar os actuais jovens potenciais para a equipa A, ainda ontem Wallyson renovou, tem sido um trabalho que só podemos louvar, na preparação das futuras gerações, diria que é o ponto principal de ataque. A alteração que foi efectuada na estrutura que comanda a Academia mostrou que a Direcção percebeu os erros que foram cometidos.

Depois segue-se Comunicação, Marca e Reputação.

Talvez a área onde o Sporting mais evoluiu. Na Comunicação, muitos centraram-se em críticas nos primeiros tempos ao Jornal do Sporting. Realmente a coisa não começou muito bem, mas foi-se alterando sucessivamente até estabilizar. O Jornal do Sporting continua a ser uma referência na informação aos adeptos do clube.

A Sporting TV existe. A Sporting TV está viva e recomenda-se. Hóquei, andebol, atletismo, natação, personalidades do universo Leonino apresentados pela Rita Matos que nos fazem ter orgulho do clube que somos. É amadora a estrutura? Sim, há ainda muito a melhorar, mas para este primeiro ano estão de parabéns.

A Marca Sporting é actualmente negociada de outra forma. O patrocínio dos equipamentos abriu as hostilidades. O Sporting passou a exigir outra respeito que há muito estava abandonado. A reputação resulta da imagem do próprio Sporting Clube de Portugal e essa está agora a ser muito mais respeitada por todos!

O ponto 40 do programa diz assim "Integração do Marketing com o Comercial". A Loja Verde ainda não é o nosso orgulho, mas está de longe melhor organizada. Hoje o Sporting vive melhores dias nesta integração entre dois departamentos tão importantes e vitais para o clube. As campanhas promocionais que se têm registado, em grande parte são sucessos comerciais. O que falta para que sejam ainda melhores? Títulos no futebol!

Sustentabilidade. 

O programa dizia que o Sporting "deve apostar numa estratégia de sustentabilidade que aproxime toda a estrutura empresa do clube a Sócios e parceiros", Diria que este é daqueles pontos que quando for feito o balanço final das proposta apresentadas vs cumpridas, terá a caixa de "efectuada" com um "x" a marcar o seu sucesso. Dois exemplos: os projectos de carácter social, a fundação por exemplo, e o reforço do estatuto de utilidade pública.

Expansão e Núcleos.

Há muito tempo que não via os núcleos do Sporting tão perto do clube. Como moro no Porto, apesar de ser sócio, as idas a Alvalade são mais reduzidas, mas quando se tratam de jogos cá para mim, tento não falhar nenhuma. A mobilização de núcleos de Braga, Famalicão, Aves, Matosinhos, do fantástico trabalho do Solar do Norte na venda dos bilhetes, da divulgação do clube, mostram que há finalmente uma ligação forte entre todos. No entanto, há muito a fazer e o ponto 93 do programa é o mais importante que deverá ser concluído até ao final do mandato, a "Consolidação do ideal Sportinguista".

Globalmente a actuação deste Presidente e da sua Direcção nestes dois anos tem sido muito positiva e o que escrevo atrás reflecte-o bem. Termino no entanto com aquilo que gostaria que Bruno de Carvalho alterasse no curto prazo.

A forma de comunicar que se relevou em alguns casos um desastre, a entrada de um responsável de comunicação de elevado gabarito parece já mostrar os primeiros resultados. Espero que se mantenha.

Que acabasse com o programa "Hora do Presidente" na Sporting TV. 

Que fosse menos adepto, em alguns casos, onde ser Presidente é o mais importante!

Que não coloque os objectivos pessoais no centro do seu trabalho. O seu amor pelo clube é evidente, mas não é necessário misturar "ego" com "liderança do clube".

Que por vezes ouça mais os que estão à sua volta e que desejam que o Sporting seja tão grande como os maiores da Europa, mas que não ouve porque apenas consegue ouvir a sua voz!

Por fim, e porque só poderia terminar assim, que continue a acreditar ser possível recolocar o Sporting no lugar onde merece, o primeiro. Os ódios que estão criados contra si desde que é candidato não vão desaparecer, e ele precisa de ganhar forças nesses ódios para continuar a trabalhar e bem em prol do Sporting!

Viva o Sporting Clube de Portugal!

1 comentário:

Aboim disse...

Para uma "breve" reflexão confesso que já vi coisas mais breves! Li-a completamente e não tenho de que discordar. Eu nunca tinha ouvido falar de Bruno de Carvalho antes de ele ter sido eleito Presidente do Sporting. Uma coisa que prova que ele tem sido sobretudo bom para o Sporting foram as declarações de Guedes e Gobern no Trio de Ataque de hoje que, esse sim, foi mais breve que de costume! Eles começam a confessar que o temem! Quanto à nossa selecção o jogo de hoje não me agradou muito e até temo pelo futuro! Basta dizer que os dois golos de Portugal seriam defendidos pelo Rui Patrício (que também dá frangos de quando em vez) sendo que o golo dos sérvios não estou a ver quem o defendesse! Pergunto-me por que razão Fernando Santos leva tantos "velhos" à selecção podendo acontecer que alguns nem cheguem com frescura a França!