sexta-feira, 6 de março de 2015

Nacional 2-2 Sporting :: a 90 minutos do Jamor!


Um empate nunca pode ser um resultado positivo, como disse o comentador da Sport TV no final do jogo na Choupana. Certo que as condições em que o jogo terminou, jogámos com 10, não eram as mais favoráveis, mas somos também responsáveis pelo que aconteceu e como aconteceu.

Mas vamos ao que mais interessa num jogo de futebol e neste tipo de desafios. O adversário, a equipa de Manuel Machado, entrou no jogo para disputar taco a taco com o Sporting. Solta, sem preocupações defensivas, é verdade, a equipa do Nacional encontrou em Marco Matias, Lucas João e Luís Aurélio um tridente ofensivo capaz de colocar em sentido uma equipa Leonina alterada, tendo por base os últimos 11 apresentados.

E se na primeira parte não se viram golos, na segunda foram quatro e mais um par de boas ocasiões. O Sporting que com 11 em campo não foi dominador, encontrou na expulsão de Miguel Lopes, injusta, ânimo e força para daqui a um mês, que vergonha esta organização da Taça pela FPF, poder dar um decisivo passo em direcção ao Jamor.



O que gostei do jogo de ontem, Mané e a sua "queda" para a Madeira. Voltou a marcar ao Nacional, no campeonato tinha sido o responsável pelos 3 pontos. Do golo de Tobias e da forma como o jovem jogador aos poucos vai cimentando a sua posição no eixo da defesa do Sporting. Da entrada de Adrien que contrastou com o melhor período do Sporting e que resultou na melhor jogada do encontro e da forma como Miguel Lopes protestou a injusta expulsão, como disse ele na rede social Instagram, "um Leão só baixa a cabeça para beijar o símbolo"!

Não gostei da apatia de Marco Silva, e ontem ficou provado mais que demora a mexer na equipa, e se há adversários em que quando olhamos para o banco do Sporting percebemos que não é fácil agitar o jogo, desta vez, não era uma questão de olhar para o banco, mas pensar que em Lisboa ficaram Gauld ou Wallyson que certamente poderiam ser mais activos que André Martins e até que o cansado e desgastado João Mário, que merecia, certamente algum descanso.

Claro que não gostei do "frango" de Rui Patrício. O guarda redes foi enigmático na forma como tentou justificar o que acabou por fazer, sinceramente, acabou por fazer pior e não tem que dizer nada sobre o falhanço. Da mesma forma que Tobias, batido no segundo golo do Nacional de forma infantil, não veio justificar a sua acção. Mas já sabemos que os guarda redes têm os holofotes apontados de forma diferente.

Por fim, não gostei que Bruno de Carvalho tivesse almoçado com a certos elementos da Direcção do Nacional. Compreendo que a Margarida Camacho, presidente do Nacional não tenha culpa disso e que as relações devem ser boas entre as instituições, mas no mesmo espaço estar o Presidente Honorário Rui Alves, alguém que contribuiu e muito para a degradação do futebol nacional!

Três dias é o que o Sporting tem para descansar e recuperar a equipa na sua plenitude para o próximo desafio, em Alvalade, perante o Penafiel!

Sem comentários: