terça-feira, 3 de março de 2015

Paulo Pereira Cristóvão não é o Sporting!


Um ponto prévio antes de uma pequena nota sobre o que hoje se fala deste caso. Quando Paulo Pereira Cristóvão se candidatou contra José Eduardo Bettencourt, fui apoiante do JEB, no entanto, devo reconhecer que, quando morámos tão longe de Alvalade por vezes é complicado conhecer-se melhor as pessoas. O que sabia de PPC era pouco e na altura, apesar de perceber que nunca iria ganhar as eleições, gostei do que ouvi. Enganado nunca me senti, mas não escondo o que penso em cada momento.

Concretamente sobre o que hoje se ouve e lê, começar por dizer que o Sporting "despediu-o" imediatamente a se ter percebido que por iniciativa própria e até de uma forma pouco assertiva, meteu-se em trabalhos que são característicos de outras paragens que não o Sporting Clube de Portugal.

A atitude do Sporting foi exemplar e deixa, ao denunciar a situação, pelo menos na forma como foi tratada, os adeptos estão de consciência tranquila. Estaremos sempre tristes por ver o nome do clube misturado com estes episódios que em nada tem a ver connosco.

Quanto ao chefe da claque que está envolvido neste episódio, da sua vida pessoal nada tenho a ver com isso. 

Posto isto, o PPC já agora, antes de vice presidente do Sporting já era conhecido pelo que fez como inspector, como comentador de televisão de certos casos, da Maddie e por aí fora, não queira a comunicação social fazer passar algo que não é real.

Que sigam os trâmites legais e que depois o Sporting tome as medidas que achar necessárias!

2 comentários:

Aboim disse...

Cá estou eu outra vez! Se eu, por alguma razão oculta, tivesse um dia dado início a um blog afirmando-me só ser sportinguista e nada mais, talvez não tivesse invocado o caso do PPC de que tanto se fala desde hoje! Lamento que ele seja a pessoa que é (e já o demonstrou em variadíssimas circunstancias) e não consigo acreditar que a sua escolha clubística tivesse influenciado o seu comportamento que já lhe estava no ADN! Relembrando uma canção de Gérard Lenormand (Si j'étais président) diría que se eu fosse presidente de seja o que for, incluindo nelas a da República, eu não teria a força de o excluir por simples convite ou imposição! O próprio PR de Portugal, mesmo sem o exprimir claramente, deve ter vergonha de apoiar um cidadão (pouco perfeito) que foge aos impostos como o Diabo da cruz! É claro que toda a gente pouco honesta tem telhados de vidro e Viva o Sporting que também os tem (infelizmente).

Bancada de Leão disse...

O importante aqui é que o Sporting nunca esteja ao lado deste tipo de acções e se demarque de forma bem vincada delas.