segunda-feira, 10 de agosto de 2015

Uma vitória muito saborosa!

foto: Gualter Fatia

Em Maio conquistámos a segunda mais importante competição em Portugal, num regresso aos títulos, ontem a foi a vez da terceira. Para a primeira ainda há muito trabalho pela frente, mas ter o "cérebro" pode ajudar,

A semana que antecedeu o derby foi diferente do que estamos habituados a ver no Sporting. O treinador Leonino, Jorge Jesus, assumiu claramente a necessidade de vencer, de forma pouco habitual. Sabemos que um clube como o Sporting luta sempre para vencer títulos, mas desta vez e até um pouco em demasia para o que estou habituado a ouvir, JJ não deixou margens para dúvidas. De tal forma, que apenas podia vencer...ou vencer. A pressão estava do seu lado e isso, às tantas, foi o tónico que ele precisava!

Ficou tudo à espera do desfecho do jogo para perceber se esta supertaça ia ser a vitória ou derrota do cérebro. Foi, sem dúvida, uma vitória do cérebro, de alguém que, saiu magoado do rival, que ainda está longe de ter esquecido a forma como terá sido tratado e que, a ver pelo final com Jonas, as coisas do outro lado também custam e muito. E não deixa de ser irónico que tenha sido um jogador que foi Jorge Jesus que o colocou a jogar, a ficar tão incomodado. Mas isso serão contas que não nos interessa e espero que JJ tenha colocado um ponto final e que o foco seja só e apenas o Sporting. Vá, pronto, e alguns "mind games" em vésperas de jogo com o rival!

Não faço a mínima ideia do que vai acontecer daqui para a frente e como vamos terminar em Maio, mas o que vi ontem, em campo, nos primeiros 90 minutos oficiais do Sporting,  foi um trabalho de pouco mais de 5 semanas de Jorge Jesus em que vi um Sporting dominador. Os primeiros 56 minutos de jogo foram marcados por uma supremacia, que,  claramente, nos valeu o golo da vantagem e da vitória. Aliás, o golo chegou a aparecer mais cedo, mas mal invalidado por Jorge Sousa (tal como mais tarde uma grande penalidade não assinalada contra nós).

No tempo de Jorge Jesus, no Benfica e contra nós, apenas por uma vez me lembro de ver o Benfica encostado às cordas, foi em Alvalade e que acabou 1-1 com o golo deles no minuto 90. Ontem, no Sporting, vi uma defesa subida e pressionante, um meio campo a recuperar bolas como já não se via há muito, ataques, ora pela direita, ora pela esquerda com uma intensidade pouco vista em Alvalade e uma equipa, dentro do possível, entrosada e com vontade e garra para vencer. 

Não vou entrar em análises particulares, mas não posso deixar de destacar a brilhante exibição de João Mário. Já poucas dúvidas restavam quanto à qualidade do nosso jovem jogador, com Jorge Jesus estou muito curioso para ver até onde vai chegar a genialidade do português número 17 que, apesar da tenra idade, parece já estar na alta roda do futebol há muitos anos. Ontem, para mim, foi o melhor em campo!

Claro que a vitória é saborosa e que uma segunda feira de manhã sabe sempre melhor com um título no bolso, especialmente contra o rival. É que esta semana que terminou, andaram, muitos, do outro lado da circular a dizer que estávamos muito confiantes e cheios de bazófia. Essa falácia ontem caiu por terra, venceu quem mais jogou e, especialmente, quem nesta altura da época estava melhor preparado. Lá está, isto nos derbys não vence quem está pior, lá vai acontecendo de vez em quando, mas ontem, venceu quem foi melhor, o Sporting!

1 comentário:

Aboim Serodio disse...

Apesar de sportinguista convicto fui dos que não se prestaram a comentarios excessivos! Achei a vitoria sobre o Benfica normal sobretudo porque assisti ao jogo pela RTPi! Hoje vi o Barça-Sevilla e, como culé que também sou, achei a vitoria normal! Não vejo razão nenhuma que me impeça de ser sportinguista e culé em simultâneo! Confesso que não compreendo as razões que levam boa parte dos portugueses a serem Madrilistas! Da mesma maneira que o primeiro golo do Teo contra o Benfica foi um golo legal, o primeiro, assim como o segundo dos dois terceiros golos do Barça foram legais! No fundo chego a dizer que seria tempo que os portugueses esqueçam as suas clubites doentias e aprendam a ver futebol!