domingo, 6 de setembro de 2015

Apontamentos sobre a entrevista de Jorge Jesus


Da entrevista serena e muito directa de Jorge Jesus ao jornal Record de hoje, ficam alguns apontamentos, que na minha opinião merecem destaque.

Espero sinceramente que seja o final da história Benfica e de Jorge Jesus. Fecha-se um capítulo, diria que até se chega a falar demais do antigo clube de JJ. Se foi para fechar esse tal ciclo, óptimo. Foram 6 anos no rival, que eu espero, sinceramente que no Sporting se consigam repetir. E se os resultados forem os mesmo, era muito bom,

O Porto tentou contratar duas vezes Jorge Jesus. JJ deixou duas vezes o repórter sem resposta, mas são mais que conhecidas as tentativas do Porto em conseguir, aquele que para Pinto da Costa, é o melhor treinador em Portugal (e dos melhores da Europa).

Jorge Jesus não será um treinador barato. O salário dele é público. Aceitou a proposta do Sporting na hora depois de ter ao Presidente Bruno de Carvalho que "você sabe o que ganho, faça-me uma proposta". Se contratar Jorge Jesus implica que não entrem 2 jogadores (e se dispensem outros tantos), para um orçamento é tudo o mesmo. Bem o nosso treinador a explicar o que muitos parecem não querer perceber.

Durante dias e dias a seguir à vitória do Sporting na Supertaça apenas se falou do episódio de Jonas. A comunicação social durante esse período poderia ter falado do bonito gesto de Jorge Jesus não ter ido receber a medalha, numa atitude de respeito para com o anterior clube. Fez bem em recordar isso mostrando que houve cordialidade. Da mesma forma que quando se referiu a Rui Vitória foi tudo uma estratégia para que ele alterasse a equipa para esse jogo. O que aconteceu e com claros benefícios para o Sporting.

Por fim, para finalizar o assunto Benfica, sem papas na língua, Jorge Jesus diz que o episódio do salário que o anterior clube não lhe pagou, nada tem a ver com a realidade que o acusam, tem a certeza que o vai receber e que foi apenas uma forma de João Gabriel e Paulo Gonçalves puderem dizer que o antigo treinador colocou o Benfica em tribunal (que já aconteceu).

O tema do video árbitro que tem estado muito em voga, é bem aceite por JJ e contextualizou com um "eu, enquanto treinador, também utilizo meios audiovisuais que me ajudam no meu trabalho". Tão simples!

Engraçado que Jorge Jesus acha que os erros de arbitragem da Liga Portuguesa nestas primeiras jornadas são casuais, ao contrário do que aconteceu na Liga dos Campeões. 

Apesar de falhar a presença na Liga dos Campeões, que tanto queria, mas que a prioridade é o campeonato, agradece aos jogadores por estas primeiras 8 semanas no clube. O Sporting conseguiu fazer excelentes jogos em tão curto espaço tempo.

Ontem, no twitter, questionava o porquê de Labyad não jogar no Sporting, mesmo sabendo que nunca tinha convencido os 2 anteriores treinadores. Hoje, JJ diz que a decisão que tomou em relação a ele, e a Capel, foi tomada com base em factos e do trabalho desses jogadores com ele. Respondeu às minhas dúvidas!

Dos novos jogadores, Ruiz já estava tratado, todos os outros passaram por ele. O Sporting deu-lhe tudo o que financeiramente podia dar, em questões de novos jogadores, e quando não podia dar, não deu, como foi com Douglas.

Percebe-se que a relação com Bruno de Carvalho vive ainda o período de lua de mel, mas não deixou de reforçar algo que muitos de nós sabemos e vemos acontecer, mas que muitos outros, no nosso clube, continuam sem ver, "ele morre pelo Sporting, não tenho dúvidas". Já agora, acrescento eu, outros Presidentes quase mataram o Sporting.

Não tem dúvidas, JJ, que as SMS, os problemas que se falaram entre ele e o Presidente do Sporting são contra informação lançada pelo Benfica, aliás, já acontecia com ele no anterior clube.

Quanto ao título, claro que JJ não é um menino de coro e sabe bem como dizer as coisas. Está consciente que pode ser campeão, assumiu o risco para quebrar com o discurso dos 2 anteriores treinadores, mas defende-se com a estrutura que o Porto tem com 30 anos e a do Benfica com 6, para dizer que a do Sporting é nova para estas aventuras. Mas não esconde que as suas equipas são mais fortes na segunda volta, não pode o Sporting chegar ao Natal a 7 pontos do primeiro lugar e que vai lutar até à ultima jornada.

Uma nota final para a relação com os adeptos e as claques do Sporting. Tal como acontecia no passado, o Sporting joga (quase) sempre em casa e que os jogadores, quando jogam para a "baliza grande", como o repórter referiu, numa alusão ao que se passava no Estádio da Luz, fazem-no com mais intensidade para marcar golos. Baliza grande? Não, obrigado. É Vítor Damas!

1 comentário:

David Pereira disse...

Boa tarde sportinguistas!

Passem pelo meu blogue e leiam o meu artigo onde me debruço sobre o mandato Godinho Lopes ao nível do futebol, com o título 'E se as bolas de Llorente e Marinho não tivessem entrado?'

http://davidjosepereira.blogspot.pt/2015/09/e-se-as-bolas-de-llorente-e-marinho-nao.html

Depois deixam o vosso comentário, dizendo o que concordam e o que discordam.


Abraço