domingo, 27 de setembro de 2015

Boavista 0-0 Sporting :: incapacidade nas teias do anti-jogo.


É um problema do futebol português jogar-se pouco tempo útil e ontem, na segunda parte principalmente, quando o Boavista percebeu que o árbitro estaria, de certa forma, a deixar praticar o anti-jogo com frequência, apostou com sucesso nesta táctica. Funcionou. Em 45 minutos, jogaaram-se 10, 15 minutos, e foram dados 4 minutos de descontos.

Mas, não é aceitável que o Sporting culpe o árbitro, a falta de visão do Boavista ou até a falta de qualidade, quando em 90 minutos criou pouquíssimas oportunidades claras para marcar um golo. Mas já lá vamos.

O empate do Porto na vésperas levou ainda mais gente ao Bessa para assistir ao possível ataque à liderança isolada. Nesse particular, foram 90 minutos e mais uns trocos, a acreditar que o Sporting poderia levar a vitória de um jogo fraco. Não foi possível, mas os adeptos, os que têm estado nos estádios continuam a mostrar que o clube está acima de qualquer individualidade!

Jorge Jesus que na véspera tinha dado indicações que Montero ainda não estava apto para ser primeira solução, acabou por fazer bluff e colocou o colombiano a titular. O problema é que o "Avioncito" voltou a não corresponder quando é chamado ao 11 principal. 

Depois...bem, sabíamos do problema do lado direito da defesa. João Pereira está muito longe do que já vimos fazer noutras temporadas, nem defende, nem ataca bem, e Jefferson, do outro lado, parece estar a ser contagiado. É um problema quando as laterais estão com um desempenho tão fraco que não permite compactar a defesa e não ajuda as saídas para o ataque e criar dificuldades, não foi o caso de ontem, perante adversários com extremos rápidos.

O treinador é JJ e é ele é que manda, mas será que Ruiz está na melhor posição em campo? Até que ponto não seria mais vantajoso para o Sporting que ele deambulasse mais para o centro do terreno resolvendo alguns dos problemas que tivemos e que continuamos a ter, e que já foi solução noutros jogos e de forma muito positiva. Não há quem comande o nosso jogo ofensivo e isso é preocupante. Apesar, na minha opinião, da boa exibição de Adrien.

Ficamos todos contentes com o regresso de Sir William. A recuperação finalmente terminou, o jogador estará praticamente apto e pronto para ajudar o Sporting. Mas, quando o jogo precisaria de um abanão táctico, veja-se que o Boavista na segunda parte não rematou à baliza de Patrício, procurávamos uma solução alternativa ao misto de anti-jogo e "park the bus" do Boavista, e colocámos um médio defensivo? Com que sentido? 

É que o Sporting, que já pouco rematava, apesar da preponderância ofensiva, deixou praticamente de criar perigo para a baliza adversária. Deixámos de ser criativos e naquela altura era preciso que o Jorge Jesus tirasse um "coelho da cartola". Não o fez, apenas evitou que o Boavista tivesse no pensamento a possibilidade de ainda pensar no golo, e não fomos capazes de terminar o jogo, na área do Boavista, num aperto final onde, incompreensivelmente, não conseguindo marcar com lances dentro da área, não houve ninguém capaz de fazer remates de fora dela quando há jogadores para isso.


Não culpemos o Artur Soares Dias sem antes olharmos para o nosso jogo e percebermos que, apesar do domínio, fizemos muito pouco do ponto de vista atacante para conseguir um golo. Que até entrou e terá sido bem anulado, naquele que terá sido o único lance onde a bola chegou bem a Slimani. 

E termino com o argelino, que na minha opinião está a evoluir muito, mas que ontem, não por culpa dele, mais por desespero certamente, foi, consecutivamente buscar o jogo, em alguns casos quase ao meio campo, outras vezes às laterais mais muito recuado, o que leva a questionar onde estão os restantes jogadores neste esquema? Depois quem é que finaliza os lances?

Olhemos seriamente para alguns equívocos tácticos que estão a surgir nos últimos jogos, porque não podemos continuar a desperdiçar pontos preciosos numa luta que queremos que seja pelo título nacional!

Sem comentários: