terça-feira, 22 de setembro de 2015

Sporting 1-0 Nacional :: sofrer...muito!

foto: Carlos Rodrigues

Foi uma vitória tanto sofrida quanto justa, a lembrar o jogo contra o Paços de Ferreira em Alvalade, que não sendo um exibição de alto nível foi, pelo menos, avassaladora como demonstram os números. A posse de bola nos 79%, 83 ataques, 22 remates dos quais 8 enquadrados, 86% de eficácia de passe, 10 cantos e uma arbitragem fraca com erros graves para os dois lados.

Preferirei sempre o resultado em vez da exibição. No futebol, no campeonato, queremos os 3 pontos. Queremos bons jogos? Claro, sempre que possível, até porque isso nos poderá dar mais garantias para os jogos futuros. Mas prefiro estar em 1º, ainda que em ex-aequo com 13 pontos, que em 6º como no ano passado a 4 pontos do líder. Sendo certo que ainda é muito cedo para grandes conclusões.

Como tinha dito na semana passada, Jorge Jesus não tem que falar sempre sobre todos os assuntos, e o caso Carrillo era evidente que era um deles. Disse que foi uma opção técnica, quando ficou de fora diante dos russos, ontem percebeu-se que há uma decisão vinda da direcção, ainda que com o seu acordo também, para que o peruano fique de fora. Foi lapidar quando disse, "Como treinador, estou aqui para defender os interesses do Sporting. Tudo o que o presidente achar, estou aqui para defender".

Por diversas vezes tenho referido que sou um fã do futebol do Carrillo, considero-o um excelente jogador, dos melhores do plantel, mas ninguém, absolutamente ninguém está acima do Sporting Clube de Portugal. Não há acordo para a renovação, supostamente o pai de Carrillo até vem realçar que não será por dinheiro, o que é estranho, e se, como alguns dizem, é por causa do Presidente, bem meu caro Carrillo, o Presidente em dois anos e meio já mostrou muito mais que tu nos primeiros dois anos e meio que chegaste a Portugal e ainda tinhas tanto para mostrar e quase ninguém te conhecia. Passemos à frente porque o que já disse sobre o jogador está aqui no blog e não mudo um vírgula!

Quem aproveita a ocasião é Gelson. Mais uma vez, Jorge Jesus a ser importante na abordagem à exibição do jogador dizendo que este ainda não sabe jogar para a equipa mas que vai aprender. Como a dizer "tenham lá calma, deixem-no crescer". E Mané, que entrou na segunda parte e Montero que marca pela segunda vez consecutiva também quiseram dizer presentes. O que me leva ao seguinte.

Ruiz e Teo são duas cartas fora do baralho neste momento. Assuma-se sem receios. Não são maus jogadores, não há falha nenhuma na sua contratação, até porque seria estúpido fazer já avaliações precoces, mas é evidente que são jogadores que não estão a contribuir o necessário. Porque continuar a apostar neles quando as substituições são quase sempre as mesmas e com resultados positivos?

Tenho-o o dito, por diversas vezes, que Jorge Jesus é que sabe disto,  eu só sou treinador de bancada, mas parece-me evidente que a oportunidade dada aos suplentes que entram e desequilibram o jogo é mais que justa. A ver o que os treinos durante a semana trazem de novo para um jogo muito complicado no fim de semana.

A nível particular quero referir Slimani. O jogador argelino é um guerreiro dentro de campo. A raça, o empenho que coloca em cada acção durante os 90 minutos é absolutamente digna de um jogador que veste a camisola verde e branca. Mas o mais curioso, foi observar ontem, um conjunto de lances onde o Slimani com a sua técnica mais aperfeiçoada, embora não sendo o seu forte, teve alguns apontamentos de excelente nível, quer a receber a bola, de costas para a baliza, nalgumas situações de um para um e no passe a desmarcar os companheiros. Não marcou é certo, mas lutou muito pela vitória e isso é inegável.

O Sporting venceu, terceira consecutiva, na sexta feira o bastião de Sportinguismo a norte, o Solar do Norte faz 25 anos e festeja-o com a relevância que o momento precisa, no sábado vamos todos ao Bessa em busca da quarta.

Uma nota final para alguns, muito poucos, adeptos que vão para Alvalade assobiar durante os 90 minutos os jogadores do Sporting e sabe-se lá mais o quê. Estão no seu direito de não gostar da exibição, de algum jogador em particular, mas deixem isso para o final do jogo. A nossa casa sempre foi conhecida por impulsionar os jogadores para a vitória e são jogos como o de ontem que a equipa precisa de todos. Já sabemos que eles ganham muito e todos fazemos esforços financeiros para lá estar. Sabemos disso tudo, mas também sabemos da importância que é estar no estádio durante os 90 minutos a acreditar que o nosso clube vai conseguir os 3 pontos. Ontem foi um desses momentos!


Sem comentários: