sábado, 24 de outubro de 2015

E agora Vítor Pereira?


Já o tinha referido por diversas vezes, mais que a forma interessa-me a mensagem. De Bruno de Carvalho, da mensagem, já referi tudo o que tinha para dizer neste texto. Continua-se a assobiar para o lado, principalmente os que estão a vencer, não há a capacidade para ver para além do que é necessário para renovar o futebol português.

Vítor Pereira em Janeiro de 2010 falava em "críticas justificadas à arbitragem nacional".  Na altura, procurava renovar o seu lugar no CA. Não mais se preocupou com esse pormenor tão importante das críticas à arbitragem.

Não se esqueçam que foi Vítor Pereira que nomeou Duarte Gomes para o Porto - Sporting, duas semanas após a agressão deste árbitro ao nosso preparador físico em Alvalade e que, a Comissão Disciplinar da Liga considerou que "Duarte Gomes até demonstrou comportamento ilícito mas salientando que se verificou causa de exclusão de culpa."

Um Vítor Pereira que nada disse na célebre final da Taça da Liga do Sporting contra o Benfica, para mais tarde numa outra, lá veio falar de uma grande penalidade que não foi marcada a favor do Benfica, não sendo coerente.

Vítor Pereira tem andado calado nestes últimos 5 anos. O que diz é apenas de ocasião. Consegue passar por entre os pingos da chuva, quer evitar a tempestade usando a velha máxima, "não falar nada, que tudo acabará por ser esquecido".

Na final da Taça de Portugal criou um inimigo. Inimigo esse que parece disposto a tudo, mesmo que a entrevista de hoje seja um trabalho encomendado. 

Mais uma vez sejamos coerentes, esqueçamos a forma, foquemo-nos na mensagem. Investigue-se o Vítor Pereira e demais casos, como se investigaram o Apito Dourado ou, sim, fale-se apesar de tudo, do caso Cardinal. Investigue-se tudo, sem mácula e sem perdão.

Será caso para dizer que Bruno de Carvalho não é o problema, virem-se para a podridão do futebol nacional!

Sem comentários: