segunda-feira, 26 de outubro de 2015

Uma vitória de Jorge Jesus!


Uma das formas que tem sido utilizada para desvalorizar o trabalho de Jorge Jesus é comparar as equipas do Sporting, ano para ano, especialmente com a época passada de Marco Silva.

A vitória na Supertaça, não constituindo surpresa, é um jogo único e portanto, contou pouco. Depois seguiram-se os jogos do campeonato, intermitentes em termos exibicionais, interrompidos por uma eliminação da Liga dos Campeões, que todos sabemos bem porquê, que serviram sempre para colocar em causa o trabalho que vinha sendo construído e nem o facto de conseguirmos chegar ao primeiro lugar era suficiente para acalmar as hostes.

Para mim o surreal foi sair de Vila do Conde, onde vencemos, depois de sofrer desnecessariamente, contra um Rio Ave que soube ser incómodo, estar no primeiro lugar e ver Sportinguistas a falar mal do treinador e da forma como a equipa joga(va). Na altura disse e volto a reafirmar, prefiro sempre a vitória, os 3 pontos. à qualidade de jogo que a equipa apresenta.

Falhámos o assalto ao primeiro lugar isolado no Bessa e com isso, as críticas continuaram, e o que eu acho que muitos ainda não perceberam, é que mesmo não estando a praticar um futebol absolutamente fantástico, a atitude dos jogadores em campo é completamente diferente e este "olhar nos olhos" do adversário é uma marca inequívoca de Jorge Jesus no Sporting 15/16. 

Olhando para o jogo em Alvalade, na época passada, onde estrondosamente empatámos a um golo com o Benfica de Jorge Jesus, vejamos as diferenças entre o 11 titular, o anterior e o actual:

Guarda Redes
Patrício
Patrício

Defesas
Cédric, Paulo Oliveira, Tobias e Jefferson
João Pereira, Paulo Oliveira, Naldo, Jefferson

Meio campo
William, João Mário, Adrien, Nani e Carrillo
William, João Mário, Adrien, Ruiz

Ataque
Montero
Slimani e Teo

Como é fácil constatar a diferença não é assim tão significativa como querem, por vezes, fazer crer.
Teo e Ruiz são as novidades, Carrillo e Nani as saídas, Montero em troca por Slimani, Tobias por Naldo. O que visto de uma lógica global é quase...ela por ela.

Isto para dizer o quê? Que até aceito que a equipa do Sporting, no global, contando com os 25 que William e bem refere, tem mais soluções e será importante no médio/longo prazo, mas no 11 que Jorge Jesus tem apresentado, o trabalho do treinador tem sido vital para os resultados que têm aparecido: nas rotinas de jogo, na forma como os extremos abordam o seu posicionamento táctico e o que devem ou não fazer, no controlo de jogo a meio campo e na posse de bola controlada com forte pendor atacante e, acima de tudo, na atitude e na capacidade que os jogadores acreditam ter para desequilibrar o adversário.

O Sporting não ganhou nada mais que 3 pontos, e em última análise será em Maio a avaliação que contará para todos nós, mas é bom que se valorize de uma vez por todas o trabalho de Jorge Jesus e a sua capacidade para transformar equipas, porque afinal de contas, o que fizemos foi trocar um treinador competente e com um grande futuro pela frente, por um com provas dadas e que é, actualmente, o melhor treinador Português.

3 comentários:

Mike Portugal disse...

E mais, o ano passado tinhas Montero a jogar mais vezes e para mim continua a ser um melhor jogador que Teo. Tinhas Nani e Carrillo a jogar que são melhores que Ruiz e J.Mário, Mané ou Gelson nas alas. Em termos de valores individuais o ano passado jogamos com melhores, mas a diferença de treinador é tão grande que nem é comparável.

Sérgio disse...

Varela tenho ideia que o Slimani era o titular assim como foi o Naby Sarr nesse jogo na Luz.

Bancada de Leão disse...

Não Sérgio, podes confirmar aqui
http://www.zerozero.pt/jogo.php?id=3597315

O Slimani nem convocado estava, se não me engano estava lesionado.