sábado, 17 de outubro de 2015

Vilafranquense 0-4 Sporting :: seguir em frente na Taça!

foto: Twitter Somos Sporting

Regressou o futebol, Taça de Portugal, regressou o Sporting e mais uma vitória. Tão natural como previsível diante de um adversário muito inferior. 

Jorge Jesus fez as alterações necessárias tendo em vista os próximos dois desafios de elevada importância. A meio da semana para a Liga Europa, no fim de semana diante do eterno rival para a Liga Portuguesa.

As alterações mais interessantes de seguir foram a inclusão de Matheus Pereira, Bruno Paulista e Ewerton no 11 titular. Os dois primeiros opções de futuro, o central a mostrar que vem para lutar com Paulo Oliveira e Naldo por um lugar na base do Sporting de JJ.

Matheus Pereira foi a figura do jogo a marcar dois golos numa estreia muito feliz com a camisola Stromp do Sporting. O vencedor da eliminatória cedo ficou decidido, pois aos aos 17 minutos o Sporting já vencia por 2-0.

A terminar a primeira parte, Bruno Paulista, que tanto tem dado que falar, mais pela sua transferência que, ainda, pelo desempenho em campo, elevou o marcador para 3-0 após canto marcado por Aquilani.

A segunda parte foi um passeio, o Vilafranquense chegou pela primeira vez com perigo à baliza de Boeck quando passavam 64 minutos do início de jogo. Num momento, diga-se, caricato do comentador da SportTV a pedir golo, "é agora, é agora...Boeck defende!"

O Sporting encerrou as contas aos 75 minutos com um golo de Gelson Martins.

Uma curiosidade, os 4 golos do Sporting foram marcados por 1 jovem jogador de 19 anos e 2 de 20 anos. Dos três, dois são da formação. Foram golos com 19,67 anos de idade. Nada mau para a formação que o Jorge Jesus ia destruir.

Para terminar fica a nota para a alteração do campo. O Vilafranquense se jogasse em casa poderia colocar 2.000 adeptos no seu estádio. As condições para filmar o jogo podiam não ser as melhores, mas eram possíveis, como foram nos anos 80, 90 e por aí fora em tantos outros campos de pelados a relvados com peão. 

A festa da Taça ganharia muito mais se os seus adeptos não tivesse de fazer 120 km (ida e volta) para ver o clube da terra. No campo do Estoril estiveram 2.800 adeptos, os bilhetes foram puxados, 11 e 15 euros, com o Sporting a ter dois jogos importantes logo de seguida e os adeptos a escolherem os que pretendem ver.

É pena que, nestes casos, se continue preocupado com as receitas que o Sporting não deu, quando são os próprios dirigentes que não se preocupam em valorizar o espectáculo como ele deveria ser valorizado. Hoje a festa da Taça foi desvirtuada e os tomba gigantes, assim, têm a sua tarefa bem mais complicada, mas sempre dá para ficar com os cofre mais cheios!

Sem comentários: