domingo, 6 de dezembro de 2015

Marítimo 0-1 Sporting :: ao colo de Adrien!

foto: Rui Silva/AFP

O jogo na Madeira tinha uma importância ainda maior pois o Sporting entrava em jogo ultrapassado na classificação pelo Porto. Se a vitória já só podia ser o único resultado possível para nós, era fundamental ver como iria reagir a equipa depois de uma semana inteira a discutir-se a grande penalidade do Tonel.

Reagiu bem, a vitória do Sporting nos Barreiros é justa, a segunda parte mostrou uma equipa dominadora após uns primeiros 45 minutos passivos e onde o Marítimo chegou a ameaçar com alguma frequência a baliza do Sporting.

Vamos primeiro a dois factos importantíssimos que surgem com este jogo. Primeiro, estamos há 2 meses sem sofrer golos para a Liga Portuguesa. O último aconteceu a 4 de Outubro na goleada ao Vitória SC por 5-1. É impressionante e uma melhoria considerável face aos últimos anos. Como bem sabemos uma equipa constrói-se a partir de trás, esta coesão defensiva, mesmo com as alterações que vão sendo naturais na defesa, tem sem dúvida um grande obreiro: Rui Patrício. Ontem demonstrando, claramente, porque é o melhor guarda redes do campeonato nacional.

Segundo, as vitórias. Vencer, vencer e vão 6 vitórias consecutivas para o campeonato. Não são goleadas como alguns esperam, mas são fantásticos jogos de 1-0 que garantem 3 pontos e uma confiança incrível à equipa que acredita ser sempre possível vencer.

A grande questão no jogo de ontem, além da importância de Slimani na equipa que ontem cumpriu castigo, era perceber se o Sporting sob pressão como iria encarar a partida face à necessidade de vencer para regressar à liderança.

A primeira parte foi muito idêntica a alguns dos últimos jogos da nossa equipa. Pouca acutilância ofensiva, deixar o adversário ter bola, não pressionar e rematar muito pouco. As oportunidades de golo foram escassas, embora a melhor tenha sido nossa por Ruíz. Mas fica sempre a sensação que o Sporting desperdiçou uma parte do jogo.




Mas no recomeço da segunda, certamente depois de ouvirem o que Jorge Jesus tinha para alterar, a equipa entrou com outra dinâmica. A posse de bola inverteu-se, passamos a dominar o jogo, as oportunidades foram aumentado e sempre para o nosso lado. E neste contexto, sem dúvida que o mais significativo foi chegar ao golo bem cedo. Aos 53 minutos, numa jogada absolutamente fantástica com João Mário a assistir Adrien que não perdoou e fixou aquele que iria ser o resultado final.

O Sporting passou um teste dificílimo, porque vencer nos Barreiros é sempre complicado, e estava em causa a liderança e continuar a nossa caminhada em primeiro lugar numa altura em que tantos associam a uma tradição histórica em que, normalmente, falhamos.

São estes "colinhos", como a imagem demonstra, que nos vão sabendo muitíssimo bem. Em cada campo que vamos passando, a vitória é sofrida, numa batalha até ao apito final mas sempre saborosa pelo dever cumprido.

Na quinta, com equipa B ou não, a tendência de vitória é para manter e depois logo pensaremos no Moreirense, que por vias das dúvidas não jogam com Iuri nem Palhinha, não vão falhar grandes penalidades ou cometê-las contra nós para não aparecerem os aziados do costume.

Por fim, não menos importante, dedicar a vitória ao Carlos Pereira!

Sem comentários: