quinta-feira, 3 de dezembro de 2015

Negócio NOS e Benfica :: algumas notas


Do que conhecemos do negócio entre NOS e Benfica, os primeiros três anos assegurados por perto de 120 milhões que incluem direitos de transmissão dos jogos na Luz mais a distribuição em exclusivo da BTV, sendo que o prazo poderá alargar-se até 10 anos com um valor total de 400 milhões de euros, não tenho dúvidas em dizer que é um bom negócio.

A rivalidade não nos pode cegar ao ponto de dizer que, só são mais 3 milhões por ano em relação à última oferta, o passivo é grande eles não vão receber nada e por aí fora. É bom, ponto final, mas não deve isso preocupar-nos.

Uma das alterações no paradigma actual do Sporting com a entrada de Bruno de Carvalho para Presidente, é a forma como os Sportinguistas olham para o clube. O Sporting primeiro, o que os outros fazem podemos analisar, compreender, não nos diz respeito, se for tudo feito dentro da legalidade, podemos até usar em nosso proveito.

A centralização dos direitos televisivos era uma miragem em Portugal e vai continuar a sê-lo. O Benfica quando avançou para a BTV, suportado nos bons resultados desportivos conseguidos, estava a preparar o terreno para atingir um acordo muito satisfatório como o que acabou por ser anunciado.

O Sporting não tem vencido, pelo menos o campeonato. Os direitos estão na SportTV até 17/18, cabe-nos trabalhar fora e dentro de campo para que em breve possamos fazer um contrato desta natureza de acordo com os padrões do clube. O que nos faz falta, essencialmente, é vencer o campeonato e com alguma regularidade. Convençam-se disso!

A NOS precisava urgentemente recuperar algum do domínio no universo futebolístico, a MEO sofre agora grandes alterações devido à entrada da Altice, Sporting e Porto irão certamente avançar para que possam em breve conseguir bons contratos, falta perceber se há mercado para todos e se os valores chegarão ao que se pretendem dadas as diferenças em termos de resultados desportivos que um e outro clube irão conseguir.

Há, no entanto, quem possa estar a perder o comboio porque não conseguem juntar-se por forma a ter mais poder, os pequenos clubes. Tal como há dias falei deles nos casos de arbitragem, este dos direitos é também uma oportunidade perdida. A Liga sem eles não tem valor, não os vejo preocupados, pelo que tenho lido, em conseguir algo mais pela sua importância. Talvez fosse vital para a sua actuação que percebessem como é feito lá fora e tirassem ilações para que pudessem negociar com outra convicção tomando outro tipo de posições. Vejo-os muito apáticos!

Se dentro de campo a Liga Portuguesa já estava ao rubro, a guerra das televisões, que só agora começou, poderá ter desenvolvimentos muito interessantes de acompanhar.

Por fim, embora não tenha confirmado, quantos campeonatos têm um patrocinador da Liga Portuguesa que é também patrocinador, mesmo que indirectamente, de um clube que todos os anos luta pelo título?

2 comentários:

Grelo disse...

Infelizmente tenho período de fidelização ativo até abril, mas depois é trocar de operadora, e todos deviam fazer o mesmo.

Unknown disse...

Boicote à NOS para os obrigar a negociar com o Sporting (e Porto)