quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

A Doyen não terá dito a verdade no comunicado do Rojo!



Comunicado da Doyen Sports a 13 de Agosto de 2014, aqui, e que no meio de tanto blá, blá, blá, dizia o seguinte no ponto 6 referente a Marcos Rojo:

"6. A Doyen não interfere, nunca interferiu nem pretende interferir em nenhum clube, nem na tomada de qualquer decisão. Os contratos da empresa são transparentes, claros e, contrariamente a outros concorrentes, defendem a total independência dos clubes na tomada de decisões."

Ora, hoje, fruto dos leaks que já falei no post anterior, podemos afirmar que a Doyen, nesse comunicado, não terá dito a verdade. Vejamos algumas partes do SMS e comparemos:

SMS (parte I)
"Mais ainda que fique claro que o Sporting não está em condições de exigir nada, aqui só se trata de informar se aceite vender ou não e para caso há obrigações e formas de resolver."

O Sporting não está em condições de exigir nada. Como é? A Doyen não defende a total independência dos clubes na tomada de decisões. Afinal, podia ou não o Sporting ter uma palavra a dizer?

SMS (parte II)
"não há margens para loucuras porque os contratos são muito claros e inquestionáveis por muito que pensem o contrário"

Portanto, os contratos são inquestionáveis, mas a Doyen defende que não pretender interferir em nenhum clube? Confuso!

SMS (parte III)
"Caso contrário o extremismo vai lhe sair muito caro."

Vamos lá voltar ao início, a Doyen diz que não interfere, nunca interferiu nem pretende interferir em nenhum clube. Mas pelo sim, pelo não, vejam lá se fazem como nós queremos senão...vai sair caro ao clube.
Pensei que a "Doyen orgulha-se de investir, colaborar e manter boas relações com imensos clubes ", como diz no comunicado.

Se calhar tivemos azar!

Sem comentários: