domingo, 24 de janeiro de 2016

Paços de Ferreira 1-3 Sporting :: na mata uma exibição Real!


Uma vitória inquestionável do Sporting que apresentou durante 90 minutos um futebol sólido, dominante, sem deixar margem para dúvidas quanto ao desfecho do marcador.

Mas vamos recuar um pouco. A Liga Portuguesa não quer tratar bem os adeptos que se deslocam aos estádios. Continua a ser vergonhoso marcar os jogos para horários tão tardios e sem necessidade. Para a semana volta a acontecer o mesmo ao Sporting. O argumento deles, provavelmente, será aquele que estamos habituados, o estádio esgotou e um outro que não dizem, a televisão é que manda. É um facto que a casa do Paços de Ferreira encheu, algo que era de esperar até porque recebia ao líder do campeonato, mas não se percebe a necessidade de marcar um jogo para as 20h45. Não se pensa nos que vão de fora e que depois ainda têm deslocações de várias horas para chegar a casa.



Mas não ficamos por aqui. Acredito que ir 45 minutos antes para a porta do Estádio Capital do Móvel é aceitável para entrar e ver o jogo a horas. Erro meu. E não sou novato nestas andanças. Uma espera exagerada, em filas desorganizadas e com uma polícia em modo ditadura a não saber respeitar os adeptos de futebol. E assim, paguei bilhete e apenas vi 75 minutos de jogo!

Na minha opinião este jogo diante do Paços era absolutamente vital para perceber de que fibra é feito o Sporting nesta luta pelo título.Vínhamos de um jogo em que desperdiçaram 2 pontos em casa contra uma das piores equipas do campeonato, pelo meio da semana, ao contrário de enviar a equipa B, foram alguns jogadores importantes e com possibilidade de titularidade até Portimão fazer um péssimo jogo e para apimentar todo este cenário, o Benfica que jogava antes de nós, com a vitória, que acabou por acontecer, passava para primeiro lugar.

A resposta do Sporting foi excelente!

Jorge Jesus apostou no 11 tradicional desde que o ano mudou. Bruno César tem sido titular, Patrício regressava depois de castigo cumprido e todos esperávamos que William Carvalho pudesse jogar o que nos tinha habituado para que Slimani resolvesse.

Assim foi. O Sporting dominou o jogo, posse de bola perto dos 70% na primeira parte, Adrien o motor da equipa, a bola a viajar de uma ponta do campo à outra e iam sucedendo-se as oportunidades. Mas, ao contrário daqueles jogos que pareciam destinados a oferecer 45 minutos ao adversário, ontem, o Sporting estava confiante e foi com naturalidade que Bruno César abriu o marcador com uma assistência notável de Slimani.

A segunda parte começa com o mesmo sentido de jogo, agora com uma vantagem enorme de jogar em direcção à "Curva Sul" que estava em Paços. Apoio incrível dos adeptos do Sporting que viu, naquela baliza, mais dois golos.




O 2-0 marcado por Slimani com um gesto técnico perfeito a colocar a bola pelo meios das pernas de Marafona. Tudo isto após uma assistência excepcional de João Mário, num passe com mais de 35 metros. O argelino no seu estilo inconfundível e exuberante veio festejar com a família leonina!

O Paços não conseguia sair da teia montada pelo Sporting. Não tinha rematado à baliza de Patrício, que se mantinha um espectador atento, e só aos 83 minutos, num lance fortuito, conseguiu de alguma forma iludir a defesa do Sporting e reduzir para um golo de diferença o marcador. Injusto e não acabou por ter o efeito desejado para os minutos finais que restavam da partida.

O Sporting não estava para brincadeiras e no minuto seguinte, João Mário recupera uma bola perto da área do Paços de Ferreira, corre em direcção à baliza e assiste na perfeição Slimani para este bisar e fechar o resultado.

Uma vitória sem espinhas, numa partida de bom nível do Sporting em que o vencedor nunca esteve em causa e como disse JJ no flash-interview, carregada às costas por Adrien Silva, que voltou, em termos individuais a rubricar mais uma excelente exibição naquela que está a ser a sua melhor época ao serviço do Sporting.

Em frente Sporting!

Sem comentários: