sábado, 12 de março de 2016

Estoril 1-2 Sporting :: voltou Slimani!

foto via Sporting Adeptos

Jogo complicado que o Sporting tinha na Amoreira diante de um Estoril moralizado que vinha de duas vitórias em que marcou 6 golos. Por outro lado, todos sabíamos que o Sporting tinha a difícil missão de recuperar do choque que foi a derrota perante o eterno rival, em casa, e a consequente perda da liderança no campeonato nacional.

O Sporting venceu sem deixar margem para dúvidas, ainda que no final, o Estoril tenha acreditado ser possível chegar ao empate, e o comentador da Sport TV também, tantos foram os guinchos, o que seria tremendamente injusto para o que a nossa equipa produziu ao longo dos 90 minutos.

Começámos pelos adeptos que encheram o António Coimbra da Mota. Os bilhetes voaram em Alvalade e à falta do ingresso que permitia ver o jogo, nas bilheteiras do Estoril foram os leões a procurar, em grande parte, pela oportunidade de ver a nossa equipa de volta aos relvados e às vitórias.

Foram 90 minutos de completa união, cânticos, animação, que, obviamente, não será estranho tendo em conta o bom campeonato que se vem fazendo. Bem, admito que os criadores dos panfletos, porventura, não concordem. Bem tentaram, mas acabaram por sair cabisbaixos.

Claramente o Sporting não tem problemas em jogar fora de Alvalade. Por diversas vezes tenho dito que, tirando os jogos com os grandes, e um ou outro caso, no nosso estádio há partidas que se complicam de uma forma absolutamente trágica. Fora de Alvalade o domínio, em alguns casos, chega a ser avassalador. Mais recentemente, em Paços, Guimarães e mesmo hoje em pelo menos 75 minutos, o Sporting dominou por completo o seu adversário. A questão fulcral está, e provavelmente estará, sempre na eficácia. Falhamos muitos golos que em situações normais resolveriam bem cedo a questão dos três pontos.

Por falar em golos, Slimani voltou. Estas semanas de jejum do Argelino têm sido complicadas, ora porque o castigo não sai, ora porque o quinta amarelo não aparece, ora porque podia falhar o derby e isso notou-se no seu rendimento. Hoje esteve eficaz, a prestação em campo mostrou a forma absolutamente incrível como evoluiu enquanto jogador no Sporting nestes últimos anos.

O primeiro golo é de uma qualidade notável, aquele movimento de um pé para o outro que termina com um remate colocado sem hipóteses para Kieszek, foi o ponto alto deste jogo. O segundo golo é um clássico de cabeça que já nos habitou há muito tempo.

Volto, claro, à eficácia. Pela falta dela na segunda parte é que sofremos desnecessariamente naqueles minutos finais. Tivemos uma mão cheia de oportunidades para marcar o terceiro golo, nunca matámos a partida, sofremos de canto um golo estranho com o ponta de lança deles completamente sozinho e ainda houve tempo para Patrício brilhar. Mas o vencedor estava encontrado e o Sporting fazia uma curta viagem de regresso com os essencial conquistado: os três pontos!

A luta continua mas só porque o outro é perigoso.

Em frente Sporting!

Sem comentários: