quinta-feira, 5 de maio de 2016

Fala o Sporting, o Benfica e até o Porto!


O Sporting no passado sábado venceu no Dragão. Por momentos, nos últimos jogos, inverteu-se uma tendência completamente negativa e a vitória representou feitos que já não se verificavam há 40 anos.

Foi um grande jogo do clube, numa exibição personalizada, com o apoio incrível dos seus adeptos e que trouxe ânimo para estes últimos dois jogos que ainda há pela frente para tentar a difícil conquista do título de campeão nacional.

O que faz o Jornal do Sporting?

Nem uma referência sobre o jogo. Mas o que mais me irrita são as três referências ao eterno rival depois desta vitória. Passámos ao lado de uma importante vitória, para falar dos "eles", "alguns" e "rival", tudo referências ao Benfica.

Se já no passado sábado tinha ficado chateado pela importância que alguns adeptos deram às palavras de Pinto de Costa, sinceramente, eu não quero complacência desse senhor e até fico agoniado só de pensar nas palavras que ele proferiu relativamente ao Sporting ser superior ao Benfica. Ele não elogiou o Sporting, ele quis aproveitar-se do Sporting para dar mais uma bicada ao Benfica, não se iludam.

Não quer dizer com isto que não devemos falar do rival. Claro que devemos e vou aproveitar para dar uma opinião sobre os últimos bate-bocas.

Obviamente, que fomos nós a abrir as hostilidades.

Obviamente, que na minha opinião, o Presidente do Sporting dá (e deu) muita importância a certos assuntos, quando deveria ter deixado para outros.

Obviamente, que o Benfica não está calado e isso é uma ilusão. A célebre "estrutura" para ficar bem na figura tem um conjunto de peões que fazem o "trabalho sujo". O suficiente para eles poderem dizer "no Sporting falam os dirigentes, no Benfica não fala ninguém".

Claro que é mentira. O Benfica fala e muito!

Vejamos.

Gabriel abre as hostilidades, depois seguem-se Gobern e Diamantino, a seguir o Rui Gomes da Silva, José Eduardo Moniz e Pedro Guerra. Isto só para lembrar alguns, podíamos ainda referir o Jaime Antunes ou o Figueiredo.

A questão, tal como já disse em tempos, é que eles foram mais inteligentes, deixaram durante muito tempo o Presidente do Sporting a falar sozinho, ou a dar a entender que falava sozinho. Soltaram até à exaustão o célebre "nós não falamos", este soltaram, foi via alguma comunicação social conivente, depois os resultados desportivos ajudaram e passaram para primeiro lugar e a partir daí, os lacaios do costume intensificaram as críticas.

Portanto, o Benfica fala e muito!

Sem comentários: