quinta-feira, 4 de agosto de 2016

Os títulos que o Sporting reclama!



O Sporting no texto que publicou no seu site relativamente aos títulos de campeão nacional diz "A História não pode ser apagada". Realmente é um facto, mas a história pode e deve ser bem contada. É aqui que reside o problema e entendo, na minha opinião, que não reclamámos da melhor forma.

Em 1907/1908 inicia-se o Campeonato de Lisboa com o Sporting a conquistar o segundo lugar. Em 1914/15 conquistámos o primeiro Campeonato de Lisboa, num ano em que o defeso é marcado pela contratação de Artur José Pereira ao Benfica. Até que chegamos à época 1921/1922 com a realização do I Campeonato de Portugal.

O Campeonato de Portugal foi organizado pela União Portuguesa de Futebol e tinha como principal objectivo reunir em torneio por eliminatórias os diversos campeões regionais.

Estas duas competições, Campeonato de Lisboa e Campeonato de Portugal, foram-se realizando até à época de 1934/35, sendo que o Campeonato de Portugal, em alguns anos não se realizou.

Neste ano é criada a I Liga (e II Liga) que pretendia agrupar os primeiros classificados dos diversos regionais. Na altura, cito o Almanaque do Sporting, "Segundo Ricardo Ornellas, essa figura ímpar do jornalismo desportivo português, a ideia surgiu logo após a história derrota (0-9) frente à Espanha, numa das eliminatórias para o Mundial de 1934, que provou à evidência a nossa falta de estruturas, lacuna essa que principiava logo pela forma regional com que os clubes abalançavam ano a no. Era necessário, pois, atrevemo-nos à realização de uma prova de envergadura nacional"

Portanto, em 1934/35 tínhamos o Campeonato de Lisboa, o Campeonato de Portugal e a I Liga.

Manteve-se até 1938/39, altura em que o Campeonato de Portugal dá lugar à Taça de Portugal. O espírito dos dois torneios eram completamente diferentes, a única semelhança era o facto de se realizarem eliminatórias em ambas as provas. Mas, com toda a naturalidade a I Liga passava a ser reconhecida como Campeonato Nacional.

Em 1947/48 já não se realizaria o Campeonato de Lisboa e o futebol nacional passava a ter apenas a I Divisão e a Taça de Portugal.

Esta foi sempre a história que conheci, as datas não as sabendo de cabeça foram suportadas em literatura que existe e está disponível a todos. Pode estar errada, mas foi sempre assim que a conheci!

O Sporting tem todo o direito de contestar a história dos Campeonatos Nacionais, do Campeonato de Portugal e a sua passagem a Taça de Portugal. Pode e deve contestar se acha que tem razão. 

Eu não concordo com o timing, parece-me, olhando para os números actuais que há uma tentativa de evitar que o Benfica, o rival, possa vir a conseguir em 2017 o dobro dos títulos que actualmente temos ou que eram reconhecidos.

É aqui que não concordo com o modo como tudo isto foi feito. Bem sei que as estruturas em Portugal valem o que valem, mas, há entidades que são responsáveis pela organização das diferentes competições. Na minha óptica, o Sporting deveria reclamar a quem de direito, provavelmente até o terá feito, e deveria ser essa entidade, a Federação Portuguesa de Futebol e/ou a Liga Portuguesa que deveriam explicar se aceitam ou não a reclamação do clube, até porque se a história estiver do lado do Sporting, há outros clubes que também passam a ter novos títulos no seu palmarés.

O Sporting não pode querer ter a razão contando apenas o seu lado da história, mesmo que tenha razão. 

Assumiu-se, lançou-se o 23º título, mas sinceramente é tudo ainda muito dúbio. E quando assim é, tem de haver um esclarecimento cabal que já deveria ter acontecido pelas estruturas que regem o futebol nacional. E o Sporting deveria ter puxado por esse esclarecimento no dia em que apresentou o seu lado da história.

Independentemente de tudo isto, eu quero é que o Sporting seja campeão nacional, seja o 19º ou 23º!

1 comentário:

Constantino disse...

Caro,

Como benfiquista, posso ter a minha visão do assunto algo enviesada (admito isso), mas não vejo razão ao SCP nesta reclamação. Há muitos factos que retiram a razão ao Sporting, mas vou-me apenas basear num físico e visível a olho nú, inclusive no Museu do Sporting: a taça entregue ao vencedor da Taça de Portugal é igual à taça entregue ao vencedor do Campeonato de Portugal.

A reclamação do Sporting, envenena-se a si própria pela questão do número de campeonatos nacionais que o SLB pode alcançar no final da presente temporada. Não fosse isso e o Sporting estaria a solicitar à FPF o reconhecimento do Campeonato de Portugal como antecessor da Taça de Portugal, conforme a I Liga é considerada antecessora do Campeonato Nacional. Caso fosse esta a solicitação do Sporting, até eu lhes dava razão e penso que todos os clubes também o fariam.

Abraço.