terça-feira, 18 de outubro de 2016

Sporting 1-2 Borussia de Dortmund :: primeira parte para esquecer!

foto: Franciso Leong

Nesta competição, onde o nível de concentração deve ser máximo, onde os erros se pagam caro e não se pode facilitar, não podemos num jogo tão importante, dar quase uma parte de avanço ao adversário. O Sporting só se pode queixar de si por não ter conseguido, pelo menos, o empate!

Vamos já directamente às mexidas de Jorge Jesus. O meu 11 para esta noite só diferia do que entrou em campo no lado direito da defesa, João pereira era titular. Portanto, não entendo que as escolhas de Jorge Jesus estejam erradas. E os maus 35 minutos que a equipa fez na primeira parte, logo a seguir ao primeiro golo de Aubameyang, não foram de exclusiva responsabilidade de Elias ou Markovic. Semedo não esteve bem nesse lance, precisa de mais ginásio, William não esteve bem no segundo golo sofrido, Bryan Ruiz apagado, Marvin e Schelotto intermitentes...Elias defensivamente uma nulidade. Foi a equipa do Sporting, que dos 10 minutos de jogo aos 45 esteve mal. E o Dortmund aproveitou!

A primeira parte começou bem e nos primeiros 10 minutos o Sporting mostrou-se confiante e com vontade de atacar a baliza adversário com intensidade. Gelson dava os primeiros sinais, Bas Dost era apanhado num lance duvidoso, que as repetições que a UEFA mostrou não permitiram perceber se era ou não grande penalidade a nosso favor. No contra ataque surge o golo do Borussia de Dortmund, Aubameyang muito forte sobre Semedo e com muita calma bateu Patrício.

O período crítico do jogo desta noite, como disse em cima, foram os 35 minutos seguintes. Em parte facilmente explicados por Elias não ser Adrien, e defensivamente muito mal, Markovic a não soltar a bola nem a pegar no jogo atrás, na transição para o ataque, nos extremos apenas Gelson mostrava alguns sinais de inconformismo, faltava quem pensasses o nosso jogo.

O Sporting não tinha bola, apenas 43% de posse contra 57%, e na precisão dos passes a desigualdade era de 67% para quase 80% do Dortmund. E quando parecia que poderíamos regressar ao jogo, Elias falha o empate antes dos alemães chegarem ao 2-0.

Tudo corria mal, o Sporting ainda marcou um golo antes de terminar a primeira parte, anulado porque o guarda redes Bürki, na pequena área, foi contra Bas Dost.

A segunda parte abre com uma trivela de Gelson. Ficava o aviso!

O Sporting entrou mais agressivo e a dar sinais de querer, pelo menos, chegar ao empate. O problema é que até aos 60 minutos apenas conseguimos equilibrar e pressionar um pouco mais o Borussia de Dortmund, mas as oportunidades escasseavam.

Até que aos 66', já com Bruno César em campo, depois de um atraso para o guardião do Dortmund e onde o árbitro assinalou livre indirecto, um livre estudado permitiu ao Sporting marcar o golo. William assistiu e Bruno César impecavelmente colocou a bola no fundo da baliza.

Depois...bem, depois assobiou-se ao Markovic, não percebo como se passa da euforia do aeroporto aos assobios que hoje se ouviram aquando da sua substituição e fica já a pergunta, se ele não tivesse jogado no Benfica será que assobiavam na mesma e com tanta intensidade?

O Sporting foi três golos feitos num curto espaço de tempo. A este nível não se pode desperdiçar desta forma.

Alvalade, com 46.609 espectadores, viu o Borussia de Dortmund fazer anti-jogo. Não contava e por isso fico ainda mais chateado pelos 35 minutos que demos de avanço na primeira parte. Reforço que há jogadores que têm de render muito mais, caso contrário, o banco continua a ser um bom local para ver os jogos.

Posso (continuar a) sonhar com a vitória na Alemanha no Westfalenstadion?

Se não formos nós a acreditar, quem será?

1 comentário:

Pedro O. disse...

2 notas em relação ao post:

- Não alinho em erros individuais, o erro maior está na evidente falta de preparação para este jogo em que tacticamente foram cometidos um churrilho de equivocos. Se calhar na TV a coisa não fica tão visivel, mas no estádio foi evidente a brutal deficiencia da equipa na forma como tentou anular o meio-campo do Dortmund, onde um miudo de 21 anos chamado Julien Weigl mostrou que nestas coisas é preciso fazer trabalho de casa para termos argumentos que nos façam ter superioridade sobre o adversário.

- Markovic não foi assobiado (com toda a justiça dada a sua desastrosa actuação e falta de compromisso) quando saiu por ter jogado no slb, mas seguramente que a ridicula recepção no aeroporto se deveu a ter jogado no slb, o que comprova que a sua aquisição não teve por base um critério desportivo, mas sim uma resposta ao episodio Carillo e à eternização da guerra com o rival, materializada ontem com mais as inoportunas declarações de BdC em dia decisivo de Champions a propósito de questões que não são nossas e que não nos devem tirar o sono.