segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

Moreirense 2-3 Sporting :: assustadoramente eficaz!


Estava marcado para o final da tarde de ontem o jogo do Sporting em Moreira de Cónegos. A vitória era necessária, em 2016 ainda não tínhamos vencido fora para o campeonato, e o fim de semana nem estava a correr nada mal. Os atletas do Sporting tinham conquistado 18 títulos nos Campeonatos de Portugal de Atletismo em Pista Coberta, Jorge Fonseca em Judo trouxe a medalha de bronze do Grand Slam de Paris e a equipa de Goalball conquistou a Liga Europeia, reforçando a nossa força em títulos Europeus nas diferentes modalidades.

Em Moreira de Cónegos chovia e bem, com o frio a querer ser convidado numa festa em que os adeptos Leoninos não faltaram. É impossível, e repito-me por diversas vezes nos textos sobre os jogos deste ano, não falar do apoio sempre incondicional, independente dos resultados desportivos, dos adeptos Leoninos. Ontem, foram, sem sombra de dúvidas, o décimo segundo jogador e não há dúvidas que ajudaram e muito a equipa a dar a volta ao resultado, por duas vezes, importantíssimos na conquista dos 3 pontos.

Na análise prévia ao jogo que fizemos no Sporting160, numa tentativa, muito amadora, de realizar uma emissão em directo a partir de Moreira de Cónegos, lançava a necessidade do Sporting fazer um grande jogo, nos 90 minutos, e não as habituais abébias de primeiras partes, de vencermos com um resultado confortável, prognóstico foi 3-0 e que o Alan Ruiz marcaria novamente. Só a acertei na última!

Jorge Jesus não fez grandes alterações no 11 que jogou o clássico no Dragão, e as que realizou eram, de certa forma, previsíveis. Palhinha cedeu o lugar a William, Alan Ruiz titular e Bruno César na esquerda. Não vamos insistir mais no problema que temos nas laterais, é certo e sabido, a resolução só irá acontecer no final da época. Obviamente, espero eu, a direcção já está a tratar dessa enorme lacuna.

O problema ontem em Moreira de Cónegos foi aquele que está mais visível e a todos continua a espantar e assustar: a defesa leonina. Ao nível de uma equipa que luta para descer de divisão, imprevisível, frágil, uma pálida imagem do que no ano passado foi capaz. Cada lance na nossa área é um caldeirão de sensações amargas para os que estão na bancada e percebem que, a qualquer momento, vai acontecer algo de impensável. O primeiro golo do Moreirense é um tragicomédia que, infelizmente, até Rui Patrício se vê envolvido na peça.

Assim, o trabalho é ainda mais duro e foi preciso muita alma de Leão para dar a volta. Porque este Sporting não nos dá tréguas. Empatámos a terminar a primeira parte, mas ainda houve tempo para sofrer novo golo e chegar ao intervalo a perder.

O que mudou na segunda parte? A equipa foi "empurrada" pelos milhares de adeptos e pela entrada de Podence. O Daniel, como carinhosamente JJ o tratou após o jogo, num campo que bem conhece, em meia dúzia de lances, com genica e técnica arrumou com a questão do vencedor da noite. Claro que ainda houve tempo para a barra da baliza de Patrício estar connosco e fazer-nos sorrir evitando o terceiro do Moreirense, mas ontem, os deuses do futebol estavam connosco e a vitória foi mesmo conquistada por nós.

No final do jogo não havia dúvidas, os jogadores e direcção vieram agradecer aos adeptos, durante a noite foram muitos os agradecimentos a todos aqueles que em 90 minutos nunca deixaram de apoiar e continuaram a acreditar que era possível vencer o jogo apesar de tanta entropia. 

Não foi bonito, foi assustadoramente eficaz e importante para os mínimos da miserável época até ao momento!

1 comentário:

João SCP disse...

Boas,

Já está disponível a sondagem sobre o melhor ponta-de-lança da Primeira Liga e já é possível ir votar nessa sondagem. Também já está disponível a segunda ronda do concurso "Super Totobola" em https://galaxiafutebolistica.blogspot.pt/

Abraços e continuação de um excelente trabalho