quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

O momento eleitoral do Sporting!


Devo dizer que as eleições à Presidência do Sporting estão aquém do que esperaria de um momento como este.

De 4 em 4 anos, normalmente, passamos por um período eleitoral no clube que se espera de discussão séria e informativa, onde o resultado final seja o mesmo, independentemente das candidaturas: o melhor para o Sporting Clube de Portugal.

Candidatar-se à Presidência de um clube como o Sporting (diria que no Porto e Benfica será o mesmo) é um acto corajoso. Sabe-se que a vida privada será vasculhada, é preciso ter um programa concreto e estar preparado para argumentar como se a sua vida dependesse desse momento e depois, como bem sabemos, os Sportinguistas, por norma, nos últimos anos andam muito bem informados sobre as diferentes temáticas do dia a dia do clube. É preciso cuidado com o que se diz e até com o que fica por dizer.

Quando Pedro Madeira Rodrigues se apresentou como candidato à Presidência do Sporting, num discurso calmo, ponderado e com certa elevação, pensei, até pela reacção imediata de Bruno de Carvalho, o outro candidato, que iríamos ter uma excelente campanha eleitoral.

Até ao momento isso não tem acontecido e muito por culpa de Pedro Madeira Rodrigues.

Como sabem tenho feito parte de um projecto chamado Sporting160, um podcast sobre o Sporting gravado em directo, e quando tivemos acesso a alguns contactos que nos poderiam levar ao Pedro Madeira Rodrigues, entrámos em contacto com ele para ser entrevistado no nosso programa. Isso aconteceu e podem ouvir aqui.

As minhas duas primeiras perguntas nesse dia foram essenciais e hoje, voltasse a fazer o programa, eram exactamente as mesmas porque definem muito um candidato. A primeira, ainda hoje sem uma resposta inequívoca, que eu continuo a achar errado, Pedro Madeira Rodrigues não confirmou que é o blogger City Lion do Camarote Leonino, apenas acabou por dizer que escreve sobre vários pseudónimos há muitos anos. Esta primeira pergunta separava-o da escrita em formato de bílis que constantemente vemos nos textos desse autor.

A segunda, e talvez mais importante, foi quando questionei de que forma o candidato Pedro Madeira Rodrigues ia conquistar os sócios que votaram em Bruno de Carvalho nas últimas eleições e que consideram o seu mandato globalmente positivo. A resposta foi evasiva e, lembro-me de ele ter dito, "o Bruno de Carvalho teve uma oportunidade histórica" e "mérito de quem veio de trás, mérito de Nobre Guedes" o que mostra, logo à partida, uma incoerência enorme. Primeiro porque a oportunidades histórica foi aproveitada, e falarei disso mais à frente, e porque sabemos bem do descalabro financeiro da era Nobre Guedes.

Como se não bastasse, quando nesse programa avançamos para ponto por ponto das medidas de Pedro Madeira Rodrigues percebemos que, naquele momento, não estava preparado para discutir o Sporting com a exactidão e responsabilidade que o clube merece. Foram vários os assuntos em que sentiu o chão a fugir-lhe: os investidores amigos para a recompra desnecessária da Academia, a história do treinador e dos ordenados, a formação do Sporting, que na altura lhe lembrei um relatório do Observatório do Futebol (CIES) para mostrar que não era como ele dizia, e curiosamente, agora que está à procura de investidores na Arábia até fala bem da formação, as medidas a custo zero como o centro de estágio a norte e o velódromo, o Jornal do Sporting, a sua gratuitidade e nem estar a par dos custos operacionais e, para mim, a falta de informação quando falámos das modalidades, inclusive quando apresentei dados reais das AGs e mesmo assim tentou contrariar-me.

Na altura, confesso, fiquei triste porque percebi que naquele momento não havia, ainda, muito para discutir e a campanha iria entrar por outro caminho.

Assim foi!

À falta de argumentos para contrariar os quatro anos de Bruno de Carvalho, e tanto havia (e há) para falar, passou-se à guerra mediática com O Jogo de um lado e o Record do outro, para lançar farpas e afins, que, em abono da verdade, foi mútuo.

Tinha-o dito em cima que Pedro Madeira Rodrigues diz que Bruno de Carvalho não aproveitou a oportunidade histórica, cometeu logo o seu primeiro erro. Porque, sejamos sérios, depois da iniciativa de Miguel Paím e André Patrão, Bruno de Carvalho saltou para a frente de um candidatura que levou nos últimos 4 anos o Sporting ao seguinte: renegociação/reestruturação da dívida, recuperação dos passes dos jogadores da formação que deixara de sair por meia dúzia de tostões, redução das comissões para valores aceitáveis, chegámos a 30% no tempo do Godinho Lopes, renovação e melhorias em Alcochete, obras no multidesportivo que nunca tinha acontecido desde a inauguração, recuperação e investimento nas modalidades com conquista de títulos importantes (CERS no Hóquei, por exemplo) e melhor participação de sempre do Projecto Olímpico do Sporting, aposta na formação reforçada, inclusive conquistamos um título em juniores que nos fugira há 8 anos, a marca Sporting promovida que levou, entre outras coisas, ao maior contrato publicitário de sempre, canal de televisão, Alvalade com excelentes assistências e...um pavilhão ao lado do estádio e que é nosso!

Obviamente, e nunca esconderei isso, os resultados desportivos não são famosos, a comunicação não é que a me agrade mais no actual Sporting, a equipa B está longe do que queremos, a formação pode ser, ainda mais importante, as modalidades novas podiam ser discutidas, as finanças debatidas de outra forma e tantos, tantos outros assuntos que esperava ver, alguém que se candidate contra Bruno de Carvalho, de forma séria a levantar e a trazer para a praça pública para ser abordado por todos com elevação.

O vazio de ideias de Pedro Madeira Rodrigues é notório, apontou por outro caminho, quanto a mim, que nem é a sua "praia", e neste momento, Bruno de Carvalho mesmo estando na pior época desportiva do seu mandato, não precisa de retorquir para continuar como favorito à vitória do dia 4 de Março.

Sinceramente, perdemos todos, os interessados por discutir de forma séria o Sporting, mas, teria de partir do candidato da oposição à direcção vigente, a lufada de ar fresco que tanto apregoa mas que na realidade não passa de uma intenção inócua!

2 comentários:

Pedro S disse...

Faltou referir que foi no mandato de Bruno de Carvalho que o Sporting alcançou a maior pontuação no campeonato na sua história.

Parabéns pelo podcast!

JPDB disse...

Excelente post.
É precisamente isto que penso.
Nunca fui fã de Bruno Carvalho, e acho difícil alguma vez vir a ser enquanto mantiver o seu estilo comunicacional sobretudo.
Penso que era fácil a Pedro Madeira Rodrigues ter feito muito melhor na campanha. Se não fez é porque também não merece o meu voto quase de certeza.
Posto isto acho que as eleições estão a ser uma perda de tempo.