quinta-feira, 9 de março de 2017

Que pretende Vítor Espadinha?


Infelizmente sou sócio do Sporting há apenas 10 anos. É pouco, é verdade, mas é a realidade que eu nunca escondo. Tenho as quotas em dia.

Vivo a mais de 300km de Alvalade, bem sei que não é desculpa, mas a primeira AG que assisti do Sporting foi a 14 de Outubro de 2010. Foi uma assembleia com mais de 800 sócios, onde José Eduardo Bettencourt viu o Relatório e Contas ser aprovado com 36% de votos contra. Segundo diziam, uma das piores votações de sempre.

Mas, foi nessa AG que Vítor Espadinha fez um discurso eloquente, com críticas assertivas e animou o Sportinguismo. Não esqueço isso!

Acontece que, muito anos depois, Vítor Espadinha voltou ao ataque na campanha eleitoral. Escreveu um texto que poderia ser válido, não fosse ele reles, lembrando o que de pior existe na crítica fácil. Foi uma arma de arremesso que Pedro Madeira Rodrigues usou na campanha, que não correu como ele esperaria. Até que chegou o dia das eleições e Vítor Espadinha voltou ao ataque e lançou suspeitas sobre um documento que iria levar ao DIAP acusando Bruno de Carvalho de falcatruas.

Já agora, recorde-se, Vítor Espadinha é aquele crítico que na televisão respondeu à pergunta o que não gosta do trabalho que Bruno de Carvalho fez no Sporting? Tudo!

Está apresentado!

O Sporting, ontem, num sinal claro de transparência revelou o que seria o tal documento que Vítor Espadinha poderia ter e que seria tão perigoso. Claro, que antes disto tudo, em certos e determinados blogues, o documento já era visto como uma procuração a um alegado primo de Bruno de Carvalho que deixava ficar no ar um rol de acusações que sem fundamento. Mas vale tudo para atacar o Presidente do Sporting.

O documento que Vítor Espadinha se referia não era mais que uma procuração para que Alexandre Godinho e Bruno de Carvalho tivesse alguns poderes, entre eles negociação, elaboração, modificação de contratos, pelo período de 8 a 17 de Agosto de 2014 para colmatar a ausência de Carlos Vieira, administrador financeiro da SAD que estava ausente em férias.

Como os documento das SAD têm de ser assinados pelo Presidente e por um outro administrador da SAD e Alexandre Godinho já era vogal do Conselho Directivo e prestava consultoria jurídica ao clube e à SAD, assumiu esse papel.

O Sporting também esclareceu que Alexandre Godinho não é familiar de Bruno de Carvalho, como Espadinha referiu.

Caso encerrado, inventem outra!

7 comentários:

Carlos Sousa disse...

Inventem outra, mas o espadinha tem que kr para a rua!

António Gomes disse...

O espadinha não quer mais nada que seja que não o esqueçam e falem dele, é um despeitado com BdC e quer sangue, apenas isso! A idade às vezes no lugar de tornar as pessoas mais sábias, torna-as mais azedas.

Não concordo com o Carlos Sousa, Espadinha é sócio do Sporting há muitos anos, e se vier a público com um pedido de desculpas sobre a situação nada de mais se deve fazer, se continuar que se abra um processo disciplinar ao sócio que leve a uma das penas que estão nos estatutos para uma situação destas, creio que o artigo 28, Admoestação, repreensão ou suspensão. A quarta opção, expulsão, acho-a demasiado para esta situação.

vitor disse...

E o que é que pretende o José Eduardo? Não deu muito jeito comentar a condenação do complô? E o Espadinha é o mesmo camelo de 2013.

Bancada de Leão disse...

vítor, falar antes de ler dá nisto, basta procurar o que disse sobre Zé Eduardo na altura da saída de Marco Silva.
E se está assim tão preocupado, basta ler, também aqui no blogue, que o Zé Eduardo foi o único que fez uma, tentativa vamos chamar assim, ameaça para me levar a tribunal.

Chronus disse...

António Gomes disse...
>>"Não concordo com o Carlos Sousa, Espadinha é sócio do Sporting há muitos anos, e se vier a público com um pedido de desculpas sobre a situação nada de mais se deve fazer, [...], Admoestação, repreensão ou suspensão. A quarta opção, expulsão, acho-a demasiado para esta situação.!"

O que quer que aconteça tem de respeitar-se os estatutos, o que significa seguir os trâmites internos disciplinares.

A expulsão é, claramente, inequivocamente, a UNICA OPÇÃO que deve ser exercida neste caso (e no de Madeira Rodrigues). Nem consigo perceber por que razão alguém acha a expulsão "demasiado" quando Espadinha e Madeira Rodrigues atentaram contra o bom nome do Sporting, o seu presidente e ainda uma terceira pessoa.

Acho que não está a ter em conta os estatutos, caso contrário perceberia de imediato que as acções destas duas pessoas só podem ter uma unica punição.

Adicionalmente, isto lançará uma mui clara mensagem para os "inimigos internos" que o Sporting ainda tem.

Relva disse...

Nada disso é a realidade, mas convém para a ditadura. Os mesmos vão se queixar no futuro.

JHC disse...

Vi Victor Espadinha no dia das eleições a ser cercado por jornalistas. Aparentemente a cor preferida do senhor é o vermelho visto que se dirigia as urnas de casaco vermelho.Também na CMTV apareceu de camisa vermelha...mas pior foi a forma como falava e o que dizia aos jornalistas enquanto caminhava. Estaria embriagado?