segunda-feira, 22 de maio de 2017

Sporting 4-1 Chaves :: Insubstituível? Só o Sporting!


Fechou a época 16/17 muito, mas mesmo muito abaixo das nossa expectativas. O balanço final farei noutro post mais adequado a esse tipo de análises, mas é óbvio, para todos, que foi um desastre o que se passou com o futebol profissional sénior masculino.

A prova que os dois jogos anteriores foram autênticas machadadas no coração dos adeptos, foi a fraca assistência que Alvalade registou ontem diante do Chaves. Claro que é muito bom poder dizer que foi uma assistência fraca quando tivemos 32 mil num jogo em que (quase) nada interessava. Digo quase, porque a vitória é sempre importante e Bas Dost ainda lutava para ser o melhor marcador da Europa.

É por Bas Dost que começo. Foi, provavelmente, a compra do século. A par de Gelson, o melhor da Liga Portuguesa nas assistências, que foram 10, não há dúvidas que os dois jogadores estiveram bem acima de todos os colegas de equipa. 

Espero que o Holandês possa continuar no Sporting numa equipa que garanta outra coesão defensiva. Jorge Jesus tem pela frente esse trabalho importantíssimo de colocar a defesa do Sporting a níveis que já tínhamos conseguido e são vitais para se conquistar um título de campeão nacional.

Aproveitando o facto de estar a falar da defesa, não percebi e não aceito a tarja que colocaram nas bancadas direccionada a Rúben Semedo. Podemos discutir se tem ou não valor para o Sporting, mas em campo, com a nossa camisola, a regra básica de apoio diz que não é com estas atitudes que eles vão melhorar. Pelo menos durante os 90 minutos em que envergam a camisola do Leão Rampante!

Quem fala dessa frase, fala também de uma outra que apareceu, e ilustra este texto, sobre os insubstituíveis. Foi retirada porque não foi colocada por um grupo organizado e legal. Sinceramente, não compreendo que um recado desta natureza não possa ser mostrado. 

Aos que dizem que podem ser um tiro no pé, eu respondo que no Sporting sempre fomos democráticos e informados ao ponto da liberdade de expressão não ser crucificada. Nisso somos muito superiores a qualquer um dos nossos adversários.

Da mesma forma que aceitamos e percebemos que as claques, sob forma de protesto, estiveram 20 minutos iniciais do jogo completamente em silêncio. Fez sentido porque os adeptos do Sporting responderam e têm respondido nestes últimos anos, a todos os apelos da Direcção para marcar presença em Alvalade e nos diferentes estádios pelo país fora, e os jogadores/equipa técnica, principalmente este ano, não responderam com a atitude necessária para um clube com a nossa história e dimensão!

Quanto ao jogo não há muito para dizer, foi uma vitória fácil. Mas há que destacar três pormenores importantes.

Primeiro, o hat-trick de Bas Dost que ainda alimentou o sonho de passar Messi na luta pelo marcador da Europa. Era um prémio merecido para o nosso atacante. 

Em segundo, entrámos em campo com 8 jogadores da formação, sendo que alguns já mostraram que a titularidade é um passo óbvio.

Em terceiro, e importante para a gestão da próxima época, se não há contrato vitalício para Rui Patrício, algo que para mim já poderia ter acontecido e o Rui terminava a carreira no Sporting com importante acção pedagógica na Academia, pelo menos sabemos que estamos bem posicionados com o Beto para o substituir. Fica a dica!

Venham as férias para os jogadores, todos têm direito a esse momento, não há desculpas para próxima época. Pensem nisso!

Sem comentários: