terça-feira, 9 de maio de 2017

Voz dos Leitores #2

O jogo do passado domingo deixou marcas nos adeptos Leoninos. Basta ler os diferentes textos que vão aparecendo estes últimos dias pelas redes sociais para perceber isso. Noutros projectos que estive envolvido era natural colocar textos escritos a partir dos comentários que iam sendo feitos no blogue, neste ainda cheguei a começar mas não passou do #1.

O Alessandro Silva enviou-me o seguinte texto que decidi compartilhar com todos.

"7 de Maio de 2017, data em que possivelmente se fez história no futebol português: o Benfica tornou-se tetracampeão. Um feito que apenas Sporting e Porto tinham alcançado. Mas não estou cá para falar de um título conquistado pelo rival. Estou aqui para fazer uma reflexão de (mais uma) uma época falhada a nível do futebol do Sporting Clube de Portugal. À beira do 111º aniversário, 18 campeonatos e 15 anos de jejum. Enfim mais uma época em que os milhões de Sportinguistas dizem "Para o ano há mais".

Para o ano há mais? Chega desta conversa de conformismo e falta de ambição por parte dos Sportinguistas. É certo que nunca fomos um clube que ganha sempre, ultimamente até é "raro" ver o Sporting ganhar algum campeonato. Mas adiante. O estado a que tu chegaste, meu Sporting. Não é por um simples 3-1 em casa contra o Belenenses (!) que já não vencia em nossa casa há cerca de 60 anos. Não é por isso. É pelo culminar de uma situação insustentável.

Fizemos dos maiores investimentos de sempre para tentar chegar ao tão sonhado título que vimos escapar em nossa casa o ano passado. A cada semana era cada nome mais sonante nas capas dos jornais e sucediam-se contratações atrás de contratações. Vimos partir dois esteios da nossa campanha do ano passado (João Mário e Slimani) mas em contrapartida veio Bas Dost, a maior contratação do nosso clube. E que contratação! Logo na pré-época parecia que já se previa o pior. A preparação tardia do plantel e as contratações forçadas de última hora aliado aos desastrosos resultados e à quebra de rendimento da equipa não eram cenários muito animadores. 

Tínhamos o melhor plantel da história do Sporting, diziam os entendidos. Trouxemos Markovic, fizemos regressar Elias, apostamos na continuidade de Adrien e quando o campeonato começou parecia que a equipa tinha ganho vida. A campanha do ano anterior parecia começar a repetir-se. Até que fomos a Madrid. E aí tudo começou. 80 minutos fantásticos contra o campeão Europeu e perder nos descontos. INJUSTIÇA! Contra o Rio Ave começou o descalabro e sucedeu-se uma primeira volta ao nível do "tempo do Godinho". Péssimo! Chegamos a Dezembro e parecia que já nada poderíamos conquistar. Fracasso nacional e fracasso Europeu. Tentámos recuperar a equipa e nada dava certo. Dispensámos excendentários e chamamos os "nossos" para resolver uma situação que parecia irremediável. Chegámos ao Dragão e fomos surpreendidos por um tal de "Soares" e por lá ficou o sonho de campeão.

A equipa já sem ambições para nada recuperou-se e fez do Dragão uma pagina de viragem. Sporting invicto na época 16/17, uma coisa que parecia impossível. Fomos aproveitando os deslizes dos adversários e ganhando terreno. Hoje poderíamos ter ficado apenas a 3 pontos do 2º lugar. 
Falhámos. Falhámos porque para este grupo parece que já não há nada para ganhar. Amadorismo, falta de ambição, conformismo com a situação. O Sporting de hoje em dia já não é o Sporting que tinha nos seus capitães a sua força e a sua garra. Homens como Beto, Sá Pinto na história mais recente transbordavam Sportinguismo em estado puro.

Hoje em dia os nossos capitães, ambos campeões europeus, grandes jogadores e péssimos líderes. William de Carvalho e Adrien Silva são de longe dos melhores jogadores que o nosso plantel tem mas essa forma desligada, quase desacreditada e sem compromisso quando carregam a nossa braçadeira é algo que me perturba. 

Como se costuma dizer "são anjinhos" e é exatamente para eles que endereçaria esta pergunta: "Vocês querem estar neste clube?" É que me parece quanto a um quanto a outro estão totalmente desligados do clube e querem sair. Se o querem, que saiam e deixem os cofres do Sporting bem recheados. 

Grandes futebolistas, péssimos líderes e o espelho do conformismo Sportinguista. Vocês (jogadores do plantel de futebol) sabem o que é o Sporting? É que muitas das vezes esquecem-se de onde estão. Mas esta mentalidade do "deixa andar" e do contentar-se com tudo já se instalou há muito no nosso clube. O ano passado é o reflexo disso. 

Depois de um campeonato perdido por nossa culpa, centenas de adeptos deslocaram-se a Alvalade para receber a equipa. O que é isto? Na minha opinião, um sinal de pequenez, de conformidade por mais uma derrota. Os mesmos que foram culpados pela derrota foram tratados de como se campeões se tratassem. "Vocês querem continuar neste clube?" Seria outra das perguntas que faria ao plantel porque só interessa quem cá está e quem quer realmente estar.

Mas um campeonato não se ganha apenas nas 4 linhas. Há fatores hoje em dia que são determinantes e o nosso clube está atrasado relativamente à concorrência. Mentalidade e estrutura. Mentalidade é o que nos falta. Mentalidade de campeão, ADN de campeão. E é da bancada que tem de vir esse primeiro passo para a construção dessa identidade vencedora e ambiciosa que o nosso clube merece ter. Temos de querer ganhar sempre, custe o que custar, temos de ambicionar sempre mais. Chega de vitórias morais. Olhemos para dentro e vamos tratar de arregaçar as mangas e começar a trabalhar.

O Sportinguista tem de exigir, tem de cobrar e tem de ambicionar sempre mais à sua equipa seja contra quem for e não se esconder em conformismos. 

Onde andam aqueles que faziam esperas ao autocarro e mostrar o seu descontentamento após cada resultado negativo? Temos de nos revoltar e não nos conformarmos contra empates e derrotas. Quando as coisas não estão boas há que protestar e mostrar o desagrado e não esperar que a resolução do problema caia do céu. 

Do plantel pede-se o mesmo. Vontade de vencer, determinação, ambição e garra. No nosso campeonato, não basta jogar bem. Temos de querer mais que todos e mantermos o foco no que realmente interessa. Olhemos para o nosso rival que não apresenta um futebol vistoso mas que se nota que todos remam para o mesmo lado e ambicionam o mesmo. Adrien e William são homens da casa mas não serão homens para comandar 10 colegas de equipa (no caso de William de Carvalho). 

Olho para o 11 inicial e vejo Coates como um verdadeiro líder para esta equipa, por exemplo. Assumir os erros e deixar as manias de lado. Este plantel tem muito "bons rapazes" que quando perdem basta chegar a casa e publicarem mais uma fotografia nas redes sociais que está tudo bem. Sinto que somos "gozados" por este plantel semana após semana pelos jogos que fazem e pela atitude. Há que "correr" com as vedetas e com os que não querem cá estar!

Por parte da equipa técnica mais trabalho, melhor preparação das épocas, melhores escolhas para o nosso plantel e olhos no que realmente interessa. De nada interessa os "mind games" quando não disputamos nada. De nada interessa andar semana após semana numa troca de palavras com outros treinadores. Chega de falar do rival, olhos em nós e no que realmente interessa. E a Jorge Jesus, mais humildade e menos casmurrice. Dar o corpo às balas quando erra não era mau de todos. Quanto à direção, está na hora de mudar. 

Mudar para melhor, ou seja, para pessoas que saibam o que é o Sporting, que conheçam os valores do clube e que tenha ambição em vencer. Chega de Otávios e Saraivas. Chega de falar do Benfica. É necessário denunciar as ilegalidades e a podridão que se encontra no nosso futebol sem desviar o foco e sem nos perdermos em comentar a vida do vizinho quando a nossa está péssima. Chega de desculpas. Isto é para si, caríssimo Presidente. Estamos atrasados em relação aos "bardamerdas" e é necessário mudarmos para lutarmos em 17/18 por alguma coisa. Há que moderar e saber ser líder. Deu uma goleada a quem duvidava de si nestas eleições, pois então, é hora de trabalhar e melhorar este clube. É hora de bater na mesa e dizer: BASTA!

Basta de incompetência, basta de conformismos medíocres, basta de aburguesamentos, basta de vitórias morais, basta de promessas e palavras ditas em vão. Representam uma das instituições mais prestigiadas do mundo, tratem de honra-la a cada minuto. Se for preciso correr com vedetas para começarmos do zero? Que corra. Mas não gozem mais com esta camisola. Há que saber ser líder. Apertar com eles no devido momento, deixar o rival mas sempre combatendo contra as ilegalidades do nosso futebol. Não era você que disse que estava na cadeira de sonho? Honre o lugar que muitos de nós gostariam de ter e dignifique o Sporting Clube de Portugal. Deixe de lado o Facebook, as picardias. Há que ser mais humilde.

Montar uma estrutura profissional e competente com vista à concretização dos nossos objetivos. Montar um plantel comprometido e ciente dos valores do clube e da situação em que o mesmo se encontra. Não podemos viver de falsas promessas e do "e se". No futebol não há "se's". Até quando vamos viver das glórias do passado sem tentar alcançar as mesmas glórias no presente? 

É preciso muito mais e chega de nos conformarmos por termos um segundo lugar a jogar um futebol brilhante. Já passou, agora é hora de renovar. Sem o "Esforço", a "Dedicação", a "Devoção" nunca poderemos chegar à "Glória". Pensem nisso quando a 1 de Julho completarmos o nosso 111º aniversário. Precisamos de ser mais sérios logo após o apito final do último jogo desta época porque há uma reviravolta a operar. Mostrem o vosso descontentamento com isto. As palavras de Bruno de Carvalho podem não ter sido ditas da melhor forma e sem o melhor timming mas é o abanão que é preciso. 

Caro presidente, não basta falar. Há que fazer. Se quer marcar este seu segundo mandato pela diferença, faça! Acordem! Há muito para mudar e vamos meter mãos à obra pelo nosso clube.

A partir de dia 1 de Julho não queremos promessas de títulos e espaços em vitrines para 23º ou 19º títulos nacionais. Não queremos escândalos, polémicas e "casos". Queremos trabalho, seriedade, compromisso. Queremos que todos (equipa técnica, jogadores e estrutura) consciencializem-se sobre o quão importante é a próxima época.

Não pedimos contratações sonantes nem um futebol vistoso (se possível, melhor).

Pedimos o título e se tivermos de abdicar de tudo abdiquemos porque no final têm vocês a missão de alegrar esta família enorme. Isto foi um culminar de 15 anos que esta situação leva e que a cada ano que passa se torna mais insustentável. 

Não brinquem com a camisola do Sporting e respeitem a sua história centenária!"

3 comentários:

Green Street Hooligan disse...

"Depois de um campeonato perdido por nossa culpa" - yeah, right...

"Mas um campeonato não se ganha apenas nas 4 linhas" - a sério?

De resto, tem mais ou menos razão.

Bancada de Leão disse...

A questão do campeonato perdido por nossa culpa é verdade, podes não concordar, mas é um facto que andámos a brincar com isto.

Os das 4 linhas, é uma tirada a La Palisse...vale o que vale.

Paulo Guerra disse...

Não é uma Direcção já no 2º mandato e um treinador que vai para a 3º época que vão mudar substancialmente alguma coisa. A ser assim nem valia a pena haver eleições. Bastava dizer que queríamos mudar e ele faziam-nos logo a vontade. Até porque as pessoas não têm natureza. Mudar agora só da boca para fora! E com muita razão, quando ainda o mês passado estava tudo bem...