terça-feira, 11 de julho de 2017

Bryan Ruiz devia entrar nas contas do Sporting


Ontem quando ficámos a conhecer os jogadores do Sporting convocados por Jorge Jesus para o estágio na Suíça, com a respectiva numeração, pessoalmente custou-me ver ficar de fora o Bryan Ruiz.

O internacional costa-riquenho está a disputar com a sua selecção a Gold Cup e o regresso estaria agendado apenas para o final do mês. O número 10 foi atribuído a Alan Ruiz, no entanto, há outros jogadores que também estão fora, devido a férias, por exemplo, e ainda não têm número, mas é no mínimo estranho que o Bryan Ruiz perca o número, importante, e que, a fazer fé nas notícias dos desportivos, já estará informado pelo SAD que é livre de procurar novo clube.

Eu sou um apaixonado pelo futebol de Bryan Ruiz. Adorei a sua contratação, aliada ao facto de possuir características técnicas que não encontrávamos no plantel do Sporting. Provavelmente, actualmente ainda não encontramos. A classe de Bryan em campo foi uma mais valia na época 15/16. Além disso, fora do relvado é um senhor. Coisa cada vez mais rara de se encontrar no futebol moderno e é um jogador inteligente.

O Sporting não é uma misericórdia. Ficamos já esclarecidos neste ponto. Nem pode olhar para os seus jogadores como actos de caridade. Excepções apenas para casos em que alguma tragédia aconteça com algum deles. Portanto, podemos aceitar de forma directa ou como um supostos acto de gestão desportiva que o jogador não tenha espaço a titular no Sporting. Consigo perceber isso, acho que, no entanto, isso é ver o meio copo. Quando ainda há outra metade!

O Bryan Ruiz ficará para sempre marcado como o jogador que falhou o golo que deu o título ao Benfica na época 15/16. Esse estigma não é possível retirar porque os adeptos, ou uma parte significativa deles, assim decidiu. Algo errado e já explicado por diversas vezes em tantos textos no passado, porque olhar para esse lance, e só porque foi com o Benfica, é esquecer tantos outros falhanços que aconteceram a outros jogadores do Sporting e ninguém hoje se lembra. 

Curiosamente, a título pessoal, recordo-me mais vezes do falhanço do William Carvalho em Guimarães na jornada anterior ao derby, que empatámos a zero, do que o lance do Bryan. E ambos vi ao vivo e mesmo à minha frente.

Quando em Março deste ano Bruno de Carvalho sustentou que vender o Bryan Ruiz não passava pela cabeça dele e depois se avança para a abertura de uma escola na Costa Rica, pensei, concordei e aceitei que estávamos a trilhar um caminho para o jogador que é tão importante e pedagógico e que, muitas vezes, demasiadas, no nosso clube, se esquece. 

Criar uma certa cultura desportiva que vai passando de geração em geração, e que, muitos já me viram apregoar por aqui, por exemplo, quando peço que Rui Patrício tenha um contrato vitalício com o Sporting.

Tal como disse em cima, aceito que o Bryan Ruiz, provavelmente, não tenha lugar como titular no clube, embora os possíveis substitutos ainda tenham de provar o contrário, mas no banco, na exigência que se pede a um clube como o Sporting, até pela quantidade de provas em que estamos envolvidos, teria certamente uma palavra a dizer, ainda. Isto na minha mais sincera opinião, sem com isso querer lançar algum tipo de confusão e aceito que Jorge Jesus e, claro, Bruno de Carvalho, sintam que é altura de dar novo destino ao jogador.

Aceito que o rendimento, principalmente da última época, seja uma das razões para a sua saída, embora no Sporting do ano passado quase ninguém rendeu o suficiente, já a questão do salário tenho algumas dúvidas porque, certamente, comprando menos entulho e despachando algum, seria o suficiente para manter um jogador com o nível de Bryan Ruiz.

Mas às tantas estou a ser romântico, e parvo, demais na avaliação sobre o jogador. Aceito isso para defender a ideia que Bryan Ruiz devia entrar nas contas do Sporting para a época 17/18!

1 comentário:

CJ disse...

Tenho um sentimento misto em relação ao Bryan Ruiz: Sinto que dificilmente veremos novamente um jogador com tanta magia a jogar em Alvalade, e ao mesmo tempo penso que o Sporting de JJ será pragamático e rápido e com pouco ou nenhum espaço para jogadores como BR.
Já fiz uma apreciação a esta última época de Bryan Ruiz e na minha opinião BR foi vítima da instabilidade apresentada nas laterais e meio-campo(lesão de Adrien) e da saída de João Mário que era muito inteligente a ocupar espaços e a abrir linhas de passe.
Esta época vimos BR a receber a bola e não ter a quem passá-la, rodopiar sobre a bola e a correr para as linhas a procura de alguém para jogar. Isto quando não se prendia a bola e sofria empurrões pelas costas...
Quanto ao homem nada a apontar, um exemplo dentro e fora de campo.
Penso que JJ terá outras soluções para um futebol menos rendilhado agora. E se realmente se concretizarem as contratações de Acuna e Martinez, cuidado!