domingo, 3 de abril de 2011

Acusações Graves (II)



Entrevistado hoje pelo jornal "A Bola", Bruno de Carvalho faz acusações gravíssimas, e tal como o disse no post anterior, ou está muito confiante da providência cautelar, ou está a hipotecar o futuro. O desgaste pela procura da verdade, na sua opinião, está a deixar alguns Sportinguistas impacientes, que preferem ver o clube avançar mesmo que possa haver ilegitimidade nas eleições. Algumas das frases mais importantes da entrevista, que além das eleições e das suspostas irregularidades, fala de ameaças e dá um nome a uma delas.

"Godinho Lopes ofereceu-lhe algum cargo?
Não, não, mas isso foi público, saiu nos jornais....Já veio em quase todos os jornais

Os restantes candidatos aceitaram os resultados. Como explica?
Claro! Os restantes candidatos não foram prejudicados nestas eleições, é lógico!...Estamos a falar de três mil votos. Acrescente três mil votos a cada um desses candidatos. Ganhava? Não. Acrescente três mil votos a mim. Ganhava? Ganhava! E por muitos!

Mas antes das eleições, e já se sabia como iria decorrer o acto, ninguém falou sobre o assunto, como é que ninguém conseguiu prever uma situação do género?
Não? Quem é que lhe disse? Se alguém lhe disse tem de dizer-me quem foi...

Estou a perguntar-lhe!
Com é uma pergunta vou responder. Antes das eleições, quando nos candidatámos, houve três coisas que pedimos e Lino de Castro não aceitou. Primeira: que se fizesse um regulamento eleitoral para se salvaguardar tudo isso. Não aceitou. Segunda proposta: haver uma supervisão da Comissão Nacional de Eleições. Não aceitou. Terceira: haver um delegado de cada candidatura por mesa. Não aceitou. Não foi alertado? Foi! Mas ele é que era o soberano. Porque é que não aceitou? Essa é uma boa pergunta para colocar a Lino de Castro.

Foi dito que ninguém pediu a recontagem...
No dia 28, pôde ver-se um delegado da minha lista desmentir Lino de Castro e ele confirmar que tinha sido pedido, mas que por motivos de cansaço não era possível. Mas quando reparou que o cansaço não era possível, disse a mentira número dois, que era por uma questão de segurança. Mentira!

Que verdade?
Que verdade? A verdade é que há três mil votos injustificados dentro das urnas. Não é suficiente? 3000 menos 360 dá 2640. Já viu a vitória que eu poderia ter tido?

Mas estar a contar votos durante tantas horas...
Vou utilizar palavras de Lino de Castro: foram umas eleições que necessitaram de umas afinações.

Afinações?
Foi o que ele disse, não fui eu.

Viu quem era o emissário dessas palavras duras em relação à sua pessoa?
Havia uma série de pessoas que não conhecia, mas o homem que disse que não ia desmontar a tenda vi quem foi, foi Paulo Pereira Cristóvão. O resto não conhecia de lado nenhum"

5 comentários:

Anónimo disse...

O homen não está a lutar pelo Sporting,mas sim pelo emprego bem remunerado de presidente do clube.

MFM disse...

Eu quero ver onde estarão estes criticos quando as razões que B , Carvalho aponta forem aceites e provadas as irregularidades, nesse momento se se provar que ele tem razão continuam a criticar o homem?

É que já falei com alguns amigos juristas e o que se passou é mais do que motivo para serem repetidas as eleições.

SL

SPORTING SEMPRE

Anónimo disse...

Varela,

há 2 partes da entrevista que comprometem muito, quer a sua coerência, quer as suas boas intenções, quer a sua fundamentação para fazer o que diz que vai fazer...

"Pensa que se eu tivesse um por cento, oito por cento ou dezasseis por cento iria impugnar as eleições, mesmo que soubesse o que se passou?"
(se é pela "verdade" que está a lutar, nunca pode a sua posição ser definida pelo número de votos que teve. Ou houve irregularidades graves, ou não!)

"(Pergunta)- Fala em irregularidades. Pode especificá-las?

(BdC)- Vou explicar como se processa umas eleições. A pessoa chega ao primeiro guichet, apresenta o cartão e a pessoa diz que não pode votar. Sabe porquê? Ou porque é sócio-correspondente, eu vi um, ou porque só tinha 18 anos, que alarvidade! Mas o sócio-correspondente, e está nos estatutos, pode votar. Mas como não há regulamento eleitoral... não pode. Mas havia um terceiro que não podia caso não tivesse as quotas pagas. Pagava-as e, nesse momento, o sistema informático permite que ele vote. Voltava ao processo normal, mostra o cartão e, sim senhora, vá votar. Não pode haver desconformidades nos sistemas informáticos. Não pode!"

(estará BdC a tentar impugnar todas as eleições da história do Sporting? É que este tipo de erros, a existir, não implicam qualquer desfavorecimento ou fraude. Implicam que há um processo eleitoral falível, mas não menos do que em todas as outras eleições que o clube já teve. Pelo contrário, esta deve ter sido a menos falível de todas, se os erros são estes. Muito, muito inconsistente esta sequência de argumentos

Pedro Varela disse...

Percebo o que dizes e por isso já no outro post avancei que ou o Bruno de Carvalho sabe o que está a fazer, porque a impgunação ou é bem fundamentada ou será um fracasso total que fragilizará a sua imagem, ou então perde a crediblidade e põe em causa o que poderia ter sido no Sporting.

Interessante, e por isso é que coloquei em negrito, é a questão de se querer umas eleições digamos, seguras ou mais fiáveis, e isso demonstra que ele tentou trazer clareza a este acto eleitoral.

De qualquer forma, há que esperar para ver o que se irá passar.

jmbb disse...

Será que as pessoas não percebem que o Bruno Carvalho não está a por em causa o acto eleitoral, mas sim o Sporting.
Este é o acto mais egoísta que um Sportinguista podia ter.
A luta pelo Sporting será sempre através da mudança dos estatutos nas assembleias gerais e não nos tribunais.