sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Sporting 3-0 Marítimo
















O Jamor cada vez mais perto!

Podíamos recuar ao dia 28 de Agosto deste ano, quando fomos derrotados pelo Marítimo em nossa casa para o campeonato. Esquecer por momentos a arbitragem desse jogo, e pensar no 11 que entrou em campo, no que se disse na altura. Ver os comentários que até aqui no blog se fizeram a este jogo, na descrença que era total e comparar com o que hoje tivemos em Alvalade. Não vale a pena!

Alvalade vive por estas alturas um ambiente que não era possível imaginar há uns meses atrás. E é sobre isso que me apetece falar neste jogo. 

Tive o prazer de poder ver o jogo com um amigo Sportinguista, o Tiago, que há uns anos mudou de país. Regressou a casa para o Natal, e ainda não tinham feito 24 horas que tinha regressado e já estava em Alvalade para recordar os momentos de felicidade que já viveu na "sua" casa. Cada golo festejado por ele, percebia-se a felicidade e alegria de quem está fora e dá muito valor ao que ontem assistiu. Isso é impagável e por vezes só conseguimos perceber que aqueles 90 minutos são únicos, quando sentimos e vibramos com momentos como aquele em que vi a felicidade do Tiago!

Já não falo de uma sensação que hoje em dia, nós Sportinguistas recuperamos, e que há muito estava arredada de Alvalade. Chegar ao intervalo empatado a zero, não se ouvir assobios, não se manifestar o desagrado, e perceber-se que a equipa está a fazer o possível para rapidamente chegar ao golo. Umas vezes não acontecem, luta-se até à exaustão e o objectivo não é conseguido, como em Coimbra, outras é mesmo por uma questão de tempo até que a redondinha entre na baliza adversária, o Marítimo não saiu de Alvalade com outro resultado mais volumoso porque tem uma equipa acima da média. Isso ainda valorizou mais a nossa vitória!

Não foram muitos os que numa noite fria como a de ontem estiveram em Alvalade. Mas os 21 mil que estiveram durante 90 minutos a apoiar o Sporting fizeram valer a pena voltar a acreditar que é possível regressar ao Jamor. Cânticos a noite toda, um estádio sempre a vibrar com as jogadas de Patrício, Polga, Onyewu, Emiliano, João Pereira, André Martins, André Santos, Carriço, Capel, Schaars, Carrilo, Arias e Wolfswinkel, um banco de suplentes a vibrar com o que se ia passando no rectângulo de jogo.

Claro que não está nada ganho, claro que a época está longe do que desejaríamos (mas não é frustrante), claro que não somos uma super equipa. Mas está claro que o Sporting de Agosto, o que perdeu com o Marítimo, não é este que entra em campo com apenas um objectivo: vencer. E isso dá-nos uma garantia, pelo menos ficamos mais próximos dos nossos objectivos.

A Taça de Portugal é sempre um troféu apetecível. O amante de futebol em Portugal sabe que uma das melhores sensações é terminar o ano futebolístico com a mão no trofeu em pleno vale do Jamor. Faz parte da história do futebol nacional. Não será pelo facto de outros clubes já estarem fora da competição que este troféu vale menos. Ainda não vencemos nada, mas com esta passagem às meias finais, o objectivo inicial nesta competição "aumentou". Porque mesmo respeitando os adversários que ainda estão em prova, ninguém quer acreditar que vamos deixar fugir a vitória final. E se isso muitas vezes isso é preocupante e pode criar algum desconforto, também é fundamental para que os jogadores percebam que apenas há um caminho.

O Natal tem sido sempre associado ao Sporting como uma época de frustrações. Nos últimos dias tentaram "vender" essa ideia, que felizmente não pegou. No campeonato, apesar de uma diferença pontual que não seria desejável, a verdade é que o Sporting ainda tem uma ténue esperança de poder entrar na discussão do título na segunda volta. E mais uma vez se compararmos com o que se passava há 3 meses dentro de campo, já de si isso é uma vitória voltar a ter uma equipa que joga à bola. 

E como estamos numa época festiva, até tivemos direito a três prendinhas (Matías, Izma e Jeffrén) que já correm para os próximos jogos.

Na competições a eliminar, Taça de Portugal, Taça da Liga (que ainda não começou) e Liga Europa, mantemos as esperanças iniciais. 

Isto é um Natal frustrante? Não creio. Não vivemos euforias, nem objectivos desmedidos e estamos conscientes das dificuldades que aí vêem, mas pelo menos recuperamos a alegria de ver a equipa jogar. Ontem foi mais uma prova evidente desse sentimento, e só por isso este percurso já valeu muito, com a certeza porém que a nossa exigência obriga-nos a querer muito mais, até porque Isto é o Sporting!

Bom Natal a Todos!

2 comentários:

Mike Portugal disse...

Se, de facto, os 3 jogadores voltarem bem em Janeiro, serão 3 reforços de peso. Mas eu, que sou um otimista, estou muito negativo em relação ao joelho do Izmailov.

. disse...

um post comovente e ao mesmo tempo equilibrado que subscrevo totalmente. e um prazer ver a bola contigo, oxalá seja a primeira de muitas e que, independentemente do resultado, podamos disfrutar de uma equipa a crescer e a inspirar confiança.

grande abraço e boas festas!
tiago