quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

Cadete ídolo? Não. Esse já tinha desaparecido!

Eu adorava o Cadete. A sério que adorava e que, posso dizê-lo sem problema, o idolatrava. Lembro-me bem deste golo, como se fosse hoje. Estádios cheios, sem transmissões televisivas, as rádios tinham um papel fundamental que nos transportavam para outra dimensão. Outros tempos, mesmo para os adeptos.

Durante muitos anos, o Jorge Cadete era o avançado de referência. Era um símbolo do Sporting. Mas um dia, certo dia em que Sousa Cintra era o Presidente do clube, decidiu seguir um outro caminho. Esse caminho ditou a ruptura com o Sporting. Nesse dia, Jorge Cadete deixou de ser do Sporting. A decisão foi dele!

Um ídolo, uma referência do Sporting não encosta o seu "clube do coração" (apesar de tudo o Cadete era Portista, mais tarde é que se "transformou" em Sportinguista) à parede. A história é mais que sabida, vésperas do encontro com o Guimarães. Amuou e saiu para o estrangeiro. Não é interessante discutir esse passado.

Mais tarde, o seu destino voltou a ser Portugal. Diz o jogador que tentou voltar ao Sporting, tantas vezes ouvimos isto como justificação para o que a seguir fazem. O Sporting não o quer e assinam por outro clube. Foi parar ao rival Benfica, que na altura era presidido pelo lunático Vale e Azevedo.

No reencontro no relvado com o Sporting, Cadete de vermelho e branco foi protagonista do célebre jogo dos auto-golos do Beto. Reclamou para si o golo que não era. Fez questão de batalhar por isso, contra o seu "clube do coração" com a cor do eterno rival. Parecia o seu grito do Ipiranga!

Ídolo? Não. Esse já tinha desaparecido!

Nessa altura já não acompanhava a sua carreira, e pouco ou nada me interessava sobre o que fazia. Tanto no futebol, como na sua vida privada.

Já com Bruno de Carvalho na Presidência do Sporting, o jornal do Sporting fez capa com o jogador e insurgi-me contra isso, das poucas vezes que falei aqui dele no blog. Porra, a memória não pode ser curta!

Ao ser humano Jorge Cadete desejo que rapidamente recupere da sua situação, mas atenção que há milhares de portugueses a passar por iguais situações. Não sei quantos sócios/adeptos Leoninos sofrem todos os dias para sobreviver.

Fala-se que há um dívida de 3 mil euros, e certamente haverá hoje pessoas que estarão disponíveis para o ajudar, principalmente depois da reportagem da SIC. Sorte, porque ainda é uma personalidade que tem visibilidade. Houve uma altura que Portugal se apaixonou pelo romance dele com uma concorrente de um programa qualquer. Pode agora, quem sabe, solucionar o seu problema. Outros continuam a sua vida desesperados. Eu tenho pelo menos um caso pessoal e que lutámos todos os dias para o melhorar. Não tenho TV's e afins, nem nunca ganhei 1 milhão de euros.

Repito, para que não restem dúvidas, que desejo que o Cadete recupere rapidamente e se o meu clube entender o ajudar, caberá à Direcção essa decisão, aceito-a. Mas como jogador, o que representa actualmente para mim é praticamente igual a zero!

2 comentários:

Bruno Martins disse...

Pedro,
Excelente vídeo, excelente recorte de jornal, e um opinião que em tudo coincide com a minha.

Abraço

Bancada de Leão disse...

Obrigado Bruno, abraço!