quinta-feira, 23 de outubro de 2014

Os ricos mandam e a UEFA obedece!



"The Champions League is, therefore, a battle of resources. Those teams with the most money and the highest concentration of big players on their wage bills will win. The current status quo is for the best teams in Spain, England and Germany, as well as Italy and France, to consolidate the wealth gap between themselves and the have-nots."

A definição perfeita da Liga de Campeões por Peter Stauton. Não é novidade, o actual futebol, o que conta a nível financeiro é dominado pelos grandes clubes que na realidade quase sempre são os mais fortes na folha de pagamentos mensais.

O que aconteceu ao Sporting na terça feira passada, aconteceria com quase toda a certeza a outros clubes portugueses e de menor dimensão. Incomoda muito que Portugal ocupe uma posição tão relevante nos rankings da UEFA. Imagino que para os magnatas russos que investem na Rússia ou em França, lhes faça muita confusão gastar tanto dinheiro e depois no campo perderem ou continuarem atrás.

A questão no escandaloso jogo do Schalke contra o Sporting levanta outras questões que a UEFA não responde, nem está interessada em responder com vista à credibilização do futebol. A Gazprom patrocina o Schalke e ao mesmo tempo a Liga dos Campeões.

Afinal há ou não conflito de interesses em patrocinar um clube e ao mesmo tempo a competição em que esse clube é interveniente?

Afinal a UEFA está ou não preocupada com a sua reputação, as acusações que lhes são feitas, decorrentes desse relacionamento?

A UEFA não vai responder. Não quer saber e tudo continuará da mesma forma porque os ricos mandam, e a UEFA obedece!

O Sporting bem pode e deve fazer o que lhe compete e contestar a arbitragem de terça feira passada. Duvido que alguém lhe ligue. Infelizmente!

Da nossa parte, o adepto irracional, que apenas quer 90 minutos de futebol, ilusão, amor à camisola, só pode agradecer e manifestar-se das formas possíveis em relação a tudo isto.

No domingo encher Alvalade devia ser uma obrigatoriedade. A equipa merece pelo esforço que fez durante os 90 minutos na Alemanha. São as tais derrotas, que apesar de tudo, os adeptos compreendem o esforço e a dedicação dos jogadores.

Na quarta feira, 5 de Novembro, quando recebermos o Schalke só podemos e devemos, mais uma vez, mostrar a nossa indignação mostrando à UEFA que não nos esquecemos do "roubo" na Alemanha e aproveitar que a competição, e o jogo, têm uma cobertura mediática muito forte e passar a mensagem que sabemos perfeitamente que a UEFA está intimamente ligada a uma determinada "máfia", seja Russa, Francesa ou de outro país com uma vantagem financeira obscura de enorme dimensão!

1 comentário:

Zé Pelé disse...

De ano para ano o futebol tem vindo a ficar cada vez mais desigual. O fosso criado pela desigualdade financeira entre os clubes top e os outros é impressionante. É um pouco como está a acontecer na sociedade, ricos cada vez mais ricos e os remediados cada vez mais pobres. É um modelo que desvirtua o futebol. Mas, verdade seja dita, são já vários os exemplos de equipas portuguesas que têm conseguido contrariar este jogo que está a ficar cada vez mais viciado. Mas parece que conseguir voltar a fazer isso é cada vez mais difícil.