quarta-feira, 1 de outubro de 2014

Sporting 0-1 Chelsea :: Obrigado Leões!


Não gosto de perder, não gosto de ver o Sporting perder e isso deixa-me sempre bastante irritado. Mas ontem, não era possível sair de Alvalade triste ou cabisbaixo porque os Leões, os verdadeiros, de verde e branco e de Portugal, mostraram ao mundo que há qualidade para estar nos grandes palcos.

O grande palco é a Liga dos Campeões, a competição que todos os que amam (verdadeiramente, não resisti) o futebol e que são capazes de perceber que naqueles 90 minutos tens a possibilidade de ver jogadores de qualidade absolutamente fantástica. Atente-se o duelo Diego Costa vs Rui Patrício, que delícia!

A qualidade na Liga dos Campeões está (quase) sempre associada ao dinheiro. Não vou entrar na desculpa dos orçamentos senão os clubes com menos entravam sempre derrotados, mas é óbvio, que numa competição como esta, a diferença é ainda mais notada.

Os Leões, os de verde, que estiveram em campo foram fantásticos naquilo que era possível fazer. Um jogo contra o Chelsea não é, nunca será um momento para criticar más exibições. Houve algum nervosismo inicial, podia-nos ter custado muito caro, houve alguma dificuldade de alguns jogadores adaptarem-se ao adversário, um sinal que se notou bem, a quantidade de vezes que os nossos jogadores tinham de usar o corpo para segurar a bola, algo que na Liga Portuguesa é quase raro fazer, dado o valor dos adversários e o espaço que eles concedem, e todos notaram isso. Mas, nunca viraram a cara à luta.

É claro que este jogo ficará sempre ligado a Rui Patrício. O melhor guarda redes a actuar em Portugal, um dos melhores da Europa, manteve a ilusão até aos 90 minutos que era possível fazer qualquer coisa mais. Não foi, ficou o agradecimento do Mourinho no final do jogo, em mais uma atitude de charme que o técnico português foi fazendo ao longo da semana até culminar com o abraço ao Paulinho.

O resultado não foi o esperado, estamos agora no último lugar do grupo, mas atravessado continua e continuará o resultado que fizemos na Eslovénia. Esse sim, um jogo que devíamos ter ganho. A luta será a três.


Duas notas finais individuais: primeira para João Mário, é um regalo para os nossos olhos vê-lo jogar, parecia que a Liga dos Campeões era já uma habitual companhia do jovem jogador. Segunda vai para Paulo Oliveira onde o infortúnio de um pode ser a sorte do outro. Entrar para um jogo desta dificuldade e ter pela frente aquela constelação de estrelas só marca positivamente a sua estreia.

Palavra final para os adeptos que foram incansáveis durante os 90 minutos. Perto dos 70 minutos olhei durante largos segundos para os ingleses do Chelsea, calados, sentados, rendidos a uma estádio que nunca deixou de apoiar a sua equipa. Sarr foi acarinhado de princípio ao fim, Maurício aplaudido quando saiu lesionado (sim, não apaga o problema defensivo que temos) e no final, a Curva Sul já depois do árbitro apitar deu um enorme show no apoio à equipa Leonina.

Obrigado Leões!

1 comentário:

Pedro O. disse...

ou eu tenho má vontade, ou eu terei visto outro jogo...

os erros que foram mais que visiveis contra o fcp, voltaram a repetir-se agora de forma ainda mais evidente, a equipa tem o processo defensivo horrivelmente trabalhado, quantas vezes, ontem houve situações de 1x0 (avançado em frente ao Patrício)? 4, 5 6 vezes? inadmissivel, quantos metros vão das costas dos médios até à linha defensiva?

Ok, estou a ter má vontade, se calhar, mas com mais aplausos, menos aplausos, exigo uma equipa muito mais bem trabalhado, independentemente da avaliação individual que possamos fazer e aí haveria muito para falar, mas não é por ser o chelsea e os milhões do abramovich que entrarei no discurso romantico, dos pequenos herois que lutaram contra gigantes e das palmas recebidas no final.
Para mim, essa ideia é discurso de clube pequeno no qual não me revejo - quero mais e exijo mais e mais uma vez ontem, não gostei!

desculpem lá, mas este é o meu estado de espírito.

Já agora, fica claro que há gente com memória e gratidão! O Manuel Fernandes é um simbolo impar do clube e ninguem, ninguem mesmo apagará a sua imagem, não haverá medidas à imagem norte-coreana que apague a memória das pessoas, nem mesmo o "nosso querido lider"