quinta-feira, 26 de novembro de 2015

Arbitragem? Há quem queira mudanças!


Tenho falado deste tema ao longo dos anos neste blogue: a arbitragem. Mando vir, muitas vezes, ou melhor, mandava vir com a qualidade e o absurdo da actuação dos árbitros em Portugal, mas há muito que não acredito que alguma coisa se altere se a discussão não passar de meros abusos das palavras às segundas feiras nos cafés, nos programas de televisão e por aí fora.

São necessárias três condições para que a arbitragem em Portugal se modifique e passemos à fase seguinte e bem mais complicada.

Primeiro, os árbitros, os órgãos que os lideram, precisam de admitir que as coisas não estão bem e que é necessário mudar. Não chega o "choradinho" tradicional que ser árbitro é complicado, há muita pressão e por aí fora. Há em todas as profissões. É preciso que saibam que mudar e melhorar processos é o único caminho possível. Não vou lançar aqui ideias para melhoramentos na arbitragem porque para que isso possa acontecer é necessário que quem manda perceba a urgência de mudar.

Segundo, não podem ser os clubes grandes, os tradicionais 3, a monopolizar a conversa sobre arbitragem. Os pequenos, que representam 15 clubes na primeira divisão e 24 na segunda divisão, que representam mais de 95% do futebol português nestas duas divisões mais importantes do futebol, têm de tomar uma posição. São eles, na realidade, em conjunto, os mais prejudicados no futebol nacional e nunca, mas nunca estão interessados em promover a discussão. Pelo menos, não tenho visto essa vontade porque é mais fácil atirar-se para o chão num jogo de futebol, promover o teatro, pagar 40 euros e discutir nos jornais estas diabruras.

Terceiro, não podem os clubes com mais poder, falar da arbitragem e querer que se mude tudo e só voltar a falar passados três anos porque entretanto algumas coisas estão a mudar, principalmente dentro das 4 linhas. Nesse particular o Sporting, e não me canso de dizer isto, tem promovido essa conversa, antes de começar o campeonato, antes de haver decisões que nem sempre agradam a todos, mas prefere-se dizer que somos "calimeros", quando na realidade somos o clube que mais se preocupa e apresenta alternativas para uma arbitragem melhor!

Sem comentários: