quinta-feira, 1 de setembro de 2016

O regresso do Sporting ao mercado!


Fechou o mercado!

Finalmente podemos respirar um pouco e pensar naquilo que verdadeiramente interessa: futebol, tácticas e jogadores. Os clubes ricos podem fechar o cofre, ou quase, porque ainda há mercados abertos, os que vivem da compra e venda no momento, da acção/reacção, como é o caso do Sporting, podem respirar de alívio. Pelo menos para já!

Para o Sporting foi como avaliamos esta janela de transferências?

É impossível responder a esta pergunta, porque objectivamente só sabendo o resultado final desta acção, e que acontece apenas em Maio, é que poderíamos responder com a certeza total. Se o Sporting for campeão então correu muito bem, se não for, só podemos responder avaliando os resultados obtidos. O Sporting reforçou-se para continuar a lutar pelo título até à exaustão.

Há, porém, uma certeza: regressamos em cheio ao mercado. É inequívoco e é um sinal de vitalidade que há muito estava desaparecido. Saíram dois jogadores fundamentais da época 15/16, João Mário e Slimani, ficaram, pelo menos, outros quatro fulcrais, Patrício, William, Adrien e Bryan Ruiz. Vendeu-se como nunca tinha acontecido, comprou-se na mesma moeda, emprestou-se com sentido. O plantel para 16/17 dá, aparentemente, garantias de soluções para as diferentes posições, é, teoricamente mais reforçado e coeso para as três competições que temos pela frente: Campeonato, Taça e Liga dos Campeões.

Mas, reforço, é dentro de campo que as aquisições têm de mostrar o que valem.

Claro que já anda por aí uma teoria, inventada, de "campeões de mercado". Já li rivais a escrever estas coisas, alguns deles, falam mais do Sporting nas últimas semanas que certos Sportinguistas. Não embarquem nestas teorias bacocas, os Sportinguistas estão contentes, e devem estar, porque o Sporting, e a sua direcção, que ainda há duas semanas parecia moribundo nesta janela de transferência, reagiu bem às movimentações que aconteceram nestes últimos dias, sabendo dar respostas adequadas aos problemas com que se depararam.

Internamente é relevante verificar que os "governos sombras" estão ainda atónitos como o Presidente da "gestão danosa" vende 3 jogadores por 74,5M€, Naldo por 4,5M€, Mané por 2M€ por cada ano de empréstimo fixando uma clausula de 15M€ para a sua compra ou se "engole" o regresso de Elias porque o Sporting está acima de tudo e todos.

Saúda-se por isso o regresso do Sporting ao mercado com a força de outros tempos, com a coerência desejada e não tenho dúvidas que a Liga Portuguesa fica a ganhar e muito com esta dinâmica!

Sem comentários: