quinta-feira, 3 de novembro de 2016

Borussia de Dortmund 1-0 Sporting :: sem confiança!


O Sporting voltou a perder com o Dortmund. Podia ter feito melhor, poderia ter tido mais sorte, mas, tal como em Alvalade, e em Madrid, mostrar qualidade futebolística nem sempre chega para vencer. Não há vitórias morais, não embarco nesse sentido, mas fica a sensação que nos dois confrontos com a equipa germânica, pelo menos três pontos poderíamos ter conquistado.

Vamos recuar até segunda feira, quando num comunicado pouco interessante de Bruno de Carvalho sobre as eleições do Sporting, voltámos a cair no erro de falar dos outros, por diversas vezes, em vésperas de um importante confronto da Liga dos Campeões. Já tinha sucedido o mesmo no jogo em Alvalade diante do Borussia de Dortmund, voltou a repetir-se esta semana. Num momento em que a equipa precisa de reagir, sair do marasmo em que se encontra, falámos de outros. Sempre os outros!

Não havia necessidade nenhuma de relançar o tema das eleições, quando, neste momento, não há assunto nenhum para discutir. Que interessa que outros atirem candidatos para a rua que poderão enfrentar Bruno de Carvalho? Zero. Nicles.

São oficiais? Não. Vamos votar este mês? Não. Vão influenciar o rendimento da equipa em campo? Não.

Custa-me a entender que Bruno Carvalho não perceba que o seu trabalho será avaliado no devido momento e tem, para já, uma larga vantagem para ser re-eleito, por isso não há necessidade de discutir eleições quando ainda estamos a 5 meses desse momento, e nem candidatos apareceram. Jogar com ansiedade por antecipação não é característico de Bruno de Carvalho.

Chegámos pois ao dia do jogo. Como iria jogar o Sporting? Adrien estaria mesmo apto? Que esquema para enfrentar tão imprevisível adversário? Imprevisível, porque apesar de reconhecermos o enorme valor da equipa alemã, as suas únicas vitórias nos últimos jogos foram contra o Sporting (já contando com a de ontem).

Foi um dia complicado para os bipolares do Sporting. Aqueles que andam há semanas a pedir para que Jorge Jesus seja demitido e que lançam nomes como Rui Jorge, Villas Boas, Leonardo Jardim, entre outros.

Complicado porque o treinador Leonino escolheu uma equipa com Paulo Oliveira e Castaignos a titulares, numa esquema táctico de 3 centrais que espantou tudo e todos. A coisa não trouxe os resultados pretendidos, o Sporting joga sempre para vencer, mas jogou-se bem melhor que nos últimos encontros onde, lá está, Jorge Jesus foi colocado em causa pedindo-se a sua cabeça.

E desta vez, certos adeptos de ocasião, não podem queimar o Marvin e o Schelotto!

No jogo tivemos oportunidades de golo por Gelson (26’), Gelson (30’), Marvin (37’), Gelson (48’), Adrien (65’ e 70’) e Bryan Ruiz /76’).

Por aqui detectámos dois problemas que precisamos de resolver urgentemente: a dependência da equipa em relação à produtividade de Gelson. Para o jogador é um bom referencial pois está a fazer a sua melhor época de sempre, mas enquanto equipa, o Sporting não pode estar tão dependente do bom rendimento de apenas 1 jogador.

A falta de confiança na hora da verdade, que é como quem diz, no momento de fazer um golo. é o outro problema, grave, que está a afectar o clube. Os golos falhados contra o Nacional, Tondela ou Dortmund em casa, fazem toda a diferença para o actual momento que vivemos. Não concordo, no entanto, que Jorge Jesus tenha vindo referir que iríamos ter saudades de Teo.

Primeiro porque não é um estimulo para as actuais soluções, segundo porque a equipa deste ano é (quase) toda da sua responsabilidade.

Com a derrota de ontem não é impossível de seguir em frente na Liga dos Campeões, no entanto, da mesma forma que nós pensámos nisso, os adeptos do Légia pensarão em chegar à Liga Europa. É legítimo. No entanto, se aceito que a qualificação para a fase seguinte é um objectivo complicado desde o início que sabemos o grupo, já seguir nas competições europeias é quase uma obrigatoriedade. Falhar isso, é comprometer financeira e desportivamente um dos objectivos da equipa de futebol para este ano: fazer boa figura na Europa!

Sem comentários: