segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

A culpa é do Presidente!


Não há que ter dúvidas absolutamente nenhumas em relação ao desastre que para já é esta época: a culpa é do Presidente!

Dizer assim parece duro, forte e até, aceito, cruel. Votei, não me canso de referir, duas vezes em Bruno de Carvalho. Mas, como todos sabemos, quando se vence, mérito de jogadores e treinadores, quando se perde e as coisas estão mal, o Presidente assume!

Não pode haver dúvidas algumas que a responsabilidade máxima é do Presidente do Sporting. Apostou num treinador que não lhe está a trazer títulos, aumentou (e bem) o orçamento da equipas principal para criar uma equipa competitiva para a época 2016/17, contratou o Octávio,  o Nuno Saraiva, infelizmente nada disso está a correr bem. 

Nem creio, conhecendo Bruno de Carvalho como já o conhecemos, que fuja às suas responsabilidades. Se o fizesse, seria um enorme balde de água fria.

Nesta altura o que é mais preocupante no Sporting é ter a a equipa a jogar muito pouco, depois de uma época onde o futebol foi do melhor que vimos nos últimos anos, e olhar para alguns erros de gestão que faz lembrar o Presidente Bruno de Carvalho poucas semanas após assumir o clube depois das eleições ganhas.

Tudo isto é muito bonito, mas e agora?

Pois, é complexo. Porque as decisões a ter em conta devem ser ponderadas em relação ao período eleitoral que aí vem.

Despedir Jorge Jesus não resolve absolutamente nada. Farto da bipolaridade, e dos adeptos que moldam as atitudes em face do "80", na época passada era o maior, e do "8", é matá-lo!

A avaliação ao trabalho do treinador deve ser efectuada no final da Maio. Para mim não oferece discussão. Seja este ou outro qualquer Presidente a tomar a decisão. 

E depois ainda há o problema da rescisão. Era preciso que Jorge Jesus considerasse que não estava a fazer um bom trabalho e pedisse a demissão para que o custo da sua saída não fosse tão elevado. Não acredito nisso!

O mercado não funcionou. Bruno de Carvalho está, pelo que vimos em relação a esta época, rodeado ou de pessoas que não percebem de futebol, ou deixou tudo nas mãos do treinador e agora é complicado descalçar a bota. Falharam-se muitas contratações, o dinheiro desperdiçado é assinalável, mas, tal como disse em cima, a responsabilidade deve ser assumida por si. Nem é assunto!

Gostava de dizer que um Director Desportivo poderia resolver o problema na relação mercado-treinador, mas pelo que vimos no passado de Jorge Jesus, não me parece que isso seja solução. O ego do treinador não permitirá que alguém se intrometa nesse seu plano de acção. Por isso, Bruno de Carvalho trouxe Octávio Machado, no fundo, servia para não chatear JJ e apenas fazer o trabalho de falar contra os árbitros e afins, com pouco sumo.

Com isto chegámos ao ponto essencial, as eleições estão à porta, os programas ainda não foram apresentados pelos candidatos, não me parece haver dúvidas que só existirá uma forma de ultrapassar este período menos conseguido do Sporting: todos a puxar para o mesmo lado.

Ora, como estamos num período eleitoral, não me parece que vá ser, de todo fácil, haver um rumo único. O Sporting está dividido, não em partes iguais, entre os apoiantes do actual Presidente, os do candidato da oposição e os adeptos que não se identificam com Bruno de Carvalho mas também não querem um regresso ao passado de Godinho Lopes e companhia. Estes flutuantes podem ter um papel importantes nas eleições? Não sei. Ainda é cedo para perceber isso!

Há uma certeza, porém, que os resultados desportivos vão influenciar cada vez mais o lado do Presidente actual, a continuarem assim, de forma negativa. E a avaliação global do mandato será afectada pelo que o futebol conseguir fazer até Março.

No imediato, não é a afrontar os jogadores que vamos conseguir tê-los do nosso lado, mas fica o sinal que Bruno de Carvalho não os pode ver de forma tão próxima, pelo menos internamente. O distanciamento para todos é, para mim, o que deve o Presidente fazer neste período tão conturbado. 

Deixar o treinador...treinar, e ele Presidir os destinos do clube, como há muito não tem feito, e houve muitos assuntos em que ele, distanciado, soube e bem resolver o problema que encontrou. 

Espero, nesta altura, alguma cautela de Bruno de Carvalho, menos "spins" comunicacionais, menos entrevistas, menos discussões em praça pública. Separando, obviamente, o que é campanha ou não. 
Algum silêncio, não confundir com black-out, valerá nesta altura ouro!

2 comentários:

Juba Verde disse...

BdL

Gostava de perceber porque acham que JJ é director desportivo ou porque foi ele que deu os nomes dos reforços....

Quanto ao papel do director desportivo não podia estar mais em desacordo. Foi o facto de haver um e que percebia da coisa, que fez com que JJ a determinada altura abdicasse de gajos como Emerson e Cortez para apostar nos melhores.

SL

Bancada de Leão disse...

O JJ controla sempre aquilo que quer e como quer, não é à toa que ele é que escolhe o Octávio, porque sabia que não ia interferir com as escolhas dele. Quando se contrata o JJ, contrata-se com o pacote todo. Como aconteceu no Benfica, ou o Rui Costa alguma vez interferiu nas escolhas do Jesus?

SL