domingo, 9 de abril de 2017

Sporting 4-0 Boavista :: um olho em Alvalade, outro no pavilhão!

foto: Bruno Barros / DPI / NurPhoto via Getty Images

Que vitória fantástica do Sporting naquele que terá sido um dos melhores jogos da época. Aliás, o clube atravessa a sua melhor fase desde Agosto do ano passado, mesmo que os objectivos estejam (praticamente) todos perdidos. Mantém-se, no entanto, intacto o desejo de ajudar Bas Dost a chegar ao primeiro lugar, no final da época, do melhor marcador da Europa.

Quem me lê por aqui ou ouve no live podcast Sporting160, onde sou comentador residente, conhece perfeitamente o meu apoio a Alan Ruiz, e por isso vou começar pelo golo que inaugurou o marcador em Alvalade diante do Boavista.

Durante a tarde de ontem, lancei no twitter uma pergunta arriscada sobre a que minuto iria Alan Ruiz marcar o golo. Havia, claro, a oportunidade de dizer que isso não iria acontecer, indicando 0 nas respostas, e foi engraçado perceber que 101 utilizadores responderam e a confiança era tal que 95% deles indicaram o minuto da sua sorte. 

Provavelmente, há 3 meses, não tenho dúvidas que as respostas não eram as que hoje vimos. Alan Ruiz, que tivemos a oportunidade de ouvir alguns dados estatísticos que comprovam a sua importância no futebol do Sporting, é, por esta altura um titular absolutamente indiscutível e deixou-se de falar do valor da sua transferência. A evolução que sofreu, natural para jogadores argentinos, e fartei-me de falar do caso Acosta durante os meses de Agosto a Dezembro de 2016, está agora a dar frutos e é praticamente consensual que é um jogador importante para o Sporting 17/18.

A título de curiosidade o golo foi marcado aos 19m32s, e como não defini a regra sobre se isso representa o minuto 19 ou 20 de jogo, foram 2 os utilizadores a acertar (JoaoVentura822 e o nuno_11). 

A confiança dos Sportinguistas era tanta que ele ia marcar que os minutos mais escolhidos foram o: 27 e o 36 (sim, apareceram uns 2 Benfiquistas) com 7 vezes cada. Já agora, foram poucos os que indicaram os minutos da segunda parte, tal era o sentimento que ele iria marcar cedo e na primeira parte. Confiança total!

Se Alan Ruiz marcou o seu golo da ordem, já Bas Dost retomou o caminho da bota de ouro. Foram mais 3 golos e o Holandês continua imparável numa luta com Messi para conseguir destacar-se na Europa dos goleadores.

Fica cada vez mais claro que os 10 milhões de euros que pagámos pelo atacante ex-Wolfsburgo foi uma "pechincha"!

Gostava de ver o Pedro Madeira Rodrigues pedir desculpas pelo que andou a dizer e a escrever sobre estes dois jogadores, importantes activos do Sporting.

foto: Luís Pinho

Claro que o dia de ontem tinha um jogo mais importante que este contra o Boavista. Já o Sporting vencia por 2-0 e iniciava-se no Dragão Caixa uma importante partida de andebol para a luta pelo título de campeão nacional.

Centrei as minhas atenções nesse jogo, que não pude marcar presença no pavilhão azul e branco, mas que contou com uma presença assinalável de adeptos Leoninos. O Solar do Norte entregou todos os bilhetes disponíveis e mais tivesse, mais seriam entregues.

O andebol é dos jogos mais violentos para o coração dos adeptos Leoninos, principalmente esta época. Se em casa já tínhamos sofrido uma experiência traumática, a vencer por 7 fomos perder o jogo por 1, ontem a história repetiu-se, infelizmente!

Estivemos a vencer por 6, depois de uma grande exibição na primeira parte, parecíamos prontos a matar o borrego. O Sporting não vence há 17 anos(!) o Porto na sua casa. Mas nos segundos trinta minutos, onde só marcámos 9 golos, e estivemos os 6 minutos sem iniciais sem marcar um golo, foi o descalabro e saímos derrotados. É complicado ser campeão se não vencemos ao nosso adversário nenhum vez e este ano já foram 3 jogos.

Em Alvalade, no entanto, e perante mais de 40 mil adeptos, a festa continuava e o maestro da orquestra era Bruno César com uma magnífica exibição. 

Vitória fácil, merecida, na ausência de Gelson Martins lesionado, que nos continua a colocar naquela posição que ainda dá para sonhar. Sim, eu sonho sempre e muito, não quero pensar na vitória dos outros dois no campeonato e enquanto puder evitar pensar nisso, sigo contente. Haverá tempo para deprimir mais tarde...ou não!

Sem comentários: