Duas visões do mercado: antes e depois!


A avaliação do trabalho que Bruno de Carvalho efectuou neste período que encerrou ontem, só poderá acontecer no final da época. É nessa altura, quando olharmos para a tabela classificativa que iremos perceber se as compras, vendas, renovações e afins produziram os resultados esperados.

Claro que o trabalho do treinador também conta. As escolhas que faz para o 11, as substituições, os esquemas tácticos, a equipa técnica que o acomapanha ou os métodos de treino, tudo isso são opções de Leonardo, mas, quem escolheu Leonardo foi o Bruno.

Portanto, não há muito para dizer neste momento se quisermos objetividade. Os dados estão lançados e o que nos vai calhar em "sorte" já está em andamento. Haverá tempo, e mais que tempo, para falar desse assunto.

No entanto, há uma coisa que sabíamos e que teríamos a certeza. A diferença entre o que foram os últimos anos de Sporting pelas Direcções anteriores e o que esta iria começar a implementar. Estava à vista de todos, ou pelo menos parecia estar. Os que votaram em Bruno estavam conscientes disso.

Essa visão está bem explicada na imagem que hoje o jornal Record apresenta na sua edição de hoje e ilustra o post.

São duas visões de mercado distintas. Sem entrar na qualidade dos jogadores, e no que poderão representar na sua valia como plantel, são notórias as preocupações da actual Direcção:
   
   a) gastar pouco (e certamente bem na sua opinião), preencher as lacunas identificadas;
   b) vender o que está a mais (seja pelo que ganham ou pelas possíveis mais valias a gerar);
   c) renovar quem quer e deseja representar com dignidade o Sporting, limpar a casa;
  d) não encher os bolsos dos agentes sendo apenas o Sporting o único prejudicado no negócio, financeira e desportivamente;

Premissas fundamentais para manter equilibrado o clube. Os anos de má gestão, só podem nesta altura se combatidos com rigor, que lembra o país e que custa a todos.

Vai dar resultados? Cenas dos próximos capítulos em breve!

Comentários

Alexandre disse…
Estou a falar de memória, mas parece-me que a imagem do Record tem imensos erros em ambos as direcções:

Ilori parece que foi 7,5 em vez de 8 ou 8,2
Bruma foi 10 em vez de 12
Rojo foi 1M por 25% do passe
Montero acho que foi 500 mil pelo emprestimo, com a compra ainda não ter sido oficializada
Labyad se bem me lembro tivemos que pagar uns cobres tb (abaixo do 1M)
A venda de Arias e Schaars não foi de 4M, aliás acho que nem chegou 2M
Ainda há Viola, cujas notícias da sua entrada e saída do Sporting variam: custava 4 milhões, mas só pagamos 1M ou não pagamos de todo pois veio por uma parceria. A sua saída foi um emprestimo.
Edgar disse…
Os "zeros" nas compras do Godinho Lopes são falsos.

Como já se viu em relatórios da SAD as comissões e "luvas" foram astronómicas, pelo que o valor é mto superior.

Este trabalho não reflecte o despesismo e o que, sobretudo, a anterior direcção andou a fazer.

Mensagens populares deste blogue

A actual Direcção do Sporting deve marcar uma AG para ouvir os sócios. Já!

Macron, Nike, quem para o Sporting?

Obrigado, Ristovski!