Sporting 1-1 Benfica :: derby, esse amor eterno!


É preciso ser-se muito estúpido para se achar que no final do jogo, os fiéis adeptos Leoninos estavam a festejar um empate. Raramente fico muito tempo no final do jogo para lá do apito final, os agradecimentos normais dos jogadores na Bancada Sul e depois sigo o meu caminho. Ontem foi diferente. Foi contra o Benfica, mas podia ter sido contra o Arouca. A equipa deixa tudo em campo, é o mínimo que se pede a quem veste aquela camisola. O nosso reconhecimento foi o que aconteceu nos minutos seguintes ao apito do árbitro.

Viveu-se ontem uma grande jornada de Sportinguismo. Objetivamente? Segunda maior casa em jogos oficiais para o campeonato. Ajudava o facto de estarmos no primeiro lugar à partida para este jogo? Claro. E jogar contra o Benfica? Um derby é, e não me canso de repetir, o jogo mais apetecido da época. Vivem-se emoções que em nenhum outro jogo isso acontece. Obviamente, que vale apenas 3 pontos, mas era impossível ser de outra forma.

Quem estava frente a frente antes da partida se iniciar? Duas equipas em trajetórias completamente distintas. O Sporting, equipa praticamente renovada  e começada do zero, com uma base muito forte de jovens jogadores, a querer mostrar contra um adversário mais forte que é possível fazer um campeonato interessante. Do outro lado, um Benfica forte, ainda sem ter encontrado o seu caminho, mas claramente um candidato ao título com argumentos, que para já, o nosso clube ainda não tem.

Por isso o jogo foi como foi. Uma primeira parte totalmente dominada pelo Sporting, mas com poucas ocasiões de jogo. Montero a marcar, não deixando dúvidas da sua qualidade. Calaram-se também muitos críticos quando vêm com a história dos jovens que tremem nestes jogos e que a responsabilidade acrescida os condiciona. Não se viu isso. Diria apenas que ao lado do jogo, ontem passaram Carrillo e Wilson Eduardo.

Faltou-nos discernimento, mais controlo sobre o jogo para ainda na primeira parte, quem sabe, determinar o vencedor do jogo.

Não aconteceu. A segunda parte começa com uma história completamente nova. O Benfica mais forte, com outras soluções, digo-o e mantenho-o, a empurrar o Sporting que, durante 20 minutos não pressionou, Leonardo Jardim demorou a mexer e sem ajustar o esquema táctico e fundamentalmente sem retirar de jogo as peças que estavam com fraco rendimento. O golo do Benfica aconteceu num momento em que o Sporting parecia estar a jogar em inferioridade numérica.

O Sporting reagiu. Talvez um pouco tarde. Os últimos minutos foram novamente intensos, dá a sensação que entre o golo do Benfica e o início de uma ponta final onde procuramos vencer o jogo, havia pouco fulgor físico. Durante esse período, alguns jogadores estavam rebentados fisicamente. 

A vitória do Sporting ficava-nos bem. E diria que dominamos mais tempo de jogo que o Benfica nos 90 minutos, a estatística também o confirma, mas só contam as que entram. 

Bons indícios para o futuro? Gosto do rumo que a equipa está tomar. Base fiel de jovens jogadores, que acreditam que estão no melhor clube do mundo. Depois acrescentam-se jogadores experientes e que tragam qualidade ao jogo. Para já está resultar. Não vencemos nada, mas conquistamos jogo após jogo uma equipa. Algo que anda perdido há alguns anos!

Comentários

Unknown disse…
Pedimos desculpa mas é apenas para divulgar. Um casal, a crise, poupanças e histórias de quem vive a crise como muitos outros, mas onde a poupança é o melhor remédio. Pode passar a mensagem…? Obrigado!

http://ocarteiravazia.blogspot.com/

Mensagens populares deste blogue

A actual Direcção do Sporting deve marcar uma AG para ouvir os sócios. Já!

Macron, Nike, quem para o Sporting?

Obrigado, Ristovski!