domingo, 10 de novembro de 2013

Benfica 4-3 Sporting :: derby com sabor amargo!


Que orgulho ver tantos Leões regressar à Luz em dia de derby. Mais de 6.500 adeptos que estão, aos poucos, a devolver o Sporting ao seu lugar. A identidade própria que sempre tivemos solidifica-se com estes momentos. A todos eles, sem excepção, o meu muito obrigado. Ouvir-vos durante 120 minutos a puxar pelo Sporting é um prazer enorme!

Não embarco em moralismos, o vencedor da noite não fomos nós e isso é um facto, mas para uma equipa com apenas 3 meses de competição, depois do descalabro dos últimos anos, tenho que realmente agradecer ao treinador e sua equipa técnica, à direcção e aos jogadores que dentro de campo nos fazem sempre acreditar que é possível.

Assistimos ontem a um dos melhores derbys de sempre. Não foi tecnicamente delicioso, mas ao nível da entrega e da disponibilidade dos jogadores para nos presentearem com um grande jogo de futebol, isso não nos podemos queixar. O derby é isto. Golos, emoção e no final custa muito a quem perde, principalmente numa competição a eliminar.

O jogo do Sporting está claramente dividido em 2 partes. Na primeira praticamente só entramos em jogo aos 25 minutos. A certa altura dava para perguntar se a segurança do estádio nos tinha privado da nossa equipa. A forma fácil com que o Benfica chegava à nossa área antevia o pior. O Sporting apresentava-se macio na pressão ao adversário com bola, e os jogadores que poderiam e deveriam ser duros....pecaram por alguma deficiência técnica. Assim surgiu o golo do Benfica, num livre que foi mal cometido, por tudo o que disse atrás e mal defendido.

Mas reagimos. Destacavam-se por essa altura no Sporting, William Carvalho na recuperação de bolas, e Montero pela forma como a segurava na frente. E foi num lance em que a endereçou para Wilson que Capel em grande estilo marcou um golaço que atirava o jogo para um empate.

E de repente tudo a ruir!

Tal como há dias no Dragão, marcamos um golo e não tiramos partido da força anímica que esse golo pode e deve dar. Em apenas 3 ou 4 minutos sofremos 2 golos e um hat-trick consumado do mal amado, tosco para alguns da Luz, avançado benfiquista.

Chegar ao intervalo a perder por 3-1 com um final dramático para os nossos lados, a mim, e não deixo de o dizer, tirou-me a esperança por completo. Sou sincero!

A única coisa que conseguia pensar no intervalo, é que este ano apesar de tudo com menos, temos feito mais e que contra os rivais...a coisas complica-se muito e não é só por causa dos 11 em campo.

A segunda parte começa com uma grande penalidade sobre Montero, marcava o relógio 53'. Nada assinalado, ali mesmo à frente de Duarte Gomes. O relógio a passar, 15 minutos decorridos, e pouco mais que meia hora para terminar a eliminatória. Leonardo decide mexer!

Em boa hora o fez. O Sporting sem medo, destemido atirou-se para cima deles. Primeiro entrou Carrillo. A ala direita passou a ter mais profundidade e mais velocidade, Capel derivou para a esquerda e depois de uma grande jogada de Adrien, aos 61', no canto Maurício atirou para dentro da baliza de Artur!

Carlos Costa - ZeroZero

Depois entrou Slimani. O que tenho ouvido ao longo dos últimos tempos sobre o Argelino, ontem deve ter feito alguma confusão a alguns. Tem pouca rotina, tem jogado pouco, mas quando entra em campo tem dado tudo. Trabalhado pode render muito ao lado de Montero. 

E assim foi no 4-4-2 a partir do momento em que pisou o relvado da luz. Mas não chegava. Não estava a chegar. 

Leonardo lança Carlos Mané a 10 minutos do fim. O jovem jogador começa a deambular por entre os adversários,  e num dos lances Slimani atira ao poste. O desespero era total, mas a crença continuava intacta.

Já em período de descontos, em novo lance de bola parada, o argelino marca de cabeça, um remate que quase parecia com o pé, e atira-se para cima dos adeptos. Há lá coisa melhor que ver esta comunhão na comemoração do golo!

Prolongamento. Mais 30 minutos e o coração a mil!

(pausa para respirar)

O Sporting tinha acabado de conseguir, o que eu nunca acreditei ao final de 45 minutos. Empatar a partida e no mínimo íamos deixar a Luz com uma agradável exibição. 

Do nosso lado já não era possível fazer mais substituições e o tempo regulamentar começou da pior forma, num lance completamente caricato com Patrício a ser mal batido. Luisão sem saber como, e com os seus companheiros a reclamarem uma grande penalidade, que não existe, a bola passa pelo meio das pernas do guarda redes do Sporting.

Não foi o golpe de misericórdia, porque já se tinha visto que tudo podia acontecer neste derby.

Esse aconteceu aos 107' minutos quando nova grande penalidade não foi assinalada. As forças para reagir começaram a falta e até aos 120 minutos ainda houve oportunidade para uma oportunidade falhada por Slimani que poderia ter lançado o jogo para grandes penalidades!

Não vencemos como disse no início do jogo, e na história, nos manuais dos derbys, nas enciclopédias do futebol ficará este resultado como figura principal deste jogo, mas a equipa que ontem esteve na Luz provou que, pode até não estar assim tão longe dos seus principais adversários. 

Por fim, falar dessa criatura de preto com aquele sorriso manhoso que ontem apitou o jogo. Não merecíamos que fosse o árbitro deste jogo. Duarte Gomes há muito que é persona non grata para os lados de Alvalde, pelos episódios que se conhecem. A sua nomeação é uma afronta, quando durante a semana se falava que seria outro o árbitro. Mas as pressões que foram feitas...resultaram.

O cancro do futebol nacional são estes senhores que não percebem absolutamente nada de um profissão que precisa de profissionais. Bruno de Carvalho reagiu no final do encontro e de forma muito forte. Eu percebo-o, compreendo-o, mas há um factor que nunca estará do nosso lado, a estrutura que manda no futebol. Foi assim com Pinto da Costa quando dominavam todos os órgãos que interessavam no futebol nacional e lhes permitiu crescer com vitórias obscuras.

A aliança, como referiu, não irá funcionar. Nem é esse o caminho que se quer, porque ontem para alguns que por lá andam na casa do vizinho, aquilo continua a ser limpinho, limpinho. Ou seja, são capazes de falar dos Proenças, da fruta a norte, mas de resto...pouco mais!

Termino com um novo agradecimento a todos os que ontem, nos seus papeis, tiveram um papel determinante para mostrar que O Sporting é Nosso!

Sem comentários: