sábado, 9 de setembro de 2017

Feirense 2-3 Sporting :: aguenta coração pelo Leão!


Que grande vitória do Sporting em Santa Maria da Feira. Justa, quanto sofrida, com o apoio incrível dos adeptos que nunca, em momento algum, deixaram de acreditar na conquista dos 3 pontos.

Só no final do jogo soube da triste notícia da morte de Maria de Lourdes Borges de Castro, as minhas sentidas condolências à família, o Sporting perdeu uma enorme Leoa. Bonita a homenagem de Battaglia nas redes sociais e tantas outras que fomos assistindo depois do conhecimento da triste notícia.

O Sporting apresentou-se no Estádio Marcolino de Castro com o 11 titular que, diria, praticamente todos concordariam. Com Coentrão lesionado, Jonathan Silva assumiu essa posição, com Adrien vendido foi a vez de William voltar à titularidade ao lado de Battaglia e Bruno Fernandes.

É importante realçar que do outro lado encontrámos uma equipa que começou bem o campeonato, extremamente bem organizada, que tinha 2 vitórias e 2 empates, com uma frente de ataque bem acompanhada pelos extremos e que, ontem, proporcionaram, a par com o Sporting, um excelente jogo de futebol. Acho, no entanto, que o Feirense não tem necessidade de fazer tanto anti-jogo, principalmente, no seu estádio.

Essas dificuldades impostas pelo Feirense foram notadas nos primeiros minutos de jogo do Sporting. Entre o cansaço visível de alguns dos internacionais e a incpacidade de assumir o jogo no meio campo, o Sporting demorou até conseguir alguma superioridade perante o seu adversário.

Quando o ascendente começava a ser notório, no entanto, sem grandes oportunidade de golo, Piccini lesionou-se. Um quebra cabeças para Jorge Jesus que resolveu colocando Battaglia na direita, desceu Bruno de Fernandes no apoio a Bas Dost e colocou Alan Ruiz a segundo avançado.

Os vinte e cinco minutos seguintes foram de adaptação e alguma dificuldade pelas transições rápidas para o ataque por parte do Feirense. Battaglia fechava na direita, mas, devido à sua posição habitual tinha a tendência a descair para o centro do terreno, e Gelson, que nunca jogou com Battaglia naquela posição percebia-se que estava com dificuldade de entendimento no flanco direito, o que era natural.

O intervalo chegava com um nulo no marcador e com um problema adicional para o Sporting. Alan Ruiz estava desencontrado com o jogo, e se já estávamos coxos na direita, embora sem comprometer, no transição para o ataque, o Sporting estava apático.

A segunda parte começa de forma completamente diferente.

O Sporting veio forte e com outra dinâmica. As oportunidades começaram a aparecer. Canto bem marcado a criar problemas a Caio Secco, a bola vem para Coates que na recarga abriu o marcador. Estava encontrado o caminho para o golo.

Não foi preciso esperar mais que 3 minutos para Bruno Fernandes voltar a espalhar magia na baliza adversária. O lance do segundo golo do Sporting é mesmo à minha frente e é absolutamente mágico.

Gelson Martins faz um passe incrível, Bas Dost simula a cabeçada, até porque percebe que não chega à bola, Bruno Fernandes recebe de forma sublime a redondinha, olha para o guarda redes e pica a bola para entrar no único sítio possível, entre a barra e o defesa que até se lesiona nesse lance. Sublime!

Sou sincero, nesse momento pensei que o jogo estava ganho, apesar de faltarem 25 minutos para o jogo. E porquê? Porque a defesa do Sporting tem estado bem, não acreditaria ser possível sofrer 2 golos.

O problema é que a bola foi ao centro de jogo, depois surge o canto para o Feirense e há a sensação de adormecimento dos jogadores do Sporting, algum relaxamento a pensar já na vitória e a equipa de Santa Maria da Feira a ganhar novo alento com o golo.

Depois surge um erro de Jonathan, curiosamente foram várias jogadores a fazer passes comprometedores nada normais, e Peter Etebo a fazer um bom golo sem hipóteses para Patrício.

A 10 minutos do fim víamos fugir 2 pontos. Mas, tal como disse em cima, quero também valorizar o bom jogo de futebol que a equipa do Feirense praticou.

Ora, o Sporting nunca desiste. Vai sempre à luta e nesse particular quero destacar Acunã. Que pulmão, que raça. Um jogador que foi para o outro lado do mundo, fazer jogos internacionais, regressa com atrasos nas viagens de avião, faz 90 minutos e sempre com o dentes cerrados na disputa de cada bola e com um pé esquerdo maravilhoso.

Como nunca desistimos, fomos para cima do Feirense, que praticamente sufocou, e procuramos o golo até ao limite das forças e do tempo, até que surge um pénalti claro sobre Coates e Dost, com uma calma incrível, ensinado por JJ a marcar, e bem, as grandes penalidades, não perdoou.

Setembro começa como Agosto terminou com mais uma vitória. O Sporting em 5 jogos do campeonato leva já 5 vitórias. É um bom sinal!

Nota final para as condições miseráveis que continuaram a existir nos estádios em Portugal.

Jogo marcado para as 19h de um dia da semana, entradas minúsculas para o estádio, no meu caso, levou a que entrasse com o jogo a decorrer, preços absurdos e no intervalo, o sistema de rega activado a molhar os nossos adeptos. Onde aconteceu uma situação curiosa, os bombeiros foram chamados a intervir na bancada por trás da baliza onde estavam os adeptos Leoninos, o sistema de rega ligado a molhar os bombeiros que assistiam o adepto. 

Enquanto os senhores do Feirense nada faziam, felizmente os bombeiros habituados a contrariedades, um deles levantou-se e dirigiu-se ao tal aspersor e colocou-lhe uma tábua em cima, para gáudio dos adeptos no estádio.

É pena que a Liga Portuguesa continue a fechar os olhos ao que se vai passando semana após semana nos estádios Portugueses que abusam dos adeptos de futebol que sustentam tudo isto!

Sem comentários: