quinta-feira, 28 de setembro de 2017

Sporting 0-1 Barcelona :: táctica certeira não foi suficiente!

foto: Bruno Barros / DPI / NurPhoto via Getty Images)

Não sou, nem nunca serei, a favor das vitórias (ou empates) morais, mas não tenho dúvidas que o Sporting, ontem, fez o que lhe competia para, pelo menos justificar 1 ponto. São este tipo de jogos que muitas vezes dizemos que, apesar da derrota, a equipa, com as suas limitações, fez o que lhe era possível para conseguir um resultado melhor.

Confirma-se, também, e pelo menos para já, que a história da nossa morte anunciada neste grupo antes da bola começar a rolar, é exagerada. Tudo no papel pode ser simples, mas é em campo que se demonstra o valor que as equipas têm. Não sei se o Sporting vai conseguir passar à fase seguinte, mas, pelo menos, os sinais são positivos ao fim de 2 jogos.

Jorge Jesus colocou o 11 que todos esperavam. A dúvida, única possível, antes do jogo era entre Dost ou Doumbia. O atacante da Costa do Marfim foi titular, mas infelizmente, num lance que até acabou por levar amarelo por simulação de grande penalidade, saiu lesionado.

Dost entrou, mas está com uma falta de confiança gritante. É preciso que em Alvalade, principalmente em casa, com o apoio forte dos nossos adeptos, se dê confiança ao jogador para acreditar que pode e vai voltar a ser feliz!

Todos sabem da dificuldade que é jogar diante do Barcelona. O Sporting não está habituado a não ter mais posse de bola que o adversário, mas contra os catalães esse era um dado adquirido e confirmado no jogo. O Barcelona chegou aos 68%, logo ao Sporting cabia conseguir interpretar o jogo e através do posicionamento dos seus jogadores, contrariar o maior domínio natural do adversário através da táctica. Nesse aspecto estivemos irrepreensíveis. O maior domínio de bola do Barcelona não se traduziu na supremacia de oportunidades que se poderia esperar.

Nesse particular, Mathieu, Battaglia e William Carvalho foram absolutamente triunfais. Claro que Bruno Fernandes e Patrício têm nota meritória, mas os 3 que falo no início estiveram sublimes dentro de campo.

Mathieu limpou tudo, Battaglia "lavrou" o campo todo e William esteve no trono a comandar os guerreiros nesta dura batalha. Aliás, Sir William andou perto dos 90% de passes completos, 5 em 5 nos passes longos, 8 em 10 nos duelos e 4 recuperações. Notável!

Tudo isto apoiado nos mais de 48 mil que encheram Alvalade. Uma força incrível!

Então que raio aconteceu para não conseguirmos, pelo menos, 1 ponto?

Futebol, para começar. Depois, sofremos um auto-golo, o melhor do ataque do Barcelona. Que curiosamente viu estar envolvido nesse lance Coates, em noite desastrosa.

Não quisemos ou não soubemos ser felizes. Essencialmente faltou acreditar em determinados momentos que os remates podiam mesmo entrar na baliza de Ter Stegen.

E, claro, amarelaram-nos cedo e de forma constante ao longo dos 90 minutos. Incompreensível, ou talvez não!

O Sporting não tem sido o bombo da festa que muitos preconizaram. Bem pelo contrário, tem demonstrado que a equipa está ao nível para competir na mais importante prova de clubes de mundo e isso só no pode deixar-nos felizes.

Felizes, mas convictos que não vivemos de vitória morais e agora que as agulhas apontam ao campeonato nacional, as vitórias, dos 3 pontos, terão de ser confirmadas dentro de campo. A começar já no próximo domingo onde se prevê um excelente encontro de futebol e que, felizmente, vou poder presenciar ao vivo!

Sem comentários: