quinta-feira, 26 de outubro de 2017

A greve não é de agora!


Os árbitros têm todo o direito a fazer greve. Não vejo que isso seja um problema e até fico contente que, finalmente, a greve não esteja relacionada directamente com o Sporting. Durante anos a fio, esta classe de profissionais (ou quase), reagia apenas e só ao ao que sucessivas direcções do Sporting colocavam em causa no que referia ao seu trabalho. Normalmente, com a razão do nosso lado.

Por isso, repito, aceito o direito à greve, tal como consagrado na lei, e por momentos, deixem de "funcionar". Já agora, alguém os avise que o vídeo árbitro já fez greve durante o fim de semana passado.

Se aceito a greve, já as razões, provavelmente, algumas são viáveis, outras, um verdadeiro atentado à sua função enquanto responsáveis por acções dentro de campo que podem modificar por completo uma partida de futebol.

Por exemplo, Rui Costa, árbitro que esteve no fim de semana em Alvalade. Não assinalou grande penalidade sobre Gelson Martins e ainda escreveu o que escreveu no relatório.

Eu aceito que sem recurso às imagens possa ter pensado que não era grande penalidade. Eu tive o mesmo juízo. Mas depois vieram as repetições e as dúvidas desapareceram. A mim, aos que viram em casa na televisão, ao vídeo árbitro. Rui Costa viu uma, duas, três, voltou atrás e viu mais uma vez, e manteve a decisão. Decisão essa, que na segunda feira foi unânime para os antigos árbitros que pululam nos jornais desportivos: era grande penalidade. Rui Costa errou. De forma grosseira!

Sabíamos que o vídeo árbitro não iria modificar tudo no futebol nacional, mas não tenho dúvidas que tem ajudado a repor alguma verdade desportiva e, acima de tudo, a separar o trigo do joio, tal como o Apito Dourado já tinha feito.

Mas o Apito Dourado não deu em nada. Infelizmente. Os problemas processuais tramaram o que todos sabemos que aconteceu. E agora temos os e-mails.

Não faço juízos sobre algo que ainda poderá ou não ir a tribunal, mas não posso ignorar o que por aí se tem falado. E desde já aviso que não me interessa se isto foi ou não levantado pelo Porto. Para mim é irrelevante. A justiça tratará de avaliar se há ou não corrupção ou o que quer que seja.

Agora tenho uma certeza, é que enquanto os árbitros querem fazer greve e continuar calados, enquanto tudo isto se vai passando no nosso futebol, os Presidentes da Liga e da FPF já estão em greve há muito no que toca a comentar este tipo de assuntos.

Em tempos foram céleres a falar sobre o que certos elementos ligados ao Sporting diziam nos jornais, televisões e por aí fora. Reprimindo-os da liberdade de expressão. Afirmavam mesmo que isto era prejudicial para o futebol Português, mas, numa altura em que buscas foram efectuadas a casa de Presidente e elementos ligado à direcção de um clube da Liga Portuguesa, neste caso, apenas e só o tetra campeão nacional, nada dizem e mantêm a greve de silêncio em que estão mergulhados.

Não vejo melhor altura em que tanto se tem falado de arbitragem, seja pelos casos dos e-mails, seja pelas falhas técnicas do vídeo árbitro, para Arbitragem, pelo seu responsável máximo e Presidentes da Liga e da FPF falarem e mostrarem a todos nós que podemos e devemos acreditar nas instituições que tudo querem fazer para credibilizar o nosso campeonato.

A greve foi anunciada pelos árbitros, mas há muito que a greve de responsabilidades se vem arrastando pelo futebol português e por quem dirige os seus destinos!

Sem comentários: