segunda-feira, 23 de outubro de 2017

Sporting 5-1 Chaves :: o regresso de Bas Dost aos golos!

foto:  Gualter Fatia/Getty Images

Exibição fantástica do Sporting, uma mão cheia de golos e o pleno em eficácia. Foram 5 remates à baliza, estatística WhoScored.com, entraram 5 bola nas baliza defendida por Nunes.

Jorge Jesus admitiu na conferência de imprensa que não esperava um jogo desta capacidade pelo Sporting. Nem ele, nem, certamente, quase todos nós. A vitória poderia e deveria ser natural, uma superioridade como a que se viu, talvez não se esperasse. No entanto, tal como tinha escrito no texto do jogo contra a Juventus, se nos falta alguma qualidade para poder dar o "cheque-mate" em alguns jogos da Liga dos Campeões contra os "tubarões", no Campeonato Nacional, e contra equipas fora do círculo do 3 grandes, diria que a qualidade é bem superior e quando tudo corre bem, os golos surgem com toda a naturalidade.

É de golos que falámos, é incontornável não falar de Bas Dost.

O Holandês marcou 34 golos na época passada e foi o segundo melhor marcador da Europa atrás de Messi. Foi, sem dúvida alguma, dos poucos que cumpriu na época passada e que não correu nada bem ao Sporting.

Nas primeiras 3 jornadas do campeonato marcou 3 golos. Nas seguintes 5 jornadas marcou apenas 1. Esse que marcou, curiosamente, deu 3 pontos. Foi a grande penalidade em Santa Maria da Feira. À partida para o jogo de ontem em 8 jornadas tinha apenas 4 golos, o que é manifestamente pouco.

Entre a falta de confiança, clara, e as poucas bolas que lhe chegavam, e uma ligeira lesão pelo meio, já sentiu o que é ser jogador do Sporting e levou com críticas, algumas delas bem injustas. 

Felizmente não se deixou abater e quando o jogo é feito à sua medida, e ontem Gelson, Podence e Acuña contribuíram e muito para isso, Bas Dost está lá para marcar. Em 65 minutos fez um hat-trick e mostrou que a técnica, o posicionamento e o faro para o golo continuam lá e o Sporting só tem a ganhar com isso.

Se Bas Dost regressou, e bem, aos golos, Podence voltou com uma exibição de alto nível. 

A colocação do jogador atrás do ponta de lança permitiu ao Sporting jogar mais pelo centro do terreno do que tem acontecido, e com o sucesso que ontem assistimos. Bruno Fernandes perde espaço para remate, ontem só praticamente tentou por 1 vez, mas também ganhámos com o seu posicionamento mais organização na posse de bola quando partimos para o ataque.

Gelson e Acuña ficam mais libertos para fazer aquilo que melhor sabem, não só explorar bem as laterais, como deambular para o centro de terreno e ontem, o argentino, marcou dois golos.

Tacticamente o Sporting esteve irrepreensível, foi uma vitória fundamental em vésperas, já na próxima sexta da visita a Vila do Conde, campo tradicionalmente complicado.

Nota final para os mais de 40.000 adeptos em Alvalade, que mais uma vez estiveram 90 minutos ao lado da equipa e de tarde, diga-se, encheram o Pavilhão João Rocha para ver uma vitória do futsal. Os dias de Sportinguismo regressaram à sua casa!

Por fim, não quero deixar de realçar que a Liga Portuguesa continua a maltratar e muito os adeptos de futebol em Portugal que pretendem ir aos estádios. Já sabemos do eterno problema da marcação dos dias e horas das jornadas com antecedência, pois nem os regulamentos criados por eles respeitam. 

Marcar um jogo destes para as 20h15 de um domingo, é dizer claramente aos adeptos do Chaves, fiquem em casa. Um bem haja aos que vieram de trás-os-montes. Isto é válido para eles, como seria para os de Portimão que tivessem de ir a Braga. 

Quem manda no futebol continua a desprezar o seu maior activo: os adeptos!

Sem comentários: