Sporting 2-0 Famalicão :: serviços mínimos!


Vitória com os serviços mínimos dos Sporting diante do Famalicão para a 4ª eliminatória da Taça de Portugal.

Competição que só pode estar a ser desprezada pela Federação. Não se compreende como se trata tão mal uma competição mítica e absolutamente fundamental para o futebol Português. Um jogo à quinta feira à noite, com a competição principal parada, é pura simplesmente para afastar os adeptos do estádio.

Bem sei que há jogos da Liga dos Campeões na próxima semana (e às tantas da 2ª Liga), mas teria sido muito mais agradável para todos, porque não, colocar o jogo de ontem (e até o de hoje no Dragão), por exemplo, a uma sábado ou domingo de manhã.

Veja-se que os adeptos do Famalicão (e hoje os do Portimonense) têm de fazer centenas de quilómetros para apoiar a sua equipa e regressar a casa quase com o sol a nascer no dia seguinte. Já por isso, o meu agradecimento e vénia, aos perto de 1.000 adeptos Famalicenses que ontem estiveram em Alvalade!

Quanto ao jogo em si não foi muito diferente do que se poderia esperar. O Sporting apresentou, inicialmente, uma segunda linha em campo que, na realidade, deveria e poderia ter feito muito mais. Certo que o Famalicão jogou muito bem, defensivamente esteve irrepreensível, principalmente na primeira parte onde aguentou o nulo que se verificava ao intervalo.

Na segunda parte, Jorge Jesus começa a alterar a equipa prevendo que as dificuldades se pudessem tornar num problema, era primordial evitar o prolongamento, e à falta de golos do Sporting, respondia Rui Patrício com boas defesas. 

Eu percebo que os outros jogadores do Sporting se sintam seguros por ter na baliza aquele que é um dos melhores guarda redes da Europa e que está numa forma incrível. Mas isto é como história dos super-heróis, não chegam a todos os problemas e há uma altura em que algo falha. Esse, era, essencialmente o meu medo, que o Famalicão num golpe de sorte ainda marcasse o golo com o resultado ainda em 0-0. Nem o Rui deixou e depois entrou o Bruno Fernandes para acabar com a história do jogo.

Dos seus pés saíram as assistências para os dois golos do Sporting, primeiro Coates num canto, depois, o inevitável Bas Dost a tranquilizar os adeptos Leoninos.

Quase a terminar a partida ainda houve tempo para Rui Patrício brilhar defendendo um pénalti marcado por Rui Costa.

Objectivo cumprido e venha o próximo que o Jamor está mais perto!

Comentários