domingo, 10 de dezembro de 2017

Boavista 1-3 Sporting :: em frente!


Apoio incrível e fantástico dos adeptos do Sporting no Estádio do Bessa. Antes, durante e depois do encontro, uma festa verde e branca a mostrar, de facto, uma união de aço entre todos.

Na semana passada conquistámos a liderança (partilhada com o Porto), logo esta deslocação ao Porto para jogar com o Boavista era absolutamente fundamental para consolidar o primeiro lugar e, porque, os temas da arbitragem, que dominam o nosso futebol, estavam aí à porta para nos preparar alguma. O Sporting sabia, de antemão, tinha de jogar no Bessa mais que o habitual para vencer e conquistar os três pontos. Godinho tentou e falhou. Um clássico!

Mas este jogo começa a ganhar um ritual estranho para quem vai ao Bessa connosco e perigoso. Passo a explicar. Na época passada, quando me dirigia para o jogo, distraí-me com a camioneta do Sporting na Avenida da Boavista, esqueci-me que não conduzia um Tesla, e lá me enfaixei num táxi. Fui ao jogo, claro, e o Sporting venceu.

Ontem, o grande Manuel Reis, vinha de Aveiro, a caminho, primeiro do Futebol Feminino em Valadares, e, lá foi "visitar" um rail da autoestrada. Felizmente sem danos físicos, depois seguimos para o Bessa e, claro, com a vitória do Sporting. 

Quer isto dizer, e já avisámos a quem habitualmente vai connosco a este jogo, que alguém terá de se sacrificar para a vitória no próximo ano.

Brincadeiras à parte, uma vitória justa do Sporting sem dar grandes chances ao seu adversário. 

Jorge Jesus colocou Podence e Bruno César em campo, deixando Battaglia no banco. Inicialmente lembrei-me como correu mal em Moreira de Cónegos, diria, que a equipa axadrezada não foi tão longe porque não me parece tão compacta e forte no ataque como o Boavista, o que levou a que não tivéssemos grandes problemas e aos poucos fossemos assentando o nosso jogo até ao domínio total.

Não entrámos fortes na partida, demorou até que a máquina engrenasse. Ora porque Podence não entrou bem, ora porque o nosso meio campo estava lento, inclusive, com alguns passes falhados a mais que o normal.

A realidade é que muitos de nós pensaríamos que o Sporting iria para o intervalo empatado a zero e vinha daí uma tarefa hercúlea para os segundos 45 minutos. No entanto, Podence na direita arranca um fabuloso centro que acabou na cabeça de Fábio Coentrão que colocou a bola no fundo da baliza.

Fábio Coentrão...mais um grande jogo e vão 9 completos e nos últimos 7 foram 6. Os festejos do golo e o virar-se para a nossa bancada e mostrar que está de corpo e alma connosco, foram fantásticos.

Não sei o que vai acontecer no final da época com Fábio Coentrão, com o possível regresso ao Real Madrid, mas, se dependesse de mim, e da vontade do jogador, eu começava a colocar dinheiro de parte para fechar um contrato definitivo com o Coentrão. A garra, a ronha, a vontade, a classe, são atributos que não encontrámos com facilidade nos jogadores desta estirpe!

A segunda parte foi, praticamente, toda do Sporting. Distraímo-nos no golo sofrido, por vezes acontece, mas estava escrito que a vitória ia ser nossa e, claro, voltou o suspeito do costume a fazer das suas. 

Primeiro Bas Dost marca com o joelho, naquela sua raiva habitual de quem está sempre à procura do golos "merdosos" também contam e muito, depois num grande remate após assistência de Mathieu. 

Cumpriu-se o principal objectivo para o jogo de ontem, a vitória, a manutenção da liderança, o Sporting até ao final do ano apenas irá ter mais um encontro para a Liga Portuguesa, já no próximo fim de semana contra o Portimonense, antes de visitar o Benfica na Luz já no novo ano. Pelo meio dois jogos da Taça da Liga que, espero sinceramente, seja uma oportunidade para outros jogadores e uma eliminatória da Taça de Portugal já na quarta feira diante do Vilaverdense em Alvalade. Para vencer tudo!

Sem comentários: